top of page

SINGAPURA - A hospedagem  e Museus - parte 4/4


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

As referências para hospedagem poderiam ser por bairros ou região, e a escolha dependeria de seus interesses ou disponibilidade financeira.


Beach Road -

​Ficamos hospedados no Destination Hotel, no número 700 da Beach Road, por onde circulavam várias linhas de ônibus. Dava para ir à pé aos bairros chinês e árabe. Era um bom hotel, com quartos ótimos e um excelente café da manhã. Na mesma região estava o Boos Hotel, um prédio enorme e moderno, que costumava proporcionar diárias muito em conta, porque tinha uma grande oferta de apartamentos e a concorrência da região era forte.     

Chinatown -

Eram várias opções entre hotéis boutiques e modernos Alberques/Guesthouses. Hospedar-se em Chinatown, era uma ótima opção para quem quizesse curtir um bairro étnico que mesclava como nenhum outro, as diferentes tradições de Singapura, onde templos chineses conviviam com  templos hindus e Mesquitas. Era uma das melhores localizações da cidade, permitindo visitar à pé, várias atrações turísticas no bairro e nas regiões vizinhas. O Metrô cruzava o bairro, possibilitando o acesso mais rápido e fácil ao restante da cidade.

​   

Civic District -

A grande área integrada ao Civic District proporcionava hospedagens para todos os gostos, desde albergues até o clássico e histórico Hotel Raffles. Era uma ótima opção para conhecer o lado histórico e seus museus, os bairros étnicos e a modernidade de Marina Bay. Como concentrava também uma parte da máquina administrativa, a região atraia muitos Executivos que viajavam para tratar de negócios ou políticas, junto aos órgãos públicos ali instalados. 

Complexo Fullerton Heritage -

Era voltado para o lazer e hospedagem, localizado às margens da baia de Marina Bay, que se utilizava de prédios históricos como também instalações novas como o Merlion Park, Fullerton Bay Hotel e o One Fullerton, com charmosos e finos restaurantes com suas varandas que convidavam a uma pausa para o almoço ou jantar.

Little Índia -

Esta área concentrava boa parte das opções de hospedagem para mochileiros. A chegada do Hotel Boutique Wanderlust, gerara uma pequena revolução na hotelaria local, que agora também abrigava opções de hospedagem para todos os bolsos e gostos. Ficar hospedado em Little India, era uma boa opção para percorrer e degustar uma Singapura mais étnica, dos templos hindus, dos aromas e sabores da grande Índia. Permitia ir às compras, no mítico Mustafa Centre, e caminhar até o Arab Quarter. A proximidade  das Estações Little India e Farrer Park, do Metrô, tornava o acesso a outras regiões bem mais fácil.

Marina Bay -

A baia formada pela foz do Singapore River,  era a nova estrela do turismo da cidade. Com grandes atrativos em todo seu perímetro, principalmente concentrados nos Complexos Fullerton Heritage e Marina Bay Sands, contava como estrela mais brilhante o famoso Marina Bay Sands Hotel, acompanhada pela elegância do The Fullerton Hotel e a modernidade luxuosa do The Fullerton Bay Hotel. ​A região possuia um polo hoteleiro, um pouco mais antigo e mais distanciado das margens da baia, formado por um conjunto de hotéis construídos nas proximidades do Complexo Suntec City. Interligada ao Metrô e com muitas regiões de interesse turístico ao seu redor, às quais se podia chegar andando a Marina Bay, era uma excelente localização para conhecer uma Singapura mais moderna.

Merlion Park -

 

Construído pelo artesão Lim Nang Seng, fora inaugurado em setembro de 1972 pelo então Primeiro-ministro Lee Kuan Yew, seu ícone fora instalado na foz do Rio Singapura, no Merlion Park, que se elevava a 8,6 metros, pesava 70 toneladas e aparecia jorrando água de sua boca, para encanto e surpresa dos turistas. Constava que o corpo simbolizava o começo humilde de Singapura, quando era apenas uma vila de pescadores, quando era chamada Temasek, que significava cidade do mar, em javanês antigo. Sua cabeça representava o nome original de Singapura, ou cidade-leão, em malaio

Com a conclusão da Esplanade Bridge em 1997, a estátua não podia mais ser vista claramente da beira-mar. Em 2002, fora realocado a 120 metros da posição original para onde estava atualmente no Merlion Park, em frente ao Fullerton Hotel e com vista para a  Marina Bay. O parque também abrigava uma estátua menor de Merlion, conhecida como filhote Merlion, com 2 metros de altura e pesava três toneladas. Em 15 de setembro de 2017, foram comemorados os 15 anos do Merlion. Passear por aqui era uma ótima oportunidade para conhecer o mascote de Singapura e para fotografar alguns dos prédios mais emblemáticos da cidade: o Hotel Marina Bay Sands, o Esplanade Theatre, a Singapore Flyer e os arranha-céus do Distrito Financeiro. O parque ficava  ainda mais bonito especialmente  à noite, sobretudo nos horários do show de água e luzes do Hotel Marina Bay Sands. Os shows eram gratuitos, duravam cerca de 15 minutos e ocorriam diariamente às 20.00 e 21.30h. Às sextas e sábados havia shows extras às 23.00h.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Sentosa Island 

 

Capella Singapure - $$$$$ - The Knolls Sentosa Island -

Fora escolhido em pesquisa do site de turismo Travel+Leisure como o décimo melhor hotel do mundo, em 2023Seu excelente serviço começava antes mesmo da sua estadia, com assistentes pessoais entrando em contato para garantir uma chegada tranquila ao Capella Hotel. Eera um hotel localizado nas florestas tropicais da Ilha de Sentosa, dispunha de 3 piscinas exteriores e do premiado Auriga Spa. Todos os quartos e suites dispunham de Wi-Fi gratuito e vista para o mar ou para os jardins.  A decoração asiática elegante e contemporânea nos quartos, eram um dos destaques. Serviam bebidas gratuitas no quarto, como sucos, refrigerantes e água mineral engarrafada. As casas de banho privativas incluiam produtos de higiene pessoal gratuitos, roupão  e chinelos. O hotel disponibilizava transporte cortesia para os lugares escolhidos pelos hóspedes. Era puro luxo e bom gosto num dos lugares mais charmosos de Singapura.

Os museus e afins

A ilha de Singapura incluía vários museus, como o Museu Nacional, o Museu de Arte, a Galeria Nacional e o das Civilizações Asiáticas. O Museu Nacional fora projetado em estilo neo-palladiano e renascentista. As exposições mostravam principalmente a história e a cultura de Singapura, incluindo a evolução da vida e dos costumes do povo de Singapura, e o início da vida imigrante da população chinesa de Singapura.

Centro de Ciências – Science Center Road, 15 -

Era um dos melhores museus da cidade para incentivar a perspicácia científica de seus filhos. Estudantes e outros públicos de Singapura e do Sudeste Asiático freqüentavam o Centro para explorar a ciência e elementos afins. Explore a ciência da arte em Singapura de forma interativa e divertida.

  • Principais atrações: 12 galerias de exposições, mais de 1.000 exibições interativas;

  • Taxas de entrada: SGD 11.11 por adulto

  • Horário de Abertura e Fechamento: 10.00 às 17.00h de terça a domingo;

Galeria Nacional  - 1 Street . Andrew's Road  - Distrito Cívico

Instalada na antiga Câmara Municipal e do Supremo Tribunal, a impressionante arquitetura desta Galeria de Arte albergava a maior coleção de arte do Sudeste Asiático do mundo. Era uma visita obrigatória para os aficionados da arte, com mais de 8.000 obras do Sudeste Asiático, que datavam do século XIX até a atualidade. Com 64.000 metros quadrados, era o maior espaço de artes visuais de Singapura e um dos maiores da região asiática. Além de ser um tesouro de obras de arte, abrigava o sofisticadíssimo restaurante Odette, que apresentava cozinha francesa moderna orientada pelo respeito de longa data do Chef Julien Royer pela sazonalidade, terroir e produtos artesanais provenientes de produtores de todo o mundo. Era o maior espaço de artes visuais e museu de Singapura – abrigava mais de 1.000 obras de arte e era uma das principais atrações. Os visitantes eram apresentados à arte de Singapura e do Sudeste Asiático, nas exposições especiais e de longo prazo que aconteciam na Galeria.

  • Entrada geral mais visitas guiadas US$ 20;

  •  Exposições especiais a US$ 25;

  • Abria das 10.00 às 19.00h.

 

MINT – Museu dos Brinquedos –Seah Street, 26 -

Abrigava uma excelente coleção de brinquedos antigos de mais de 40 países, aberto ao público em 2005. Tinha coleção de brinquedos com mais de 50.000 peças,  reunidos em quatro níveis com formato exclusivo Outerspace, Personagens, Favoritos da Infância e Colecionáveis. O ingresso custava $ 25,00. Abria das 9.30 às 18.30h de terças a domingos.

Museu das Crianças e da Filatelia – Coleman Street, 23-B -

Explore o mundo da filatelia no extenso Singapore Philatelic Museum, renomeado como Children's Museum Singapore, criado em 1995. Para os entusiastas de selos e design, este museu deve estar no topo da sua lista de visitas. Principais atrações: Language of Philately na Orange Room, o Green Stamp para se transformar em um selo; 11-Storey Mail Box, Tikam Tikam Board na Heritage Room; Walk Around Heritage Room para tradicionais Red Clogs e muito mais.

  • Ingresso: cobravam  S 10 por pessoa.

  • Abria das 9.00 às 12.45h e das 14.00 às 17.45h, de terças a domingos.

 

Museu da Força Aérea – 400 Airport Road, 400 - Paya Lebar Air Base -

Criado em setembro de 1988 na Base Aérea de Changi,  percorrera um longo caminho desde então e ficava em um grande Complexo próximo à Base Aérea de Paya Lebar. Principais Atrações: Equipamento de vôo colonial, artefatos militares, helicópteros militares, mísseis, aviões de combate e sessão interativa sobre a evolução da Força Aérea de Singapura por meio de representação gráfica. O acesso era gratuito e abria das 8.30 às 17.00h.

 

Museu das Caixas Musicais –  Telok Ayer Street, 168 -

Esses instrumentos musicais foram um símbolo importante da cultura européia, que remontava ao século XIX e início do século XX. Os recursos históricos mostravam que Singapura desempenhara um papel fundamental no progresso e desenvolvimento das caixas musicais no Sudeste Asiático, durante esse período. O objetivo era partilhar com o público o contexto histórico desde a ascensão até à queda das caixas musicais e à forma como chegaram a Singapura no século XIX. Abria de terças a sábados das 10.00 às 18.00h.

Museu das Civilizações Asiáticas – ACM - Empress Place, 1 -

Instalado em prédio próprio às margens do Rio Singapura desde 2003 tinha suas raízes na Biblioteca e Museu Raffles, do período colonial, fundado no meio do século XIX. ACM era um Museu Nacional administrado pelo Conselho do Patrimônio Nacional. A história de Singapura como cidade portuária que reunira pessoas do mundo todo, era usada aqui como meio de examinar a história da Ásia. Os objetos apresentados contavam histórias do comércio e da troca de idéias que resultaram do comércio internacional, bem como do fluxo de religiões e fé pela Ásia em geral. Abria de segunda a domingo das 10.00 às 19.00h e na sexta-feira abria das 10.00 às 21.00h. Principais atrações: arquitetura neo palladiana, uma extensa coleção de artefatos das civilizações do Sudeste Asiático, Sul da Ásia, Chinesa, Asiática e da Ásia Ocidental, com a maioria deles datando de mais de 5.000 anos, 11 Galerias esteticamente projetadas em 3 níveis, Galerias temáticas com zonas guideposts e ExploreAsia. Ingresso para turistas era de 20 SGD. Abria diariamente e menos às sextas-feiras, das 10.00 às 17.00h. Às sextas abria das 10.00 às 21.00h.

Museu de Artes – Tanjong Pagar Distripark -

Um paraíso para os amantes da arte oferecia um grande espetáculo de arte contemporânea de artistas, amantes da arte e entusiastas da região do Sudeste Asiático. Fora inaugurado em 1996 para exibição pública. Oferecia exposições de arte contemporânea, exposições diversas e coleções de arte. O ingresso para turistas era de SGD 10. Abria diariamente das 10.00 às 19.00h.

 

Museu de Arte e Ciência– Marina Bay Sands Hotel -

Estava instalado num prédio desenhado para lembrar uma flor desabrochada ou uma mão aberta e acolhedora. Incluía 21 Galerias e tinha espaços para várias exposições de grande escala. O inovador ArtSciense Museu  fora construído para incluir vários recursos de design sustentável, era um prédio facilmente reconhecível na cidade. O telhado em forma de lótus era moldado para recolher água da chuva, para uma piscina refletora no nível mais baixo do prédio, e a água depois reciclada era usada no sistema de canalização do prédio, reduzindo a sua dependência de água tratada. Cada pétala de flor possuía uma clarabóia para iluminar o espaço da Galeria com luz natural, reduzindo a dependência de iluminação elétrica. Abria das 10.00 às 19.00h e o ingresso era de SGD 15.

Exposições 

As exposições eram na sua maioria composta de mostras itinerantes e temporárias. De seus 21 espaços de Galerias, apenas três davam lugar à única exposição permanente do museu. As exposições concentram-se em aspectos da arte e da ciência, incluindo física de partículas, paleontologia e biologia marinha. As exposições focadas em arte apresentavam trabalhos de artistas como MC Escher, Salvador Dalí, Andy Warhol, Leonardo de Vinci e  Vincent Van Gogh entre outros.

A exposição permanente consistia em três partes. Cada uma das três Galerias completava uma parte do todo e eram intituladas de Curiosidade, Inspiração e Expressão. Todos estes conceitos existiam na interseção de arte, ciência, cultura e tecnologia;

Curiosidade

A primeira das Galerias da exposição permanente pela qual os visitantes passavam, denominava-se Curiosidade e era projetada com o objetivo de instigar o visitante para que questionassem o meio em que viviam. As principais perguntas nos monitores convidam os visitantes para pensarem um pouco no processo de criação de arte e ciência, além de questionar se havia realmente muita diferença entre as duas disciplinas. A exposição destacava o poder da curiosidade em impulsionar a exploração, inovação e criação.

Inspiração

A segunda Galeria era chamada Inspiração e concentrava-se em seis importantes obras de inovação científica e artística que mudaram o mundo. Estes desenvolvimentos fundamentais incluíam a máquina voadora de Leonardo da Vinci, as lanternas de papel Kongming, um modelo molecular de buckminsterfullerene, um pergaminho chinês antigo, um peixe robótico de alta tecnologia e, um desenho arquitetônico do Museu, durante o seu planejamento e fase de desenvolvimento.

Expressão

A terceira e última das Galerias chamava-se Expressão, debruçava-se sobre vários progressos de arte e ciência ao longo da história da humanidade através de uma apresentação multimídia em larga escala, no maior dos dedos do museu. Este espaço explorava os processos artísticos e criativos envolvidos na inovação e analisava o progresso humano em robótica, arquitetura, nanotecnologia, navegação e vôo, como resultado desses processos criativos. Abria todos os dias do ano, incluindo os feriados. A entrada era por Galeria, individualmente, e os bilhetes estavam disponíveis online, na bilheteria do museu e pela bilheteira do Sands Theatres.

 

Museu de História Natural Lee Kong Chian

Conheça o incrível mundo da biodiversidade no único museu de história natural de Singapura. Surpreenda-se com os três Dinossauros saurópodes reais e gigantescos, que ocupavam o centro das atenções do Museu. Conheça o ecossistema biologicamente diversificado do Sudeste Asiático, através de 2.000 espécimes e exibições interativas. O icônico prédio rochoso, localizado na Universidade Nacional era um centro único de exposição, educação e pesquisa que atendia a uma infinidade de atividades de biodiversidade em Singapura e sua região.

As peças centrais do museu - Prince, Apollonia e Twinky, era um trio das maiores criaturas que vagaram pela Terra há cerca de 150 milhões de anos - não existiriam se Della Lee, esposa do Presidente da Fundação Lee, Lee Seng Gee, não tivesse doado generosamente US$ 25 milhões para a campanha de criação deste museu. Outra peça emblemática, uma presa de narval, de 200 anos, fora doada pela família do falecido empresário “Whampoa” Hoo Ak Kay, um dos pioneiros de Singapura, no século XIX. A presa fora doada a Whampoa pelo Governo russo na década de 1860 como um presente, já que ele servira como Cônsul russo em Singapura.

Ao mesmo tempo em que era um museu e um centro de pesquisa se esforçava para ser líder na biodiversidade do Sudeste Asiático – em pesquisa, educação e divulgação. A Galeria pública reunia mais de 2.000 espécimes, categorizados em 15 zonas diferentes que incluíam a zona Cabinets of Curiosity , que apresentava muitos espécimes icônicos do solo nativo local e  a Singapore Today, uma vitrine da geologia da ilha e do importante trabalho de conservação realizado por agências nacionais. A impressionante coleção de espécimes e artefatos naturais contava a história dessa nação insular. Era administrado pela Universidade Nacional e abria de terças a domingos das 10.00 às 17.00h.

Museu do Inferno – Pasir Panjang Road, 262 -

Construída em 1937, a Haw Par Villa era a maior Galeria de Arte ao ar livre de Singapura, fora idéia de Aw Boon Haw, o filantropo milionário e extraordinário personagem de marketing, que presenteara o mundo com Tiger Balm. O surpreendente parque era um tesouro de cultura, história, filosofia e religião asiática – peculiar e ao mesmo tempo esclarecedor. Exposições especialmente selecionadas forneciam informações comparativas que ofereciam aos visitantes uma melhor compreensão dos pontos em comum entre os principais sistemas de crenças do mundo – e como diferentes comunidades ao redor do mundo, bem como em Singapura, extraiam significado da morte e do morrer. Estendendo-se por 3.800 m²,  também oferecia uma compreensão mais profunda das infames 10 Cortes do Inferno da Haw Par Villa. Descubra como os conceitos por trás das representações gráficas de pecados e punições na vida após a morte, evoluíram à medida que civilizações antigas compartilhavam suas culturas através do tempo e do espaço. Havia um passeio gratuito mediante prévia inscrição diretamente no balcão da Recepção às 10.30, 12.15, 13.30, 14.45 e 16.15h. Abria para visitas das 9.00 às 20.00h.

Museu  do  Sorvete – Loewen Road, 100 – Dempsey -

Redescubra sua criança interior em uma jornada colorida que incluia um restaurante vintage, um playground de Unicórnios e a maior piscina borrifada do mundo! Projetado para ser um espaço seguro para humanos com conexão e aprendizado através da brincadeira, era um local dos mais agradável de Singapura para uma diversão inesquecível e gelada. Era uma exposição pronta para pintada de rosa, que retratava a história do sorvete com uma lanchonete e um salão retrô de visita obrigatória. Principais atrações: oferecia sorvetes ilimitados em cinco formas e formas diferentes. Aprenda sobre o sorvete e sua história em 12 instalações multi-sensoriais. O ingresso era de $ 36 e nos fins de semana subia para  S 45. Abria de segunda a quarta das 10.00 às 16.00h e nas quintas e domingos das 10.00 às 21.00h.

Museu Nacional de Singapura - Stanford Road, 93 -

Instalado em um belo prédio neoclássico do final do século XIX, e inaugurado em 1849 como Raffles Library and Museum  tinha uma cúpula de azulejos de zinco e vitrais, era o museu mais antigo do país. Uma extensão moderna incluía um longo conector com teto de vidro com vista para a cúpula. Os espaços  destacavam a história e a cultura de Singapura e incluíam cerca de 500 desenhos botânicos e animais em aquarelas, do início do século XVIII. Abrigava vários tesouros nacionais e artefatos raros da história de Singapura, incluindo um fragmento da Pedra de Singapura, uma das primeiras relíquias de inscrição encontradas na cidade  e a coleção de desenhos de história natural, de William Farquhar. Era também conhecido como Museu Raffles. O ingresso para turistas era de SGD 20. Abria das 10.00 às 19.00h.

 

Museu Peranakan – Armenia Street, 39 – Old Tao Nan School -

Era o primeiro museu do mundo a explorar as culturas Peranakan nos antigos assentamentos do Estreito de Singapura, Malaca e Penang e suas ligações com outras comunidades Peranakan no Sudeste Asiático. Fora inaugurado em 25 de abril de 2008, após extensas reformas para transformá-lo no Museu da Civilização Asiática original de Singapura. Peranakan significava 'nascido local' em malaio e referia-se aos chineses Peranakan, bem como a Chitty Melaka (indiano), Kristang (eurasiático) e Jawi Peranakan. Apresentava os principais temas da vida Peranakan, em dez Galerias permanentes e fora projetado para visitas familiares, com 20 estações multimídia interativas para crianças proporcionando uma viagem contínua pelas exposições. Era um pequeno museu boutique que mostrava a vida e os ritos de uma família Peranakan, uma tradição única de mistura chinesa-malaia encontrada apenas no sudeste da Ásia. Abria para visitas de segunda a sextas das 11.00 às 14.30h.

 

Descubra as belas tapeçarias, da herança Peranakan, onde a rica história de diversas influências do povo nascido no Estreito de raízes chinesas, malaias e indonésias se entrelaçava em uma narrativa cativante de fusão cultural. Desde belas peças de traje tradicional até beadworks lindamente feitos à mão, os artefatos em exposição eram um espetáculo para ser visto.  Estava instalado na antiga Escola Tao Nan, construída em 1912 como a primeira escola moderna de Hokkien, nos assentamentos do Estreito. Um fato pouco conhecido: o layout do prédio era baseado nos bangalôs do Straits Settlements, onde os quartos ficavam ao redor de um hall central, enquanto os banheiros e as cozinhas ficam fora do prédio principal.

SINGAPURA 12.jpg
SINGAPURA 13.jpg
SENTOSA.4jpg.jpg
bottom of page