top of page

SANTIAGO DO CHILE  -  parte  3/4

Casas del Bosque.jpg

Vinícola Casas del Bosque

Astroturismo

Observatório Astronômico Andino Camino del Bollenar, 21974 – La Barnechea

Ficava fora da região urbana, e permite uma melhor observação estelar e planetária.

Observatório Astronômico Nacional – Camino El Observatório, 1515 – Cerro Calán – Las Condes.

Oferecia visitas todas as terças-feiras, com três atividades coordenadas por integrantes do Departamento de Astronomia. Funcionava nos meses de março a maio e de setembro a janeiro. Contatos: www.onc.cl

Observatório Astronômico Roan-Jasé – Camino AL Volcan, 29238 – San José de Maipo.

Estava situado no Cajón del Maipo, um verdadeiro pulmão verde da cidade de Santiago, a 60 km do centro. Por sua excelente localização e modernos equipamentos, permitia uma ótima observação do universo celeste.

Planetário Chile – USACH – Av. Libertador Bernardo O`Higgins, 3349 Estação Central  - 

Ficava nas dependências da Universidade. Inaugurado em 1985, era uma das atrações turísticas da cidade. Era reconhecido como um dos 50 centros de difusão astronômica, mais conceituados mundialmente. Sua cúpula de 20 metros de diâmetros, era uma das maiores entre os Planetários. Para chegar use a Linha 1 do Metrô – Estação Universidade de Santiago. Contato: www.planetariochile.cl

Os Parques

Metropolitano -

Para visitá-lo, pegue o Metrô Linha Vermelha  até à Estação Baquedano, cruze a Plaza Itália na direção da Calle e Puente Pio Nonno, atravessando o bairro Bela Vista, até o portão de acesso ao Parque, e onde estava a Estação do Funicular, que levava até o topo do Cerro São Cristóvão, e onde ficava a estátua de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, com seus 22 metros de altura, proporcionando uma bela visão da cidade, a partir de seus mirantes. Depois de descer o Cerro, visite uma das  Casas Museu do poeta Pablo Neruda, ganhador do prêmio Nobel de Literatura, em 1971. A atração mais próxima, era La Chascona, que ficava na Calle Fernando Márquez de La Plata, 192, aos pés do Cerro. As outras casas em   homenagem a Neruda, eram o La Sebastiana, em Valparaiso e a Casa Museu Isla Negra.

Balmaceda - Estava situado junto a Praça da Aviação, e contava com mais de 100 fontes de água, cada uma com seu respectivo jogo de luzes, que atraiam visitantes todas as noites. Na continuidade da Praça, ficava o Parque, cujo nome era uma homenagem ao então Presidente José Manuel Balmaceda. Ficava na Avenida Providencia, entre a Calle Huéllen e Avenida Eliodoro Yanéz.

Bicentenario - Estava localizado no bairro de Vitacurta, nos costados do rio Mapocho, entre um nó de ruas Pérez Zujovic e Isabel Montt. Era uma das maiores áreas verdes da cidade, com 27 hectares, com mais de 4 mil árvores, das quais mais de 1.300 são espécies nativas. Tinha a Laguna Norte, onde viviam diversos tipos de aves, dentre os quais destacava-se o Cisne do pescoço negro.

dos Reis - O nome era uma homenagem ao quinto centenário do descobrimento da América e estava situado a oeste da Estação de Metrô Mapocho. Eram 31 hectares de área verde, com várias pistas de skate e parques infantis.

O`Higgins - Em 1974, foi batizado com o atual nome e se transformou num parque por excelência, para o convívio das famílias e praticantes de esportes ao ar livre. A cada 19 de setembro, serve de local para a realização dos Desfiles Militares.

Padre Alberto Hurtado - Anteriormente era chamado de Parque Intercomunal, e hoje em seus 111 hectares, tinha mais de 40 espécies de árvores, espaços de recreação, ciclovias, áreas para piquenique, lagos com botes, um mini trem, diversos brinquedos para crianças e um anfiteatro.

Quinta Normal - Criado em 1940, como Jardim Botânico, tinha cerca de 40 hectares de área  e atualmente era um do parques mais concorridos da cidade. Aqui estavam os museus da Memória, Nacional de História Natural, de Ciência e Tecnologia, Infantil, e o Ferroviário. Estava localizado junto a Calle Matucana, 502, e para visitar, use o Metrô Linha 5 – Estação Quinta Normal.

O que comprar em Santiago

 

Somente o Chile e o Afeganistão, tinham reservas minerais de lápis-lazúli, usadas em jóias e enfeites. Visite os três maiores shoppings da cidade, ambos no bairro de Las Condes: o Alto Las Condes e o Parque Arauco, que era o mais chique e apresentava uma arquitetura arrojada e o mais novo era o Costanera Center. Para artesanatos, visite os mercados (  Pueblo) de La Vitacurta, no bairro do mesmo nome, e o Los Dominicos, na Avenida Apoquindo, 9085. 

Turismo de neve

El Colorado - Farellones

Era um pequeno povoado, onde se podia desfrutar da beleza das montanhas e praticar esportes, como esqui, montanhismo, passeios, cavalgadas e sentir o ar puro da montanha. Possuia várias pistas para a prática de esqui, para principiantes, avançados e experts. Também oferecia uma boa infraestrutura de alimentação e hospedagem.

La Parva

Situado numa área de 2.662 a 3.630m. de altitude, ficava a 63 km. de Santiago. Era a maior Estação de Esquiagem, por conta de seus moradores, dos villages e dos apartamentos que eram colocados sob locação no período invernal. Tinha um Condominio que reunia bons restaurantes, fastfood, cafeterias, discoteca, clínicas e estacionamento. 

Valle Nevado

Situado entre 2.860 e 3.670m.de altura e a 60 km da capital andina, chegava-se pelo mesmo caminho que levava a Farellones. Era o maior Centro de Esquiagem do Chile, tinha quatro hoteis 5 estrelas e 7 restaurantes de qualidade. 

Bares e restaurantes

​Café Haiti - Paseo Ahumada, 140.

Era o famoso Café com piernas, onde os balcões eram abertos na parte de baixo, para que se observasse as pernas das atendentes, que trabalhavam utilizando mini e saias justas. Havia várias unidades deste Café espalhadas pelo centro da cidade. Fechava as 22 horas. Não tinha mesas, somente balcão. Já foi uma atração, e agora era considerado uma Cafeteria normal, mesmo com as gurias se exibindo um pouco. E não era que no TripAdvisor teve até uma brasileira que disse ser exploração feminina, e que isso induzia à prostituição. Tem gente prá tudo! 
 

​​Califórnia Cantina -  Las Urbinas 44-56 - 

Era um bar moderno e alegre, que costumava agitar todas as noites. Era também um os bares que costuma reunir os chilenos para uma cerveja e bater um papo.  Ficava em uma área mais residencial do bairro Providencia.

​Como Água para Chocolate - Constitución 70 -

Ficava na área externa do Patio Bellavista, com algumas mesas na calçada da Rua Constitución e era visita obrigatória para os turistas. Era considerado uma cozinha mágica afrodisíaca, que utilizava ingredientes que estimulavam o paladar e outros sentidos. O ambiente era bonito, o atendimento era de primeira e o cardápio possuia uma versão em português. A comida era ótima, principalmente as sobremesas e uma delas levava o nome do restaurante e era composta de uma trilogia de chocolates belgas com calda de framboesa derramando por riba...

​​
Finddlers Irish Bar - Calle Dr Manuel Barros Borgoño, 13 -

Este era um dos dois bares irlandeses situados no bairro da Providência, que costumavam estar sempre movimentados. O cardápio era farto em opções gastronômicas chilenas. Ficava ao lado da Estação de Metrô Manuel Montt. O outro irlandês era o The Shamrock, um clássico pub que cultuava as tradições gastronômicas e hidráulicas de seu país, com ótimas cervejas e o tradicional fish and chips.


​​Pateo Bellavista -  Constitución, 30 -

O Bellavista era um Centro Comercial diferente dos shoppings convencionais. Era do tipo Strip, a céu aberto, possuia lojas pequenas, principalmente de arte e artesanato, e o seu foco era os bares e restaurantes, que abriam as 11.00h e funcionava até tarde. Aos domingos fechava as 2.00h da manhã.  Às sextas, sábados e vésperas de feriado fechava as 4.00 da matina. Podia se dizer que era um grande Complexo gastronômico, com os mais diferentes tipos de comida e com uma frequência altamente heterogênea. 


​Shopping Parque Arauco - Av. Presidente Kennedy, 5413 -  

Era  o principal Shopping da cidade, com as melhores lojas. A Praça de Alimentação era grande e só tinha serviço de fast-food, com a maioria das redes que já estamos acostumados. Na área externa do Shopping, havia um grande Boulevard, com vários e bons restaurantes.

        
A rota das Vinícolas e dos vinhos​
 

Desnecessário seria falar sobre a qualidade dos vinhos chilenos. Então, vamos às dicas: Vinícola Concha y Toro, Cousiño Macul, Tarapacá, Undurraga e Portal Del Alto. Recebiam turistas para visita e degustação e cobravam por isso, variando de preço conforme o tipo de serviços oferecido. Informe-se no hotel sobre reservas para visitação. Em nosso site tem um capítulo sobre as principais Vinícolas chilenas.
 

​A empresa Turistik tinha alguns programas específicos para os apreciadores de vinhos e seus afins:

 

​Viña Concha y Toro e Viña Santa Rita Saia do Parque Arauco as 9.00h e custava 69.000 pesos. Passeio de dia inteiro;
​Viña Concha y Toro Sai da Parque Arauco as 9.00 e 14.30h com duração de 4 horas e custava 25.000 pesos;

Viña Concha y Toro Marquês - Éra um programa para experts em vinhos, com duração de 5 horas e saídas às 14.30 h.  Custava 45.000 pesos por pessoa;

​Viña Santa Rita e Bike Sai do Parque Arauco as 9.00h e custava 55.000 pesos;

​Viña Santa Rita Passeio pela Vinícola, com duração de 5 horas, com degustação. Sai do Parque Arauco as 9.00hs. e  custava 39.000 pesos por pessoa;   
 

​Vinícola Almaviva - Rodovia Sem Nome - Puente Alto - 

​Visitar a Almaviva era uma das experiências mais marcantes para quem ia ao Chile. Não somente pelo excelente vinho, mas também pela receptividade carinhosa. Do começo ao fim, o staff se preocupava em tirar todas as dúvidas e explicar todo o processo nos mínimos detalhes! A Vinícola estava localizada a menos de 30 minutos de carro do centro de Santiago, mas só aceitava visitas com hora marcada! Então, faça sua reserva.
 

​Diferente de todas as outras Vinícolas pesquisadas,  a Almaviva  era a única que realizava apenas visitas privadas.  O vinho Almaviva foi criado com o intuito de ser “o” vinho franco chileno, a partir da parceria firmada com a família Rothschild. E quem já provou garante que foi uma feliz parceria. A visita passava por todas as etapas da produção: plantio, colheita, processamento, fermentação, amadurecimento em barricas e engarrafamento. Essa experiência era rara no Chile, já que muitas fases produtivas eram feitas em lugares diferentes. O passeio terminava com a degustação de uma taça de Almaviva. Mais uma vez, o atendimento superava as expectativas: o vinho já estava decantado e acompanhava uma ficha técnica com as informações sobre sua safra. Em dezembro de 2018  o custo do tour era de US$ 80 por pessoa. Se quiser comprar algum vinho, escolha os da seleção EPU, que eram mais em conta e também eram tão bons quanto os de primeira linha, que estavam custando em torno de 200 dólares a garrafa.
 

​Viña Casas del Bosque -  Hijuelas Nº 2 Ex Fundo - Sta Rosa - Casablanca -

​Foi reconhecida pelo Le Winery Guide, do Brasil, como a Melhor Vinícola para Visitar no Chile, em  2018. Estava localizada no meio da caminho entre Santiago e Valparaiso, no Valle de Casablanca, com acesso no sentido Santiago/Valparaiso em La Vasquez e para quem vem de Valparaiso era em Hijuelas Nº 2 Centro Ex Fundo Santa Rosa, passando pelo povoado e uma ponte, até chegar a sede da Vinícola. Era um lugar até certo ponto requintado, tanto é que era muito solicitado para servir de cenário para festas de casamentos. Tinha o ótimo restaurante Tanino, eleito pela revista canadense WineAccess como um dos 20 melhores restaurantes de Viñas no mundo. As degustações podiam ser feitas no 242 Aromas Bar e depois iniciar uma caminhada pelos vinhedos, até o Mirador, a Casa Mirador, o Açude Los Olivos, as Casas del Bosque Wedding e o Wine Shop onde se poderia conhecer e adquirir seus vinhos emblemáticos Sauvignon Blanc ( considerado o melhor do país ), o Pinot Noir e o Syrah. Para visitar era obrigatório reservar pelo site brasilhospitality@casasdelbosque.cl


Vinícola Casa Silva -  Rodovia Sem Nome - San Fernando - O'Higgins - 

A Vinícola fica a umas duas horas de carro desde Santiago. O passeio era recomendado para quem quissese visitar apenas uma Vinícola. Começaram a produzir vinhos a partir de  1892 quando encaminhava sua produção para engarrafamento em outras empresas. A partir de 1997 quando já estava na quinta geração da família Silva, é que começaram a produzir e engarrafar rótulos com marca própria. O passeio incluia visitação dos túneis do tempo da construção dos prédios até salas com tecnologias de ponta, e uma coleção de carros antigos que pertenceram a familiares. No prédio de uma antiga residência da família, hoje funcionava o Hotel Boutique Casa Silva, excelente opção para complementar o programa. Uma breve caminhada à pé ou de bicicleta leva ao Club House de Polo, Rodeo y Equitación e onde estava instalado o restaurante da Vinícola. Para informações e reservas acesse casasilva.cl. Para chegar siga pela Ruta 5, na direção sul até o km 132 ( entre Pelequén e San Fernando ) e entre à direita, passe pelo Posto dos Carabineiros e chegue na Vinícola. Lembrando: não deixe de experimentar um viño denominado Altura.


​​Vinícola Concha y Toro - Av. Virginia Subercaseaux, 210 - Pirque - Región Metropolitana -

Para  amadores ou expert em vinhos, a Concha y Toro merece ser visitada! Além de ser muito próxima do centro da cidade ( era possível chegar de metrô + ônibus ),  oferecia uma excelente estrutura com restaurante, Wine bar e uma loja com seu portfólio completo. Era a maior produtora de vinhos do Chile! Existiam dois tours, o tradicional (aproximados US$ 20) e o Marques de Casa Concha (aproximados US$ 40). Ambos duravam cerca de uma hora, a diferença entre os dois era a qualidade e quantidade de vinhos a serem degustados ao final da visitação, quando o visitante ganhava uma taça da Vinícola. Desejando conhecer apenas uma Vinícola, vá até a Concha y Toro. Para os experts, vale visitar a loja para encontrar os produtos mais top e, se der sorte, encontrará algumas safras antigas do Don Melchor. A visitação incluia uma parada em um jardim que tinha amostras de 26 variedades de uvas, sendo 13 tintas e 13 brancas que eram utilizadas na produção dos rótulos da Vinícola. O passeio levava até a Cave onde era maturado o famoso Casillero Del Diablo, era o  rótulo mais conhecida da Vinícola. Aproveite para conhecer os top wines da Vinícola, o Don Melchor e o Marquês de Casa Concha.
 

O tour tradicional oferecia passeio guiado, degustação de três vinhos Premium e uma taça da Vinícola, ao custo de 18 mil pesos chilenos por pessoa. O tour Marquês de Casa Concha incluia o passeio, degustação de quatro rótulos da linha Premium, um Sommelier, tábua de queijos e uma taça da Vinícola. O preço era de  25 mil pesos chilenos por pessoa. Faça a reserva com antecedência através do site da Concha y Toro! Era muito fácil reservar o passeio e chegar à Vinícola por conta própria, então fuja de táxis e agências que ofereciam pacotes caros só para levar até lá. Acesse: conchytoro.com
 

​Vinícola Cousiño Macul -  Av. Quilín, 7100 - Penalolen - Região Metropolitana -

Era também considerada uma Vinícola de grande porte. Porém, os tours oferecidos eram mais simples, com menos atrações. A vantagem era que, como ela atrai menos visitantes do que a Concha y Toro, poderia visitá-la com bem menos gente, desfrutando de um tour mais intimista! Os passeios também giravam em torno de uma hora e custavam em média US$ 20. A Vinícola ficava próxima do centro e era possível acessá-la utilizando transporte público.
 

​Vinícola Emiliana -   Tajamar, 481 - Las Condes - Região Metropolitana -

​Foi criada na década de 1980, e incorporada pelo grupo Concha y Toro, em 1986. O nome Emiliana foi uma homenagem a esposa do fundador do grupo, Don Melchor de Santiago Concha y Toro. No Inicio, tinha um método de produção tradicional. Foi na década de 1990, que começou a transição para a produção orgânica, sofrendo um grande processo de adaptação. A Vinícola oferecia algumas opções de experiências para os visitantes conhecerem a propriedade e saber um pouco mais sobre o seu processo produtivo, incluindo degustação de seus vinhos.


Tour de degustação

No tour convencional, os visitantes tinham a oportunidade de passear pelos jardins da propriedade e interagir com os animais que faziam parte de todo o processo. Depois, era feita uma visita à vinha e onde explicavam tudo sobre os solos, as variedades de uvas e as especificidades do clima da região. O passeio seguia pela adega subterrânea, onde eram apresentados os preparos biodinâmicos utilizados na manutenção das vinhas. No final, havia uma degustação com  os vinhos Adobe, Novas, Sinais de Origem e Coyam. O tour durava aproximadamente 30 minutos e a reserva tinha que ser feita com um dia de antecedência. A segunda opção de tour, seguia a mesma programação da primeira:  o passeio pelos jardins, visita à vinha com explicação sobre a produção, visita à adega subterrânea e degustação. Entretanto, a diferença era que essa era uma alternativa premium, onde a degustação inclui mais vinhos de melhor qualidade. No final desse tour, se poderia degustar quatro vinhos premium, acompanhados de queijos e chocolate orgânico. E o grand finale,  acontecia com a degustação do vinho Gê, o ícone da Vinícola Emiliana. Também era necessário fazer a reserva com um dia de antecedência, e exigiam um mínimo de duas pessoas para a realização do tour,

 

Além do vinho GÊ,  existiam outros rótulos e todos são orgânicos:  Coyam, Signos de Origem, Vigno, Organic Sparkling Wine, Novas Grand Reserva e Adobe Reserva. O funcionamento era semanalmente das 10.30 as 12.00h, e as 14.30 e as 15.30h. Telefone: +56 2 2353 9130 - E-mail: contacto@emiliana.cl  -  Endereço: RUTA 68 Y RUTA F-870  - Casablanca -


Vinícola Montes -  Santa Cruz, I-350 - O'Higgins -

Fundada em 1987, estava localizada no Vale de Colchágua. Surpreendia o visitante desde o começo ao apreciar o prédio da Vinícola, construído nos preceitos do feng shui: claro, alto e cercado por água. O passeio era feito em carro aberto e percorria a parte alta da propriedade. A degustação acontecia sobre um Mirante que proporcionava uma bela vista de toda a propriedade. Ao final, o visitante era conduzido à Sala das Barricas, que apresentava uma imagem bonita e agradável, e onde os vinhos descansam em barris ao som de cantos gregorianos que, segundo o Guia, para que os vinhos envelheçam! em um ambiente relaxante. No pátio localizado no meio dos vinhedos, está o restaurante Fuegos de Apalta, funcionando desde 2017 oferecendo comidas típicas  elaboradas com produtos oriundos de vários pontos do país. Os preços para os tours de visitação, têm preços variando entre 20 mil e 40 mil pesos chilenos, dependendo dos vinhos a serem degustados. Reserve: monteswines.com
 

​Vinícola Santa Carolina -   Til Til, 2228 - Macul - Região Metropolitana

​É considerada a Vinícolas mais antigas do Chile, com mais de 140 anos. Fica muito próxima da cidade e uma de suas atrações é o parque que foi totalmente recuperado depois de sofrer com os abalos sísmicos registrados em março de 2010. O prédio da residência histórica onde vivia a família proprietária, a Cave subterrânea de estocagem e o salão onde são engarrafados os vinhos, também foram atingidos, mas foram recuperados e estão em pleno uso. A sede da Vinícola era tão charmosa que é utilizada com frequência para festas de casamentos. Os tours custam 156 mil pesos e 35 mil por pessoas e se diferenciam pelos tipos de vinhos a serem degustados e pela inclusão de tábua de queijos e frutas frescas, na opção para os vinhos Premium e ícones. Reservas pelo site: santacarolina.cl
 

​Vinícola Undurraga -  Camino San Alberto Hurtado, 34 - Talagante - Región Metropolitana -

​Para quem visita Santiago, conhecer um Vinícola era programa obrigatório, mesmo para quem não fosse chegado a um vinho. Para facilitar as coisas, sugerimos escolher a  Undurraga, que estava localizada em Talagante, município da região metropolitana de Santiago, no coração do Vale do Maipo, a cerca de 40 km da capital. Para chegar, poderia ir por conta própria de carro, utilizar o transporte público ou contratar o serviço de algum Guia privado ou agência de turismo. A vinícola foi fundada em 1885, com videiras trazidas da França e da Alemanha. Era uma das vinícolas mais antigas do Chile.
 

​​De carro - Se alugar um carro, o endereço para chegar na Vinícola é o km 34 da estrada Camino a Melipilla. O percurso é pela Autopista del Sol e a forma mais fácil de não se perder é utilizar aplicativos como o Waze ou Google Maps para auxiliar no deslocamento. Para reservar a locação, sugerimos a RentCars.com que faz a comparação de preço nas principais locadoras da cidade, com a garantia de obter o melhor preço. A cobrança é feita em reais, não cobra a taxa de IOF e pode parcelar em até 10x no cartão.
 

​​De ônibus - Para chegar à Vinícola, de ônibus, pegue a linha 1 do Metrô até a Estação Central, caminhe por dentro de um pequeno shopping para chegar no Terminal de ônibus San Borja e pegar um ônibus em direção a Talagante, próximo a plataforma 79. Em caso de dúvidas, basta perguntar para algum funcionário do Terminal onde é o ponto desse ônibus. Ao entrar no ônibus, avise o motorista que você irá saltar na Vinícola Undurraga. Na volta para a cidade, basta pegar o ônibus Autopista Santiago, em frente à vinícola. O custo da passagem do ônibus era de 1.400 pesos chileno (aprox. 10 reais), mais o ticket do Metrô, que tinha o valor de 780 pesos.


​​Guia ou Agência - Diversos motoristas particulares e guias privados oferecem o serviço de transporte entre Santiago e a Vinícola. Consultando alguns, fomos informados de que o traslado de ida/volta custava em torno de 60.000/70.000 pesos o equivalente a 350/400 reais para até 4 pessoas. As agências de turismo também oferecem a visita a Vinícola, com passeios de meio período ou dia inteiro, incluindo a visita a outras vinícolas ou outros pontos turísticos da região. Na Turistour, por exemplo, o tour de meio período custava 32.000 pesos por pessoal (aprox. 180 reais).
 

​​Os tours
 

​​Tour Sibaris –   

Era o tour clássico, com duração aproximada de uma hora, fazendo um passeio pela Vinícola visitando os jardins, a área de produção de vinhos, terminando com a degustação de quatro tipos de vinhos. Valor: era de 15.000 pesos chilenos por pessoa. (aprox. 80 reais). Horários: com Guia hablando espanhol, as 10.00, 11.30, 13.30, 15.00 e 16.00h. Em inglês, era as 10.00 e as 15.00h.
 

​​Tour Founders -

Era o passeio mais completo, com duração aproximada de uma hora e meia, quem além da visita às instalações, incluia também a sala de aromas e a degustação de quatros tipos de vinhos Premium, acompanhado de uma seleção de queijos e frutas secas. Era cobrado 28.000 pesos chilenos por pessoa. A visita com Guia em espanhol, era as 12.00h.
 

​​Tour Picnic

Oferecia a oportunidade de realizar um piquenique nos jardins da Vinícola, com uma garrafa de espumante, seleção de queijos e nozes. Duração de até 4 horas. Valor: 200 pesos. Horários: de hora em hora, das 9.00 as 15.00h. Não havia horários guiados em português, porém devido a grande quantidade de brasileiros que visitavam a Vinícola, o tour em espanhol acabava sendo em portunhol e ficava mais fácil de entender as explicações.
 

​Reservas - As reservas para os tours deviam ser efetuadas diretamente no site da Vinícola. Escolha o tour e informe a quantas pessoas, data e horário. Ao final,  realize o pagamento com o cartão de crédito. Uma vez aprovada a compra, a confirmação será enviada para seu e-mail. As reservas precisavam ser feitas com 24 horas de antecedência. Se chegar na Vinícola sem reserva, corre o risco de não conseguir realizar a visita, caso não haja vagas. Crianças até 14 anos não pagavam. A partir de 14 anos pagava preço de adulto. A degustação só era permitida para maiores de 18 anos. Reservas pelo site  pjerez@gvp.cl
 

Visitas -Ao chegar a Vinícola, faça a confirmação da reserva e espere a formação do grupo para iniciar a visita. No local havia um guarda-volumes para bolsas e mochilas, e o sinal de internet wi-fi gratuito para os visitantes. O começo era pelos jardins, que mais pareciam um grande jardim botânico, com diversos tipos de plantas e árvores, incluindo até uma araucária do Brasil. Depois,  se passava por um dos vinhedos para conhecer o plantio das uvas. Em seguida,  visitava-se o Jardim de Variedades, uma pequena amostra de diferentes tipos de videira conforme o tipo de uva que ela produzia, permitindo notar a diferença entre cada uma em relação aos tamanhos da planta, os tipos de folha, entre outras características. Esta etapa do tour terminava com uma visita ao pequeno museu Gente de La Tierr,” que pertencia à família fundadora da Vinícola e apresentava uma grande coleção de objetos antigos da tribo Mapuche e de povos andinos.
 

​​Degustação - Ao final da visita, tinha início a segunda etapa do tour, que consistia na degustação de quatro tipos de vinhos. Cada visitante tinha direito a provar uma taça de cada vinho e para acompanhar a degustação ofereciam biscoitinhos salgados e água mineral. A cada rodada, o Guia fornecia explicações detalhadas sobre as características do vinho que estava sendo degustado. Ao final, nova oportunidade para provar qualquer um dos vinhos oferecidos. ​Ao fim da degustação, a taça utilizada podia ser levada como brinde. A Vinícola oferecia pequenas embalagens para proteger as garrafas, facilitando o transporte. O tour terminava na loja da Vinícola, que oferecia todos os vinhos  Undurraga, além de camisetas, objetos de decoração e souvenirs.
 

​​Sala dos aromas - Encerrada a visita com degustação de vinhos, o visitante era convidado a conhecer a Sala de Aromas da Undurraga. Esta atração não estava incluída no tour clássico e precisava ser paga à parte, custava  3.000 pesos chilenos por pessoa.  Para quem optasse pelo tour Founders, já estáva incluído no preço. ​A sala permitia conhecer as diversas características e sensações que encontramos ao saborear um vinho, como por exemplo, tons de mel ou notas de morango, ao permitir que o visitante sentisse o cheiro de essências que se encontrava dentro de recipientes fechados.

 

Os recipientes eram distribuídos pelas paredes da sala e separados por diferentes tipos de série, de acordo com as características do aroma: série floral, frutal, láctica, vegetal, balsâmica, especiarias e por último a série defeitos. Para sentir os cheiros, bastava aproximar o nariz nos recipientes e girar uma pequena placa que permitia a liberação do aroma. Para cada aroma havia uma explicação impressa detalhando  suas características e em quais tipos de vinho costumamos encontrá-lo. Os textos eram em espanhol, inglês e português. A visita à sala de aromas durava cerca de 20 minutos.​
 

Vinhos tintos chilenos

  • Don Maximiano

  • Almaviva

  • Bodegas RE

  • Clos Apalta

  • Don Melchor

  • Purple Angel

  • Viu Manent

  • Montes Alpha

  • Laura Hartwig

  • Syrah  -  Viña Casa del Bosque 

  • Carménère  -  Viña Falernia

  • Cabernet Sauvignon  -  Viña Casa Silva


Vinhos brancos chilenos

  • Chardonnay  -  Viña Tarapacá

  • Sauvignon Blanc - Viña Santa Carolina

  • Sauvignon Blanc – Casas Del Bosque


Vinícola Santa Carolina -

Era considerada a Vinícolas mais antigas do Chile, com mais de 140 anos. Ficava muito próxima da cidade e uma de suas atrações era o parque que foi totalmente recuperado depois de sofrer com os abalos sísmicos registrados em março de 2010. O prédio da residência histórica onde vivia a família proprietária, a Cave subterrânea de estocagem e o salão onde eram engarrafados os vinhos, também foram atingidos, mas foram recuperados e estavam em pleno uso. A sede da Vinícola era tão charmosa que era utilizada com frequência para festas de casamentos. Os tours custavam 160 mil pesos e 40 mil por pessoas e se diferenciavam pelos tipos de vinhos a serem degustados e pela inclusão de tábua de queijos e frutas frescas, na opção para os vinhos Premium e ícones. Reservas pelo site: santacarolina.cl   
 

Melhores lojas de vinhos em Santiago​

A capital chilena possuia várias lojas especializadas, sendo as melhores lojas de vinhos em Santiago as seguintes:  ​

El Cielo -  era uma distribuidora de bebidas, aberta de segunda a sábado e dependendo da quantidade, entregavam no seu hotel e faziam venda até mesmo pelo whatsapp. Era um pouco distante do centro, mas para comprar uma quantidade maior de vinhos por um preço bom, valia a ida até lá. Ficava na Calle San Diego, 1430 Abria das 10.00 as 20.00h – telefone: +56 2 2556 9504.
 

​El mundo del Vino -  

Era uma loja sofisticada,  que tinha alguns pontos pela cidade, sendo 2 deles em Las Condes (Isidora Goyenechea e Boulevard Parque Arauco). Essa que indicamos no endereço abaixo ficava nas mediações do W Hotel Santiago. - Calle Isidora Goyenechea, 3000, Las Condes ( próxima ao W Hotel Santiago ). Horário: 10-21h – Telefone: +56 2 2584 1173.
 

Coquinaria -

Era um empório gourmet com restaurante, que vendia muitas outras coisas, artesanatos e até vinhos. Estava instalada no subsolo do W Hotel. Abria de segundas a sexta das 10.30 as 15.00h. Aos sábados, dom e feriado das 9.30 as 23.00h. Havia também opções boas e baratas para o dia a dia, à venda nos grandes Supermercados da cidade, como o Jumbo, por exemplo.
 

chiel vinhedos.jpg
bottom of page