top of page

MARSELHA  -  A Notre Dame de la Garde - França

MARSELHA 1.jpg

ETIAS 2025 - Autorização para entrar na Europa

Anunciado em 2016, o  European Travel Information and Authorization System (ETIAS) — Sistema Europeu de Informação e Autorização — está cada vez mais próximo de ser concretizado. A nova regra de entrada de estrangeiros na Europa se baseia no sistema americano, com maior segurança e será válido a partir  de 2025, ainda sem data para início dos procedimentos.. O sistema verificará as credenciais de segurança e cobrará uma taxa (atualmente divulgada como sete euros) dos viajantes que visitam os países-membros do Tratado de Schengen, para fins de negócios, turismo, médicos ou de trânsito. Os viajantes, que atualmente visitam a Europa sem Visto, podem entrar na UE e nos países-membros de Schengen, gratuitamente e sem qualquer triagem de segurança digital antes de sua chegada à Europa. Vale lembrar que o ETIAS não será um Visto, mas uma autorização de viagem para viajantes que não precisam de Visto Consular para visitar a Europa.

 

Marselha tinha mais de 2.600 anos, sendo a mais antiga cidade da França existente desde 600 a.C. foi fundada pelos gregos vindos de Foceia  ( do golfo de Esmirna, na atual Turquia). Era uma cidade voltada para o mar e tinha nada menos do que 14 portos em uma faixa litorânea inferior a 60 quilômetros. Localizada na região da Provence, era rica em história: tinha pinturas rupestres paleolíticas de 27.000 a 19.000 a.C. ( Caverna de Cosquer ) a ruínas do período neolítico de 6.000 a.C. ( sítio arqueológico na colina de São Carlos ). Depois de fundada pelos gregos, passou a pertencer ao Império Romano, e desde então era um porto comercial de suma importância. Por séculos foi disputada, saqueada e até assolada por uma peste. Foi propriedade do Reino da Sicília e, finalmente em 1481, foi anexada ao Reino da França, o que não impedia de disputas nos anos seguintes.

 

Passear pelo Porto Velho era uma obrigatoriedade para os visitantes. Circulando por lá encontraria não só a Marina, mas também uma diversidade de restaurantes, Cafés, elegantes hotéis, entre outros comércios situados a beira mar. Caminhe pelas ruas para pedestres, pelo Fort Saint-Jean, a Ópera em estilo art deco e aproveite os bares e clubes noturnos que faziam a alegria de turistas e moradores. 

Arquipélago de Frioul

Outra oportunidade para conhecer e desfrutar das praias era visitar o Arquipélago cujo acesso era feito de barco, partindo do Velho Porto e o ticket de viagem poderia ser adquirido na hora. As praias podiam ser exploradas à pé ou por uma espécie de trenzinho turístico que circulava pela região.

Bairro Cours Julien -

Situado próximo ao Porto Velho, e a leste da Marina, já abrigara os mercados atacadistas ao ar livre de Marselha. Essa atmosfera ainda seguia viva, e o bairro oferecia mercados de rua, lojas de roupa vintage, Galerias de arte moderna, instaladas em antigos armazéns e muita arte de rua. 

Castelo de If

Localizado na ilha homônima no Arquipélago de Frioul, era uma das atrações mais conhecidas da região, foi popularizada pelo livro O Conde de Monte Cristo. A Fortaleza construída aproximadamente em 1.500, podia ser visitada por tour guiado, em francês ou livremente com audio-guia (disponível em diversos idiomas, menos em português). Em 2019 os ingressos custavam €8 o bilhete integral e €6 o bilhete de grupo, e os horários poderiam alternar de acordo com o período e o dia da visita.

Catedral de Marselha - Rue Fort du Sanctuaire -

Destaca-se pela Virgem Maria dourada, instalada no topo da igreja, com mármore colorido ornamentando seu interior, e belíssimos mosaicos em estilo bizantino. Contava com um museu, com  acervo com mais de 800 anos de história, com estátuas religiosas, modelos arquitetônicos da Basílica, imagens documentvam a libertação de Marselha, testemunhos de historiadores sobre a construção do prédio, e várias outras narrativas. A Basílica de Nossa Senhora da Boa Mãe foi construída a partir de 1853 na colina do mesmo nome, localizada a 154 m. acima do nível do mar, onde um Forte foi criado por François em 1524, para proteger a cidade. Um posto de Vigia para monitorar a Costa permanecera no local até 1978.

 

Sucedeu várias capelas, servindo tanto como um local de culto e peregrinação,  tornando-se muito acanhada,  no século XIX, a atual Basílica foi projetada pelo arquiteto Henry Espérandieu. A Basílica era de estilo romano-bizantino, então em voga e evidenciado pela presença de cúpulas, o uso de pedras poli cromadas, ornamentos incluindo ouro e mosaicos. Havia duas partes distintas visíveis: uma igreja baixa, abobadada e uma igreja alta, que abrigava o Santuário dedicado à Virgem, objeto de uma peregrinação em 15 de agosto. Em 1870, uma estátua monumental da Virgem em bronze dourado foi instalada no Campanário. Conhecida como a boa mãe, a Basílica era muito popular entre os marselhenses e muitos ex-votos foram afixados ou pendurados em seu interior. De outubro a março a Basílica abria das 7.00 as 18.15h e de abril a setembro das 7.00 as 19.15h. A entrada é gratuita e para chegar pegava-se o pequeno trem turístico ou ônibus 60 no Porto Velho, caso queira evitar andar a pé e ter que subir a íngreme colina.

 

Compras

Havia várias opções de lojas pela cidade, seja de comerciantes locais ou grandes marcas internacionais. Tanto nos estabelecimentos de rua como no Shopping Les Docks Village, encontraria boutiques famosas, lojas de cosméticos, e de utensílios domésticos, como a La Maison Marseillaise. Assim como Paris, Marselha também possuia uma Galeries Lafayette, com suas lojas de grifes famosas.

Vida noturna

O melhor local para beber e sair à noite era o Cours Julien. Uma zona semelhante ao Bairro Alto em Lisboa, mas menor. Neste bairro existiam uma vários restaurantes onde era possível comer bem e relativamente barato

 

Gare de Marseille Saint-Charles

Era a principal Estação Ferroviária. Operava serviços diretos de regionais para várias cidades francesas e também uma das Estações Terminais principais para o TGV, no sul da França, tornando acessível Marselha em três horas de Paris, para uma distância pouco mais de 750 km.

Jardins de Magalone  - Boulevard de Michelet, 245 -

Estava localizado no centro da elegante Avenida Michelet. Era uma típica Fortaleza Pprovençal, construída entre 1790 e 1810 seguindo os planos de Pierre Puget (famoso escultor, pintor e arquiteto de Marselha). Foi incluído no registro de monumentos históricos em 1948. Era também onde estava localizada a Cité de la Musique. Envolvendo a Bastide do século XVII, mais de 1,4 hectares de jardim e ao sul, uma capela. O local atual do Jardim Magalone foi sendo gradativamente consumido pela urbanização ao longo dos séculos, perdendo grande parte de seu território. Desde a Bastide, dois terraços se estendiam em direção ao jardim. Duas fontes representando o Rhône e o Saône, bem como inúmeros elementos decorativos de pedra, decoravam o jardim, assim como quatro estátuas que representavam as quatro estações.

 

Museu da Basílica Notre-Dame de la Garde - Rua do Forte do Santuário -

Abrigava mais de 800 anos de história sobre vários temas. Era possível encontrar estátuas religiosas, incluindo a Mater Dolorosa, de Jean-Baptiste Carpeaux, oferendas simbolizando votos, modelos arquitetônicos e artísticos da Basílica, imagens documentais da libertação de Marselha, sob o olho da Boa Mãe, documentos e testemunhos de historiadores sobre a construção da Basílica, objetos litúrgicos e muito mais.

Museu da História de Marselha  -   Rue Henri Barbusse, 2 -

Era um dos mais importantes museus de Marselha e, embora sua construção  não tenha sido concluída até a década de 1980, o local em que se encontrava foi escavado em 1967. Durante a escavação havia inúmeras descobertas arqueológicas e, hoje esses artefatos eram apresentados no museu.  Entre eles havia o casco de um navio do século II, destroços romanos, cerâmica grega antiga, belos mosaicos e muito mais achados na região. 

Museu de Belas Artes - Palais Longchamp - ala esquerda -  Rue Edouard Stephan -

Localizado dentro de uma ala do Palácio Longchampabrigava requintadas obras de arte dos séculos XVI-XIX. Fundado em 1801, era o museu mais antigo. Possui mais de três andares de trabalhos de artistas franceses, italianos, espanhóis e flamengos de vários períodos. Além da arte dentro das paredes, a estrutura do museu era uma obra de arte também. Observe todos os detalhes dessa belíssima construção. Estava localizado na Rue Edouard Stephan, perto da Gare Saint-Charles. Poderia ser alcançado através da linha 2 do Elétrico ou da linha 1 do Metro, na Estação Longchamp. Não era recomendado ir de carro, pois havia pouco estacionamento na área. A entrada para a exposição permanente do museu custava € 6 (tarifa completa) ou € 4 (tarifa reduzida). 

Museu de Civilizações da Europa e Mediterrâneo - MuCEM - Promenade Robert Laffont, 7 - 

Era um projeto moderno inaugurado em 2013, e integrava o antigo Fort St. Jean como parte do museu. Localizava-se na região portuária, perto do Velho Porto. De arquitetura impressionante, contava com diversas obras raras para apreciar – o destaque ficava para a visita ao Forte St. Jean, que teve importante papel militar para a França. O museu apresentava as bases históricas, culturais e antropológicas da cultura mediterrânea. A entrada no museu era gratuita, assim como a entrada ao Forte.

Museu de História Natural - Rue Espérandieu -

Instalado no Palais Longchamp, foi fundado em 1819 e tinha sido um local popular para turistas e moradores visitar há mais de um século. Com mais de 80.000 espécimes de animais, 20.000 espécimes de plantas e 8.000 minerais e rochas, era o melhor lugar para descobrir tudo sobre o ser humano, os animais, as plantas e o Planeta Terra. Ingressos: 6 Euros (inteira) acervo permanente e exposição temporária; 5 Euros para o acervo permanente,  sem exposição temporária; 4 euros (reduzida) para o acervo permanente e exposição temporária, e 3 Euros para o acervo permanente. Ingresso gratuito todos os domingos entre 10.00 e 12.00h, crianças até 18 anos, estudantes de 18 a 26 anos (de todos os países da União Europeia). Ao lado do Jardim ficava o Planetario, aberto todos os dias (exceto segundas e feriados) de 10.00 as 18.00h. Para chegar use o Metro linha 1 - Estação Cinq Avenues – Palais Longchamp - Tramway T2 - Estação Longchamp.

Museu do Sabonete La Licorne - MuSaMa - Quai de Rive Neuve, 25 - 

Um museu dedicado ao sabonete de Marselha acabava de ser inaugurado no centro da cidade de Phocaean. Contava a estória deste produto essencial da cultura provençal, que até hoje mantinha sua fama. Por iniciativa de Jean-Baptiste e Coralie Jaussaud, o MuSaMa foi inaugurado na rua mais antiga da cidade, não muito longe do Porto Velho. Empresários dinâmicos à frente da Grande Savonnerie, queriam dar uma homenagem à este pequeno quadradinho emblemático. Jean-Baptiste, nascido em Marselha, formou-se em direito, era também presidente do Conservatório Nacional de Sabonetes de Marselha. Em um espaço de 413 m² e 4 quartos, o museu era divertido e permitia em 20 minutos entrar na história do famoso sabonete com um artesão. Ele traçava a história e o processo de fabricação via vídeo, de documentos não publicados, como os primeiros cartazes publicitários e itens do patrimônio, como um cortador de sabão ou uma típica cozinha do século XIX. O conteúdo era traduzido em 8 idiomas por meio de um aplicativo.

Museu Grobet-Labadié  -   Boulevard Longchamp, 140 -

Uma bela casa do século XIX abrigava a coleção pessoal da família burguesa Grobet-Labadié. Foi convertida em museu e exibia a arte refinada da alta sociedade do século XIX. Aqui encontraria pinturas, tapeçarias, esculturas, cerâmicas e vitrais. Também se  poderia ver o mobiliário e instrumentos musicais populares na época. O museu oferecia aos visitantes a oportunidade de voltar no tempo para ver como os ricos e famosos franceses viviam , sendo um dos museus  que mais surpreendia e agradava ao visitante.

 

 

 

 

Palácio Longchamp -

Localizado na praça Henri Dunant, era um dos monumentos mais bonitos da cidade. Entretanto, não era um palácio, mas  uma espécie de torre de água. Foi construído no século XIX, para celebrar os desvios do Rio Durance, que terminou com uma seca que se perpetuava na cidade. Em ambos os lados da estrutura localizam-se dois grandes museus: o Museu de Belas Artes e o Museu de História Natural. Sua arquitetura rica em detalhes, fora criação de Henri-Jacques Espérandieu, o mesmo responsável pela construção da Notre Dame de la Garde. A visita poderia ser feita de terça a domingo das 10.00 as 18.00h, com ingressos a partir de €6  e os valores mudavam de acordo com as atrações escolhidas. Também possuia um belo parque para um passeio tranquilo.

Parc Borely - Avenue du Parc Borély - 

Era considerado um dos jardins mais bonitos da França, tinha 17 hectares ocupados por um jardim francês ( em Château Borely ), um inglês, com uma pista para caminhadas ao redor de um lago, uma pista para corridas de cavalos e um jardim botânico. O local poderia ser visitado todos os dias das 6.00 as 20.45h, e a entrada era gratuita.

 

Parque Nacional de Calanques -

Inaugurado em 2012, ficava entre as cidades de Marselha e Cassis, e contava com praias e falésias lindíssimas, formando um parque terrestre e marinho exclusivo na Europa. Eram 14 as praias na região, algumas ligadas por trilhas de difícil acesso, sendo as mais famosas a Calanque d’En-Vau, Calanque de Port-Pin, Calanque de Port-Miou e Calanque de Sormiou.

Praia Bain des Dames

Formada por três pequenas praias, era conhecida por manter intacta as famosas cabanas que antigamente serviam como abrigos para os barcos de pesca, e agora eram propriedades particulares, usadas para promover festas, principalmente a noite. A praia mais movimentada do conjunto era a da esquerda para quem chegava ao local, pois era maior e própria para o banho. A do meio era uma pequena faixa estreita com pedras, e a da direita possuia bastantes rochas no entorno.

Praia do Prado

Formava um conjunto de pequenas praias, criadas nos anos 70 para desenvolver os quilômetros de costa inexplorada, tornando-se uma das mais visitadas de Marselha. O local era bastante freqüentado por um público diversificado, entre jovens e famílias, e possuia um espaço verde próximo ao mar, uma quadra de futebol de areia, e durante o verão, várias estruturas eram montadas para abrigar eventos sazonais.

Praia dos Catalãs

Estava localizada numa região de fácil acesso, era bastante movimentada, principalmente pelos amantes de vôlei. O local possuia uma quadra bem estruturada, e recebia diversos campeonatos durante o ano. Durante o verão, o local era bem concorrido.

Praia dos Profetas

Era uma das praias mais antigas da cidade, e uma das mais populares. Durante o dia recebia famílias que chegavam para curtir o mar calmo e jogar vôlei. Contava com posto Guarda vidas, banheiros, chuveiros externos e quiosques. Durante a noite, era a vez dos jovens ocuparem a extensão da orla, animando o local com concorridos luaus.

 

Onde comer

Por ser uma cidade litorânea, Marselha possuia uma variedade de frutos do mar em seus pratos típicos, e o Bouillabaisse, um delicioso ensopado de peixe e mexilhões, era o destaque da gastronomia provençal. Uma diferenciada pizza também ea oferecida na culinária local, levada pelos imigrantes italianos que aqui fixaram residência. Para experimentar as delícias típicas da Cote D`Azur francesa, visite o Chez Didier et Brigitte, que oferecia uma das pizzas mais elogiadas da região, além de garantir um ambiente acolhedor. Já no Restaurant L’Inattendu, a tradicional culinária francesa era oferecida com pratos muito bem servidos e executados no maior capricho.

 

Onde dormir

Holiday Inn Express Marseille Saint Charles -  $$$ - Boulevard Maurice Bourdet, 15 -

Ficava em frente à Estação de Trens e a 10 minutos a pé do Porto Velho, no centro da cidade. Oferecia quartos com banheiro privativo e Wi-Fi gratuito, isolamento acústico e decoração moderna, ar-condicionado, e TV de tela plana via satélite. Um café da manhã  era oferecido, e o bar Le Mistral serve refeições leves. A Estação de Metrô Saint-Charles (linhas 1 e 2) oferecia acesso direto ao Parque Chanot e ao centro da cidade. Dispunha de estacionamento privativo por um custo adicional.

Ibis Budget Marseille Vieux Port -  $$$  - Rue Sainte, 46 -

Localizado no centro de Marselha, seus quartos tinham ar-condicionado, TV de tela plana via satélite, WiFi cortesia, mesinha auxiliar e aquecimento. O banheiro tinha chuveiro e produtos de banho de cortesia. O buffet de café da manhã estava incluído na diária. Tinha um bar no prédio, especializado em coquetéis e o estacionamento era pago. 

ibis Marseille Centre Euromed - $$$ - Boulevard de Dunkerque, 25 –

Os quartos climatizados dispunham de TV com canais por satélite e por cabo, camas large, ar condicionado e banheiro privativo com secador de cabelo e chuveiro. Café da manhã incluido. Os hóspedes podiam jantar no restaurante à carta do hotel ou desfrutar de uma bebida no bar do terraço. Havia estacionamento público subterrâneo, disponível nas proximidades, com desconto para os hóspedes do hotel.

 

ibis Marseille Centre Gare Saint Charles  - $$$ - Square Narvick, 1 -

Os quartos tinhamar-condicionado, mesa auxiliar e TV de tela plana a cabo, banheiro privativo com chuveiro, secador de cabelo e produtos de banho de cortesia. O buffet de café da manhã incluia doces e salgados com ovos, salada de frutas, iogurtes e sucos, madeleines  feitas na hora, e bebidas quentes. Além do café da manhã, havia opções mais leves disponíveis a partir das 4.00h. Estava localizado a menos de 50 metros da estação de trem Marseille Saint Charles e da estação de Metrô Saint Charles, com acesso às linhas 1 e 2. No terraço tinha um bar e uma cancha de bochas.

 

Meininger Marseille Centre la Joliette -  $$$ - Rue de Forbin, 25/27 –

Dispunha de bar, lounge compartilhado e vista da cidade, estava localizado a 400 metros do Shopping Center Les Terrasses du Port. Todos os quartos incluiam ar condicionado, TV de tela plana e banheiro privativo. Servia café da manhã padrão continental. Tinha serviço de Recepção 24 horas, cozinha compartilhada e organização de passeios para os hóspedes.

Capelas, Igrejass e afins

Para quem aprecia visitar igrejas, capelas e santuários, a cidade de Marselha é um prato cheio, até porque o que não deve faltar por aqui são os fiéis...

Veja a seguir a lista das principais referências religiosas da cidade: 

  • Capela dos Bernardinos -  Corso Garibaldi, 17 -

  • Capela dos Penitentes Negros – Rua do Bom Jesus –

  • Capela dos Penitentes Negros D`Aubagne -   Caminho de St. Michel – Les Aires -

  • Catedral de Notre Dame de La Garde -  Rue Fort du Sanctuaire - 

  • Convento dos Padres Dominicanos – Rua Edmond Rostand, 35 –

  • Igreja da Missão da França – Rua Tapetes Verdes, 44 -

  • Igreja de Santo Antonio – Boulevard de Casablanca, 51 -

  • Igreja de São Bartolomeu – Avenida Claude Monnet, 12 -

  • Igreja de São Cannat - 4 Rue des Prêcheurs, 4 –

  • Igreja de São Ferréol – Quai des Belges, 1 -

  • Igreja de São José – Boulevard de Louvain, 26 -

  • Igreja de Note Dame das Águas -   Place Daviel, 10 –

  • Igreja de Notre Dame do Monte – Rua du Lodi, 1 -

  • Igreja de Notre Dame do Rosario –

  • Igreja de Santa Rita de Marselha – Avenida dos Poilus, 366 -

  • Igreja de São Lourenço -  Esplanade da Tourette, 16 -

  • Igreja de São Teodoro – Rua dos Dominicanos, 13 -

  • Igreja de São  Vicente de Paula – Corredor Franklin Roosevelt, 2 –

  • Igreja do Valão de L`Oriol -  Caminho de Vallon de l'Oriol, 228 –

  • Igreja dos Grandes Carmas – Rua do Hugolins, 12 -

  • Igreja dos Penitentes Brancos dos Carmas – Rua do Pavilhão, 29 – Aix-en-Provence

  • Igreja Mesquita de São Nicolau de Myre -  Rua Edmond Rostand, 19 –

MARSELHA longchamp´s.3.jpg
MARSELHA catedral.4.jpg
MARSELHA 5.jpg
bottom of page