top of page

MUNICH  - Alemanha  -  parte 2/3

MUNICH seis.jpg

 Karlplatz e a Catedral

Cervejas e cervejarias

Algumas dicas de cervejarias, que por sinal era o que mais tinha na terra da bier. Destacvam-se pela tradição: Hofbräuhaus, que ficava na Rua Platzl 9, com preços altos, era frequentada basicamente por turistas; o Augustiner Bräustuben, na Landsbergerstr 19, com a presença de mais nativos e preços melhores; o Löwenbräukeller, na Nymphenburgerstr, perto da Estação de U-Bahn Stiglmaierplatz, que oferecia cerveja direto da fábrica, por €3, comidas típicas a partir de €6, a porção que se poderia escolher.

​Hofbräuhaus -  Platz, 9 -

​Era a maior cervejaria da cidade, construída em 1589 para fabricar a cerveja que seria consumida pelo Duque Wilhelm V, da Bavária.  Estava localizada no centro de Munich, com seu Biergarten muito bonito e concorrido, que contava com a atuação de bandinhas que animavam a presença dos visitantes. Mesmo que não seja apreciador da bier, dê uma chegadinha até lá para conhecer o prédio por dentro, e vivenciar sua tradição e animação. O espaço existia desde 1607, mas era reservado exclusivamente à Família Real e seus convidados até que, em 1828, o Imperador Ludwig liberou o acesso ao público. 

Era o templo da cerveja mais conhecido da Alemanha, construído pelo Duque Maximiliano I, como extensão da fábrica da cerveja Real Staatliches Hofbräuhaus. Mozart, Lenin, Hitler, Louis Armstrong, e John F. Kennedy foram alguns dos clientes ilustres que marcaram presença na Cervejaria. O primeiro encontro de Adolf Hitler com os Socialistas, aconteceu aqui, em 1920. Abria das 9.00h à meia-noite, 365 dias por ano, o restaurante de longas mesas comunais, tinha sempre um clima de festa, cerveja servida em canecas de um litro, para acompanhar os pratos mais famosos da culinária bávara, como as salsichas Bratwurst e Weissurst, o pretzel Brezn e joelho de porco, ao som de uma bandinha ao vivo, tocando as músicas tradicionais alemãs.

​Neuhauser Strasse e Kaufinger Strasse - ​

Eramo duas ruas exclusivas para pedestres que serviam de ligação entre as praças Karlsplatz e Marienplatz, com seus prédios imponentes, em ambos os lados, acolhendo as principais lojas da cidade, além de bares, restaurantes, livrarias e outros tipos de comércio.

Onde comer e beber

Andechser am Dom – Frauenplatz, 7 -

Era um dos restaurantes favoritos entre os moradores, em busca das delícias típicas e a cerveja da Bavária. O ambiente era bem característico, e o local ficava numa prainha, quase escondido para os turistas.

Haxnbauer – Sparkassenstrasse, 6 -

Era o endereço perfeito para provar o autêntico joelho de porco, à mostra no rolete na vitrine, ao lado da porta de entrada, não tinha como errar. Era crocante, enorme e muito saboroso, meio joelho com dois acompanhamentos, dava para duas pessoas comer bem. O restaurante era parte de um prédio antigo, a Scholasatikhaus, cuja história era contada na primeira página do cardápio

 

The Louis Grill Room – Viktualienmarkt, 6 - dentro do Louis Hotel -

Era então a mais nova presença gastronômica de Munique, a steak house chegou para disputar seu lugar ao sol, trazendo criações originais e deliciosas de cortes de carnes de origem, encomendadas dos melhores fornecedores do mundo. Experiência imperdível para os amantes de carnes.

 

The Terrace Neuturmstrasse, 1 -

Ficava aberto durante o verão, era um dos segredos bem guardados da capital bávara para o happy hour, no alto do prédio do Mandarin Oriental Hotel, que proporcionava um visual 360 graus de Munique, e sem obstruções.

 

Zum Goldenen Kalb – Utzschneiderstrasse, 1 e Blumenstrasse, 1 -

Era a melhor steak house de Munique segundo seus moradores, para saborear o filé mais tenro e da melhor qualidade da cidade. A decoração arrojada, tinha paredes de tijolos à vista, com imagens pinturadas dando nome aos cortes de carne e mesas com toalhas em xadrez vermelho.

Arredores de Munich

Foi na pequena Dachau, cidade que ficava a cerca de 20km de Munique, que os nazistas implantaram um dos primeiros Campos de Concentração da Europa, em 1933. Os números eram assustadores: em 20 anos de existência, mais de 200 mil pessoas vindas de todas as partes da Europa foram encarceradas, e 41,5 mil foram mortas. Em 29 de abril de 1945, os sobreviventes das atrocidades cometidas no local, foram libertados pelas tropas dos Estados Unidos.

A visita era um mergulho na parte mais triste e sombria da história da Alemanha. Durante a visita, era possível conhecer toda a história do odioso Campo de Concentração, como viviam e eram tratados os prisioneiros, depoimentos de sobreviventes, textos e vários objetos da época. Um Memorial Judeu, além de templos pertencentes a outras religiões, também foi instalado no local, com o intuito de homenagear aqueles que aqui padeceram.

O Memorial abria diariamente, das 9.00 as 17.00 (fechando apenas no dia 24 de dezembro). A entrada era gratuita, mas o local também disponibilizava um áudio tour completo pelo preço de 4€. O Guia esavaá disponível em oito línguas, e era uma  maneira de conhecer toda a história do lugar. A viagem de Munique a Dachau. era muito simples e durava aproximadamente 25 minutos. Era só pegar o trem S2 (partindo da Estação Central de Munique) na direção Dachau/Petershausen. Chegando à Estação, o ônibus 726 saia em direção a Saubachsiedlung o deixaria na porta do Memorial (KZ-Gedenkstätte).

 

Museu MERCEDES-BENZ - Mercedesstrasse, 100 -

O empresário Karl Benz, era considerado juntamente com Gottlieb Daimler, um dos pais dos veículos à combustão. A proposta de ambos, era criar veículos  que se locomovessem, sem a tração animal e com maior velocidade. Em 1920, a previsão da dupla era de que cerca de 2.000 veículos seriam criados e seria o suficiente para atender a então demanda.

O início e a evolução do automobilismo no planeta, poderiam ser conferidos e revividos no Museu da Mercedes-Benz, em Stuttgart. De acordo com a fabricante, do Grupo Daimler, eram nove pavimentos em 16,5 mil metros quadrados, que contavam com 1,5 mil exposições dotadas de materiais, que iam desde jornais de época até réplicas em miniatura e documentos oficiais, e mais de 160 veículos históricos. A arquitetura do museu era fascinante. O espaço atual foi inaugurado em 2006, e a arquitetura, remetia às hélices do espiral, que davam forma ao DNA humano. O projeto era da empresa UNStudio, dos arquitetos holandeses van Berkel e Bos, de Amsterdã. O objetivo era mostrar que a marca sempre estava em evolução, gerando novas soluções em mobilidade, mas também provar que o automóvel deveria atender acima de tudo, as necessidades do ser humano.

Com iluminações diferentes, nas mais variadas salas de exposição, com corredores largos, o espaço gerava uma sensação de bem-estar e, por incrível que pudesse parecer, apesar de estar num museu de automóveis, um olhar mais aprofundado e crítico podia perceber que o foco principal da história era sempre o elemento humano. Em território alemão eram 6 os museus da marca Mercedes-Benz e o de Munich, ficava junto a uma das principais avenidas. Foi inaugurado em 2006, e contava com um acervo de mais de 60 veículos, incluindo ônibus e caminhões. Os destaques eram o Papamóvel, criado para atender a visita do Papa Paulo II, e o ônibus criado para a seleção alemã de futebol de 1974. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bate-volta saindo de Munique

Herrenchiemsee - Situado às margens do Chiemsee, o maior lago bávaro, estava o castelo construído por Ludwig II, em 1878, era uma réplica do Palácio de Versailles.

Innsbruck e o Palácio de Cristal Swarowski Era comum os moradores de Munique e Innsbruck fazerem bate e volta entre as duas cidades, nos fins de semana para lazer. A austríaca Innsbruck era uma cidade pitoresca, situada num Vale das Montanhas e no caminho estava o Kristallwelten, o Palácio de Cristal da Swarovski, repleto de atividades, áreas verdes e esculturas, um museu-galeria espetacular e a maior loja Swarovski, do mundo. O passeio de um dia era bem corrido, mas valia para sentir aquele gostinho de quero mais.

Legoland – Para quem estivesse viajando com crianças, o Legoland Deutschland Resort seria uma atração inesquecível para toda a família.

 

Neuschwanstein Era um dos cartões postais da Alemanha, o castelo construído por Ludwig II, inspirara Castelo de Cinderela, de Walt Disney. Era uma viagem de umas duas horas, mas se não tiver tempo para passar a noite na região, valeria reservar um dia do roteiro em Munique, para fazer um bate e volta. Ficava ao lado da bela e charmosa Füssen.

 

Nuremberg - Cidade medieval riquíssima em história, do sacro Império romano ao terceiro Reich, Nuremberg ainda conservava as muralhas protegendo seu centro histórico preservado e onde ficava o imponente castelo, inúmeras igrejas, monumentos e as charmosas casas enxaimel. Aqui foi o palco do famoso Julgamento de Nuremberg, que entre 1945 e 1949,  julgou o alto escalão nazista, pelos crimes de guerra cometidos  contra a humanidade.

 

Rothenburg - Era a cidade medieval mais bem preservada da Europa. Fazia parte da Rota Romântica e era, sem dúvida, um dos grandes destaques de uma viagem pela Bavária.

 

Supermercados na Alemanha

 

Uma das boas coisas a fazer qualquer viagem, era dar um rolê pelos Supermercados com aquela imensidão de produtos diferentes dos que estamos acostumados. Cada vez que entramos em um Supermercado na Alemanha, dá uma vontade de comprar de tudo um pouco.

Supermercados populares - O conceito de popular referia-se a Supermercados de menor porte. Possuem menos variedade de marcas e de produtos sofisticados e são mais voltados para o consumo “básico” e em geral instalados nos bairros. Em média, são um pouco mais baratos, mas a diferença não é tão grande em relação aos demais. Redes que se enquadram nessa categoria: Aldi Süd, Lidl, Netto, Norma e Penny.

Supermercados intermediários - Reúnia os Supermercados que possuiam os produtos mais básicos e também alguns produtos mais sofisticados. Era possível encontrar preços mais baixos em alguns tipos de produtos e caríssimos em outros. As lojas variavam de padrão: existiam filais com lojas grandes e mais arrumadas, e as de bairro, com uma variedade pequena de produtos. Faziam parte desse grupo: Edeka e a Rewe, uma das maiores redes da Alemanha.

Supermercados sofisticados - Eram os Supermercados com mais opções de produtos sofisticados, e lojas com padrão de serem maiores e mais arrumadas. Os preços eram bem parecidos se comparados aos mercados mais populares ou intermediários. Estavamenquadrados nesta categoria: o Kaufland, que podia ser considerado um hipermercado, e o Tegut, um Super, instalado no subsolo do Aeroporto de Frankfurt e uma ótima referência para chegar mais cedo para o embarque e dar um giro em torno de suas gôndolas.

Hipermercados -  Era tradicionalmente onde se encontrava de tudo. As maiores redes na Alemanha eram a MarketKauf, o Metro e a Real.

Observações importantes

Caixas automatizados - Em alguns supermercados na Alemanha, existiam caixas automáticos, onde você mesmo passava o código de barras dos produtos e fazia o pagamento com dinheiro ou cartão de crédito. Entretanto, alguns produtos precisam do OK de um fiscal (bebidas alcoólicas), e nesse caso acabava levando mais tempo do que o caixa “normal”.

Marcas próprias - Quase todos os mercados tinham produtos com marcas próprias, e em geral de excelente qualidade. O Rewe, por exemplo, tinha produtos das marcas Ja! e Rew” que eram muito mais baratos do que os produtos de marcas conhecidas.

Sacolas plásticas - Nenhum dos supermercados na Alemanha forneceia sacolas plásticas, independente do valor de sua compra. Como cobravam em média 10 centavos de Euro, o melhor era levar a própria sacola.

Devolução de embalagens - Repare nas etiquetas dos produtos ou na nota fiscal da compra a cobrança de um valor pelo Pfand. Esse valor se refere ao preço da embalagem, que você paga no ato da compra e tem direito a receber de volta se levar novamente até um supermercado. E a devolução nem precisa ser feita no mesmo local da compra, pode ser em qualquer outro, inclusive de outras redes, menos quando se trata de marca exclusiva de cada mercado. Em alguns mercados esse processo é feito automaticamente em máquinas onde se insere a embalagem (vidro, lata, plástico, etc. ), em outros é feito diretamente no caixa.

Água engarrafada -  Quando comprar água no supermercado,  procure  as garrafas que trazem no rótulo a expressão Still, para água sem gás. As marcas Classic e Naturel  vinham com gás. Mais uma recomendação com relação a água potável/mineral e demais bebidas em território germânico: toda bebida que trazia a expressão Schorlle, vinha acompanhada de gás. Não tinha gás o que viesse com a expressão Apfelsaft.

Horários de funcionamento - Os supermercados não abriam aos domingos e funcionavam das 9.00 as 21.00h. Quando estiver no horário de encerramento você será informado e convidado e finalizar suas compras.

Às compras

 

Quando estiver circulando pela Alemanha e quiser fazer algumas compras ou até mesmo bisbilhotar lojas, shopping e supermercados, aqui vão algumas dicas:

 

Butlers -  artigos para casa, utensílios de cozinha, enfeites, cama e mesa, itens para festas, brinquedos, etc.

dm  - praticava o mesmo estilo de negócio da Rossmann.

Deichmann   era uma grande loja de calçados que sempre tem promoções.

Depot -  atuava na mesma linha da Butlers.

Douglas –  era uma grande rede de perfumaria e a mais conhecida da Alemanha.  

Karstaad – trabalhava no  mesmo estilo da Kaufhof. Seu setor de chocolates era imperdível.

Rossmann  era um lojão que vendia de produtos de beleza a loja de conveniência e supermercados.

Kaufhof   era uma loja de departamentos das mais antigas e tradicionais da Europa. Tudo que possa imaginar eles tinham para vender, com excessão dos artigos da linha branca e de material de construção. A área de alimentação era enorme e completa, perdendo só para a área de alimentação do Shopping Siam Paragon, em Bangkok.

 

Minha primeira experiência como turista visitando a Kaufhof, foi em Frankfurt, por ocasião da Copa do Mundo  de Futebol, em 1974. Saí com duas malas cheias e que depois foram roubadas por funcionários da Air France, na hora do embarque de volta ao Brasil, no Aeroporto de Orly. em Paris.

Dicas para ajudar a se comunicar na Alemanha

Por favor = Bitte

Obrigado = Danke

Até logo Auf wiedershen

Você fala inglês ou espanhol? = Sprechen sie english oder spanisch?

Menu Speisekarte

Prato especial do dia = Tageskarte

Água = Wasser

Cerveja = Bier

Vinho = Wein

Saúde! = Prost! (para cerveja) ou Zum wohl! (para vinho)

Café-da-manhã = Frühstück

Almoço = Mittagessen

Jantar = Abendessen

Salsicha = Wurst

Mostarda = Senf

Apimentada = Scharf

Chucrute = Sauerkraut

Carne grelhada = Rostbrätil

Carne bovina = Rindfleisch

Carne suína = Schweinefleisch

Peixe = Fisch

Frango = Hähnchen ou Huhn

 

 

 

 

Museu Mercedes.jpg
MUNICH chopp.jpg
MUNICH quatro.jpg
MUNICH 4.JPG
bottom of page