top of page

MONTE CARLO - O Cassino e a Formula 1 - Mônaco

MONTE CARLO.jpg

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar a capital do Principado de Mônaco. Portanto, escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui... 

ETIAS 2025 - Autorização para entrar na Europa

Anunciado em 2016, o  European Travel Information and Authorization System (ETIAS) — Sistema Europeu de Informação e Autorização — está cada vez mais próximo de ser concretizado. A nova regra de entrada de estrangeiros na Europa se baseia no sistema americano, com maior segurança e será válido a partir  de 2025, ainda sem data para início dos procedimentos.. O sistema verificará as credenciais de segurança e cobrará uma taxa (atualmente divulgada como sete euros) dos viajantes que visitam os países-membros do Tratado de Schengen, para fins de negócios, turismo, médicos ou de trânsito. Os viajantes, que atualmente visitam a Europa sem Visto, podem entrar na UE e nos países-membros de Schengen, gratuitamente e sem qualquer triagem de segurança digital antes de sua chegada à Europa. Vale lembrar que o ETIAS não será um Visto, mas uma autorização de viagem para viajantes que não precisam de Visto Consular para visitar a Europa.

Com uma população de pouco mais de três mil habitantes, Monte Carlo era um bairro de Mônaco, um dos menores países do mundo. A cidade era  famosa pela riqueza, pelo charme e beleza de suas ruas e prédios, recebendo turistas o ano inteiro, principalmente turistas que procuravam luxo e exuberância. Além de conhecer Monte Carlo, circule pelo Principado de Mônaco, para conhecer seus outros 11 bairros. A área considera a cidade, é formada pelos que eles chamam de bairros: Mônaco Ville, Condamine, Monte Carlo e Fontvieille.

 

Comece o passeio pela praça do Cassino, e visita o famoso Cassino de Monte Carlo, obra prima do arquiteto Charles Garnier - que desenhou a Ópera de Paris -  foi o responsável pelo projeto em 1878. No saguão dava para observar seu revestimento em mármore e suas colunas em ônix. Para visitar a sala de jogos ea preciso pagar uma entrada de 10 Euros e conhecer três dos salões abertos aos visitantes. Não era permitido tirar fotos de nenhuma parte das dependências do Cassino, nem do saguão, e durante o dia não existia dress code para visitação. O traje social era obrigatório somente  para as pessoas que iriam jogar.

 

Ao deixar o Cassino, bem ao lado ficava o restaurante Café de Paris, outro clássico de Mônaco que existia desde a fundação do país em 1868, e exibia um charmoso estilo da Belle Époque. Se estiver circulando por aqui na hora do almoço, dê uma conferida no cardápio e nos preços e depois tome uma decisão.

 

Se não tiver coragem de enfrentar os Euros, dê uma caminhada um pouco mais adiante e siga por uma área cercada de lojas de grifes, hotéis de alto luxo e outros nem tanto, bons e caros restaurantes e um dos hotéis mais charmoso da Europa: o Hermitage, que era um hotel clássico, super luxuoso e com um mobiliário e decoração de extremo bom gosto. Veja se consegue permissão para fazer uma visita por seu interior, confira a vista de seu agradável terraço e termine com um almoço no restaurante Le Vistamar, e sinta o que é mordomia. Apesar do luxo do hotel, os preços de seu restaurante não eram exorbitantes.

 

Se quiser enfrentar uma praia, a Plage do Larvotto era formada por uma estreita faixa de areia, e  que costumava ficar lotada no verão por moradores e turistas. Por ser uma praia pública, podiae ser frequentada por todos sem necessidade de pagar uma taxa, o que nas praias de hotéis e condomínios era necessário. Uma dica: se estiver dirigindo, aventure-se numa circulada pelo Circuito de Mônaco da Fórmula 1. Mesmo que esteja dirigindo um carrinho 1.0, esta aventura será inesquecível e digno de fotos e registro.

 

O famoso Cassino de Mônaco  

Principais atrações da região do Principado:

 

  • Catedral

  • Cassino de Monte Carlo

  • Circuito do GP de Fórmula 1

  • Grutas do Observatório

  • Jardim Exótique

  • Museu de Antropologia da Pré-História

  • Museu dos Souvenirs Napoleônicos

  • Museu Oceanográfico

  • Ópera House

  • Palácio do Príncipe

  • Vila de Mônaco

Onde dormir

Monte Carlo era o distrito mais famoso de Mônaco e por conta disso aqui tudo era muito mais caro. Com a hospedagem  não seria diferente. Já passamos por aqui em cinco oportunidade e em ambas, buscamos lugar para dormir em locais mais afastados de Monte Carlo, como a cidade de Menton, que ficava para os lados da Itália e o bairro de Fontvieille, localizado no oeste de Mônaco, um bairro construído quase inteiramente na água!

 

Considerado como o distrito industrial devido às muitas empresas instaladas, geralmente era esquecido pelos turistas. No local, havia o famoso Estádio de Louis II, um Shopping Center, o Heliporto, o Jardim Princesa Grace Rose, o Animal Garden, museus e o Espace Fontvieille, onde aconteciam muitos eventos, como o Festival Internacional de Circo. Como em Fontvieille a oferta de hospedagem também era grande, optamos por deixar à sua escolha aonde dormir na região e por isso recomendamos pesquisar pelo Booking.

 

Onde comer

 

Bambi – Rue Princesse Antoinette, 11 - 

Este era outro lugar simples, mas agradável e de excelente comida, tanto que durante os preparativos e a realização do GP de Mônaco, o staff de apoio e os mecânicos das equipes lotavam o Bambi. O forte da casa, eram os pratos made in Italy.

Brasserie de Monaco - Quai Antoine 1er, 1 - 

Esta era famosa porque produzia sua própria cerveja. Era uma mistura restaurante com cervejaria e balada nos fins da noite. O cardápio não era grande, mas tinha saladas, hamburger, pizzas e fish and chips.  No almoço,  das 12.00 as 16.00h, tinha a opção do menu fixo, que incluia um prato e uma bebida. No Happy Hour, que acontecia das  18.00 as 20.00h, os drinques tinham 50% de desconto.

Carlo Bar - Avenue Prince Pierre, 1 - La Condamine - 

Ficaa no caminho para o Palácio do Príncipe e em frente a Praça do Mercado, um bar e restaurante que vendia comida francesa, num ambiente simples e agradável, todo decorado  com artigos de esporte, com camisas de equipes de futebol, fotos, troféus e muito mais. Certamente, por conta desse ambiente descontraído e dos vários televisores, atraia a gente do lugar,  além da boa comida e do atendimento correto.

O cardápio era variado e as sugestões incluiam uma buona com salmão defumado, uma carne ao molho roquefort, acompanhada de queijo de ovelha e batatas fritas. Uma das especialidade, era um mega hambúrguer com foie gras e fritas. Se quiser experimentar o vinho da casa, servido em jarra, não se constranja: mande servir. Antes de pedir para passar a régua, experimente uma fatia da torta de frutas rouges. Uma delícia!

Le Boticelli Avenue J.F.Kennedy, 1 - 

O tradicional hábito europeu de colocar o cardápio na porta de entrada dos restaurantes evitava surpresas desagradáveis. Aqui no Boticelli era assim: se imagina que pelo fato de estar estacionado à margem da pista da corrida de F! do GP. de Mônaco, os preços deveriam ser exorbitantes. Nada disso! Tinha um excelente cardápio que incluia os melhores pratos da cozinha italiana, havia uma boa sugestão: bife à milanesa   acompanhado de fritas e um bom vinho chianti.

Monte Carlo Bar –  Avenue Prince Pierre, 1 - 

Era um restaurante simples, localizado próximo a Estação de Trens, e que permanecia aberto diariamente até as 4 da matina. Além de saladas, sopas, massas, pizzas e omeletes, na hora do almoço oferecia um plate du jour que saia por algo em torno de 15/20 Euros.

V.I.P. Very Italian Pizza - Rue Emile de Loth, 2 - 

Para quem gostasse de comer meio ligeirinho, o VIP servia pizzas em fatias para comer in loco ou para levar. O ambiente era pequeno e na parte externa tinha 3 mesinhas com 2 cadeiras cada. Os preços eram bons e de acordo com a proposta de bem servir sem meter a mão no bolso do cliente. Confira.

 

 

MONACO 5.jpg
MONACO1.jpg
bottom of page