top of page

PENANG  -  Uma grata surpresa - Malásia   

PENANG.jpg

   Mansão Khoo Kongsi 

PENANG 2.jpg
GEORGETOWN.jpg

 

Penang era um Estado na Malásia, com uma população de 1.503.000 habitantes, estava situado na costa noroeste da península Malaia, às margens do estreito de Malaca. Era o segundo menor Estado do país, depois de Perlis e o oitavo mais povoado. Sua capital era George Town.

Penang era um daqueles destinos exóticos da Ásia, que deixava qualquer um com vontade de retornar. Sua capital era cosmopolita e vibrante, tinha uma vida noturna agitada e praias paradisíacas, e também era rica em história. Tudo isso acabava lhe proporcionando a inclusão na lista de Patrimônios Mundiais, tombados pela Unesco, em 2008. O nome da cidade fora idéia dos britânicos, em homenagem ao Rei George II.

Cheong Fatt Tze Mansionum de seus ícones, foi construída nos anos de 1896 a 1904, por artesãos chineses, e era a única construção desse tipo que representava o melhor da arquitetura dos séculos XVIII e XIX, no Estado. A Mansão Azul ficava aberta para visitas guiadas de 45 minutos, três vezes ao dia – e o tour, geralmente era realizado em inglês, mas havia a possibilidade de fazer o passeio em japonês, mandarim e outros idiomas, de acordo com consulta prévia. O passeio custava RM20 (Ringgit Malaio) para adultos e RM 10 para crianças acima de 12 anos. A mansão oferecia um restaurante, com o melhor da comida local e também um hotel com 18 boas acomodações. Para quem quiser conhecer melhor o lugar, a estadia valia, porque  os hóspedes tinham acessos a lugares em que o tour não passava.

Kek Lok Si  -  Era conhecido como o Templo da Suprema Bem-Aventurança,  e era o maior templo budista do sudeste da Ásia. Construído por volta de 1893, foi inspirado pelo Monge chefe do templo da Deusa da Misericórdia, e tinha como atração mais famosa a sua Pagoda, de 10 mil estátuas de Budas, todas em bronze. O horário de funcionamento era das 7.00 as 17.30h, diariamente. A entrada era gratuita, exceto por uma pequena taxa de RM2 para entrada na Pagoda e no Sky Lift.

A casa do clã Khoo Kongsi – imigrantes da Província de Hokkien, na China - era uma das cinco casas de clãs poderosos, que ainda estavam de pé em Georgetown. A edificação da primeira residência, teve início em 1890, e originalmente foi construída para rivalizar com a mansão Imperial. Segundo a mitologia, tal ganância irritou os deuses e, na primeira noite após a conclusão da casa, um incêndio inexplicável a destruiu. A atual construção, só foi iniciada em 1902, e estava intacta e bem preservada. Abria para visitas, e como a casa era muito grande e havia muitas coisas para conhecer, onde existiam 11 setores do tour, como passeio pelo Complexo inteiro do Clanhouse, pelas arquiteturas, murais e relíquias religiosas. Era necessário pagar uma taxa para manutenção do lugar, que permanecia aberto diariamente das 9.00 as 17.00h.

As muralhas de 10 metros de altura, revelavam de longe o Fort Cornwallis. Construído pela primeira vez em madeira, pelo Capitão Francis Light, em 1786, só veio ganhar sua forma atual em 1804. Após ser um Forte que protegia a cidade, seu status militar acabara decaindo e o lugar se tornou uma Base para Forças militares. Na Segunda Guerra Mundial, tropas japonesas tomaram o controle de Cornwallis, utilizando-o como um armazém para suprimentos bélicos e suprimentos em geral. ​Além da importância cultural e histórica para Penang e para a Malásia, Cornwallis  era um point turístico, e local que possuia restaurante interno e uma loja. Penang Hill, referia-se ao Resort, da colina que englobava diversos picos da ilha de Penang.

 

Também conhecido em malaio, como Bukit Bendera – o pico mais alto em Western Hill, tem 833 metros de altitude – era usado antigamente como um ponto para retiro espiritual, hoje era um destino turístico muito visitado. O passeio podia ser feito de diversas formas, porém a mais interessante era pelo Penang Hill Railway, um sistema ferroviário funicular. O trem começava no Air Itam, no sopé da colina, e levava o visitante por um tour através de belíssimas paisagens, patrimônios culturais e muitas outras atrações. Os tickets tinham dois tipos, para os malaios e para os não-malaios, e os valores eram diferentes conforme categoria e idade.

O Aeroporto de Penang tinha bastante movimento e era servido por várias companhias aéreas, especialmente pelas low costs asiáticas, que voavam de/para quase todos os lados a preços competitivos. Também era possível chegar a Penang, por via aérea, desde várias cidades do país, como Kuala Lumpur, Malaca, Langkawi, Kota Bharu, Johar Bahru, e também desde outros países vizinhos, como Singapura, Tailândia, Vietnam, Indonésia, Myanmar e mesmo da China.

O ônibus era um meio de transporte bastante popular na Malásia. Conseguia-se chegar a Penang e George Town, desde praticamente qualquer ponto do país e os bilhetes podiam ser comprados online, facilmente, através dos sites BusOnlineTicket.com, ou 12Go.Asia. Se o destino fosse George Town, a sugestão era sair em Butterworth, ainda do lado do continente, e atravessar de Ferry para a ilha. O terminal de ônibus de Penang (Sungai Nibong Bus Terminal), não ficava em George Town,  era mais fácil e prático apanhar o Ferry, que demorava apenas cerca de 20 minutos, era barato e chegava mesmo no centro, onde depois se podia caminhar à procura de hospedagem. O Terminal de Butterworth, agregava todos os meios de transportes, o que tornava  fácil a transferência de um para o outro.

Táxi

Os táxis na Malásia não era confiáveis, uma vez que os condutores se recusavam a usar o taxímetro e quase todos os carros estavam em mau estado de conservação. Felizmente, a Uber operava em Penang e essa era uma excelente alternativa para quando precizasse de um transporte mais confiável, para andar à noite, para ir para o Aeroporto mais cedo, entre outras corridas.

Onde dormir em George Town - Penang

Para George Town, lembre-se  dos nomes de Armenian Street e Chulia Street, as zonas mais centrais e mais interessantes para onde se hospedar.

Armenian House - Lebuh Armenian, 35 -

Era uma guesthouse econômica, mas muito bem arranjada, que ficava em plena Armenian Street.

 

Armenian Street Heritage Hotel  ( Hotel colonial )Lebuh Carnarvan, 139 -

Era grande e localizado muito perto da Chulia Street.  Era um hotel do tipo tradicional, mas estava instalado num bonito prédio colonial e também tinha  uma boa relação qualidade/preço.

   

Chulia Mansion - (Hotel) Chulia Street, 413 -

Era um dos hotéis mais conhecidos de Chulia Street. O hotel em si, não tinha nada de especial, mas tinha uma boa relação qualidade/preço e sua localização era ótima.

Cintra Heritage House ( Guesthouse ) - Lebuh Cintra, 13 -

Era uma guesthouse econômica e boa, que funcionava numa casa muito bonita, de estilo colonial, com uma localização perfeita, numa travessa sossegada da Chulia Street.

Hotel Cititel Penang  Jin Penang, 66 - 

Era um dos hotéis tradicionais de referência, em George Town. Estava localizado na Rua Jalan Penang, uma transversal no final da Chula Street, onde havia mais alguns hotéis, bares e discotecas.

Ryokan Muntri Boutique ( Hostel ) – Fica na chamada rua dos hoteis - Muntri Street, 62 -

Destacava-se pelo conceito e pela qualidade. Nesta mesma rua, transversal à Love Lane, havia vários outros hostels que também tinha uma boa recomendação.

The Frame - (Hostel) –  Chulia Street, 62 - 

Era um hostel de estilo moderno, que tinha também alguns quartos privados e com banho.​

Onde comer em George Town

Na Malásia, qualquer atividade que fizesse tinha que inclur comida! Comer era um dos principais passatempos dos malaios e, talvez por isso, não seja de admirar a variedade e qualidade de petiscos que existiam. A cidade de Penang era, provavelmente, o lugar onde melhor se comia na Malásia. Por toda a cidade era possível encontrar restaurantes e bancas de comida, mas era no eixo Chinatown ( comida cantonesa ), Lebuh Chulia ( comida de rua ) e Little India ( comida indiana ) que tudo acontecia com maior ênfase! Os locais gastronômicos eram tantos e tão bons, que ficava difícil destacar algum.

Danish Byiriani House - 

Era outro restaurante indiano, que ficava na Chulia Street, quase ao lado das bancas de Street food. Os preços eram mais elevados que o Kapitan, e era muito frequentado por turistas. A comida era ótima!

Hong Kee Wan Thun Mee -- 47, P4, Tanjung Tokong 

Ja na zona chinesa, e ao lado da Kim Haus, ficava este moderno Café concerto. Não deixe de experimentar a especialidade Wan Thun Mee, que era uma maravilha. Havia um bom cardápio e sopas diversas.

Ping Hwa Lok Lok - Jalan Pasar -

Era uma banca especializada em espetadas  ( churrasquinho de gato! ). Escolha as espetadas, passe sobre o fogo ou pelo cozimento, coloque-as sobre um pratinho e dê início aos trabalhos. No final, uma empregada vinha para contar os pauzinhos e e efetuava a cobrança.

Night Market - Armenian Street - 

Todos os sábados, das 17:00 as 21:00, havia uma night market na Armenian Street. Era um programa divertido, e uma excelente oportunidade para provar algumas especialidades locais. Era mais uma pura aventura gastronômica!

Old Trafford Burger - Chulia Street, ao lado do bar Chulia Court, em frente à Love Lane.

Era uma banca que tinha os melhores hamburgers da cidade, com algumas mesas na parte de trás, para quem se quiser sentar. Era especializado também em sucos, principalmente o de côco.

Restoran Kapitan - Chulia Street, 93; -  Jalan Macalister, 274; George Town, e Jazz Hotel, 1, Jalan Seri Tg Pinang, Seri Tanjung Pinang -

Era um indiano, muito conhecido no bairro de Little India. Era muito frequentado pelos locais e também pelos turistas e era famoso pelos seus Tandoori e Byiriani Rice. Tinha um menu bem variado.

As atrações em George Town e Penang

Havia muitas coisas para fazer e conhecer em toda a ilha de Penang, e não apenas no centro de George Town e, apesar da maioria dos viajantes  ficarem apenas dois ou três dias, facilmente se encontrava programas e passeios para fazer durante alguns dias.

Clan Jetties  - Pengkalan Weld - George Town - 

Os Clan Jetties  eram um conjunto de molhes da madeira considerados como o último bastião da presença Chinesa na ilha de Penang. Originalmente serviam para ancorar os barcos e para carga e descarga de mercadorias e cada um era, e ainda continuava a ser controlado por um clã. O mais voltado para o turismo era o da família Chew – era  o maior, tinha mais casas, comércio e um bonito templo.

Penang Street Art

Passear pelo centro, observar e fotografar as pinturas de rua, era uma das principais atividades e atrações de George Town e Penang. De fato, a cidade era muito ativa em tudo o que dizia respeito a arte, oferecendo vários museus, exposições, exibições e performances. A maioria dos murais e instalações deste tipo de arte urbana concentravam-se pela Armenian Street, e ruas circundantes e havia uns mapas, que se podia obter no Posto de Turismo ou em qualquer hotel, onde as principais ruas estavam bem assinaladas.

 

Monumentos e prédios históricos

A cidade de George Town tinha vários monumentos e prédios coloniais herdados dos tempos de ocupação inglesa, e a maior parte deles continuavam em uso e estavam muito bem conservados. Assim como Malaca, o seu centro histórico está classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Num simples passeio descontraído pelo centro, era possível admirar diversas destas atrações, como a City Hall, a Queen Victoria Clock Tower, o Fort Cornwallis, o monumento em memória aos heróis de guerra, entre outras destacadas referências históricas.

 

Igrejas, mesquitas e templos

Uma dos aspectos mais interessantes na Malásia, era sua diversidade racial e religiosa. Lado a lado, muçulmanos, hindus, católicos e budistas, conviviam com uma relativa tranquilidade e, aparentemente, sem grandes contratempos. Esta diversidade, num país com tanta gente diferente, resultava num sem número de locais de culto e oração muito interessante de conhecer e visitar. Havia vários templos religiosos espalhados pela  cidade e ilha, como a Mesquita Kapitan Keling, a Catedral da Assunção, o Sri Mahamariamman Temple e o Kek Lok Si Temple.

Parque Nacional de Penang - Pejabat Taman Negara P. Pinang jalan Hassan Abbas - 

Para quem gosta de natureza e de caminhadas, uma visita ao Parque Nacional de Penang era quase obrigatória. Além dos caminhos e trilhas com pontes e excelentes paisagens, havia umas pequenas praias que valiam  conhecer. O acesso ao parque e às respectivas praias se fazia a partir da Vila de Teluk Bahang. Era onde começava a caminhada, que tinha diferentes percursos e tempos. Quem não gostasse de caminhadas, podia simplesmente apanhar um barco para as praias, sem ter que atravessar o parque. Faça a caminhada que durava cerca de 1.30h e retorne de barco.

Penang Hill (Bukit Bendera)

A melhor vista sobre a cidade, conseguia-se desde o topo do Penag Hill. Para chegar era preciso ir por um moderno funicular, para um trajeto com duração de 4 minutos. A vista era magnífica e a sugestão era subir  ao final do dia, para aproveitar o pôr-do-sol e noite. Uma outra sugestão, era juntar esta visita com a do Kek Lok Si Temple, pois ficavam ambas fora do centro e relativamente perto uma da outra.​​

Bares e vida noturna

George Town não é uma cidade com um vida noturna intensa e vibrante como, por exemplo, Kuala Lumpur ou Bangkok. Ainda assim, era possível encontrar alguns bares e uma ou outra boa discoteca para se divertir! Na Love Lane e na Chuila Street havia pequenos bares descontraídos, muitas vezes com música ao vivo, onde se podia beber uma cerveja e bater um papo. Outra área com alguns bares mais moderninhos era no final da Jalan Penang e um dos mais conhecidos era o Slippery Señoritas.

Cafés, Bristôs e Bakeries

George Town estava cheia de modernos cafés e trendy. Era só andar um pouco pelas ruas do centro, que seencontraria vários. Muitos deles, também eram bons locais para utilizar o computador e acessar a Internet. Havia diversos, mas os mais procurados eram o Black Kettle, o Wheller`s Coffe e o Kim Haus.

Fonte: blog Qual  Viagem - Portugal

PENANG 2.jpg.jpg
bottom of page