top of page

LOS ANGELES - A Meca da cinematografia Califórnia - USA  - parte 1/2

LOS ANGELES 2.jpg

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar esta famosa cidade californiana. Escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui... 

 

Los Angeles era a segunda cidade mais populosa dos Estados Unidos, com uma população próxima dos 4 milhões de habitantes e classificada como a 13ª maior área metropolitana do mundo, com cerca 17.700.000 de pessoas que vivia na área da Grande Los Angeles. ​Fundada em 4 de dezembro de 1871, em nome da Coroa de Espanha, pelo Governador espanhol  Don Felipe de Neve, com o topônimo El Pueblo de Nuestra Señora la Reina de los Angeles del Río de Porciúncula.   Fazia parte do México em 1821, após sua Independência da Espanha. Em 1848, no final da Guerra Mexicano-Americana, Los Angeles e o resto da Califórnia, foram adquiridos como parte do Tratado de Guadalupe Hidalgo, integrava-se aos Estados Unidos, enquanto o México mantinha o território da Baixa Califórnia. ​Chegando em Los Angeles pela Costa, siga até a praia de Malibu e Santa Monica e vá ao Pier, para conhecer a única Montanha Russa do mundo, que funcionava a energia solar. Santa Monica foi projetada por Abbot Kinney, para ser uma réplica de Veneza, mas sem gondoleiros. Para conhecer os 25 km de canais, comece pelo Grande Canal e siga suas pontes.

Comentário

Los Angeles entrou na rota do socialismo, do comunismo inconsequente. Agora administrada por pseudo-socialistas, criaram uma lei que favorece ao descalabro e a irresponsabilidade: o vagabundo agora pode roubar o que quiser, em qualquer lugar, no valor de até 950 dólares, que não poderá ser detido. Vale tudo!  As ruas e avenidas estavam repletas de barracas com gente de toda a espécie, que nada fazem e vive de furtos, roubos e achaques a quem circulava. Vai ser difícil a cidade voltar a normalidade... e o mesmo estava acontecedo em San Francisco e San Diego. 

O que visitar...

​Beverlly Hills

​Rodeado por Los Angeles em três lados, e West Hollywood ao leste, Beverly Hills não era um bairro, era praticamente uma cidade independente, com residentes (incluindo estrelas como Jack Nicholson e Warren Beautty, que podiam entrar e sair das lojas top, e desapariaem para dentro de suas residências. O coração comercial, era o triângulo dourado, formado por três quarteirões delimitados pela Santa Monica Boulevard, Wilshire Boulevard e Canon Drive. Aqui, encontraria na Rodeo Drive,  joalherias do porte da Tiffany & Co. e Harry Winston, além de todos os designers imagináveis, de Armani  a Hermenegildo Zegna.

​Se não estiver se sentindo à vontade o suficiente, até mesmo para olhar as vitrines, a cidade oferecia um encantador passeio de bonde, de 40 minutos. A riqueza e o glamour dos anos dourados da região, ainda podiam ser vistos no opulento Greystone Manor, construído pela família Doheny, no auge do boom do petróleo, em 1928. A mansão e os exuberantes 7,3 hectares de parques e jardins que a rodeavam serviam de locação usual para comerciais, programas de televisão e gravações de filme. O Paley Center for the Media,  irmão de um museu com o mesmo nome, na cidade de Nova York -  era um santuário sobre como a maioria dos residentes de Beverly Hills fizeram suas fortunas. Os visitantes podiam solicitar um show favorito, de uma coleção de mais de 120.000 programas, cobrindo 85 anos de exibições, e assisti-lo em uma cabine privativa.

Cars Land - 20 Route 66 -  Anaheim - Califórnia

Radiators Springs Racers era mais do que uma atração; era uma jornada emocionante repleta de diversão, beleza e momentos de pura adrenalina! Desde a entrada na pitoresca cidade de Radiator Springs até as corridas eletrizantes, cada momento era um espetáculo para os sentidos. A atmosfera alegre, os detalhes e a emoção tornam essa atração uma verdadeira obra-prima da Disney. Prepare-se para se surpreender com a combinação perfeita de tecnologia e narrativa envolvente enquanto mergulha neste universo encantador! Radiators Springs Racers era mais do que um passeio; era um espetáculo cativante que iria lhe transportar para o mundo mágico de Cars.

Disneyland Califórnia  - Anaheim -

​A Disney da Califórnia estava localizada em Anaheim, bem ao lado de Los Angeles, era um Complexo formado por hotéis, pelo Downtown Disney District, e pelos parques Disneyland e Adventure Park. Se estiver acompanhado de crianças, inclua a Disneyland na sua programação de passeios e por nossa sugestão, fique hospedado na região, para evitar as auto-estradas e o deslocamento. Escolha a região de Dowtown Disney District e hospede-se no Howard Johnson Anaheim, que ficava na 1380 S. Harbor Boulevard,   muito perto dos parques e tinha um bom preço para a hospedagem.

 

Oferecia quartos enormes, claros e confortáveis, camas tamanhos Queen e King ou somente uma cama casal extra-large, quartos com beliche duplo para crianças, acesso grátis a internet, ar condicionado, mesinha auxiliar, TV de LCD, frigobar, forno de micro-ondas e cafeteira, um baita banho, piscina  e um pequeno parque aquático para as crianças. Como não servia café da manhã, nos arredores próximo ficava o restaurante Mimi`s Café, com excelentes propostas para lanches e café da manhã. O hotel estava a 10 minutos a pé dos parques Disney.  O Parque Disneylandia  era imperdível. Foi a primeira criação do genial Walt Disney que tinha como propósito construir um lugar totalmente mágico, repleto de atrações e muita alegria. Este parque deu tão certo e ficou tão famoso, que foi construído em outros lugares como Paris, Tóquio e, em Orlando. Atrações como o Castelo original da Bela Adormecida, Indiana Jones Adventure e a Space Mountain faziam sucesso entre os turistas.

 

Disney Califórnia Adventure Park - Anaheim 

Outro parque que fazia parte da Disney Califórnia, era o Disney Califórnia Adventure Park, inaugurado em 2001, passou por uma reforma em 2007, que fez com que o parque tivesse ainda mais atrações. Entre as atrações de destaque estavam: California Screamin', Radiator Springs Racers, e Grizzly River Run. Os dois parques ficavam bem em frente um ao outro e poderia tentar conhecer os dois em um mesmo dia, ou reservar um dia para cada um e pernoitar por lá.

Onde comprar os ingressos dos Parques

Muitas pessoas ficavam confusas na hora de comprar os ingressos dos parques de diversões da Califórnia, e não sabiam qual era a melhor opção e onde comprar. Mais barato e mais prático de comprar seus ingressos, era antes de viajar, comprar com uma empresa credenciada, aqui no Brasil. Algumas  empresas Operadoras, possiaem preços ótimos, e não era preciso pagar os 6% de IOF e a compra era feita em Reais, podendo parcelar no cartão e já viajar com os ingressos em mãos.

 

Os ingressos mais vendidos dos parques de diversões da Califórnia, eram nessa ordem: Os dois Parques da Disney ( Disneyland e Disney Adventure), o  Universal Studios Hollywood, o Sea World San Diego, o Six Flags, o Legoland, o Knott's Berry Farm e o San Diego Zoo. Só os parques da Disney, era que tinham mais de uma opção. O pacote Dois Dias Básico, dava acesso a um parque por dia. A opção Dois Dias Park Hopper, dva o direito de no mesmo dia, visitar os dois parques e no outro visitar novamente ambos, podendo sair de um e entrar no outro, sem nenhuma restrição.

Hollywood

Era​ um distrito da cidade de Los Angeles, de grande importância na constituição da identidade cultural dos Estados Unidos, e estava situado a noroeste do Downtown.  O Distrito se tornou famoso mundialmente, pela concentração de empresas do ramo cinematográfico e pela influência que exerceu na cultura global. ​Com o passar das décadas, Hollywood se tornou símbolo da poderosa e fantástica indústria cinematográfica americana, sediando premiações e abrigando homenagens públicas, para os mais destacados artistas de cinema e musicais do mundo. Um simbolo marcante era o grande letreiro, chamado Sinal de Hollywood, instalado numa montanha próxima, e também pela enorme concentração de pessoas ricas e famosas que moravam neste e nos demais distrito próximos.

​Devido à sua fama e identidade cultural, como o centro histórico de estúdios e astros de cinema, a palavra Hollywood, era frequentemente utilizada como uma metonímia do cinema americano, e era muitas vezes usada alternadamente para se referir à Grande Los Angeles em geral. As alcunhas StarStruck Town e Tinseltown, referiam-se a Hollywood e sua indústria cinematográfica. Atualmente, grande parte da indústria do cinema se dispersou pelas áreas vizinhas, como a região de Westside, entretanto, significativas indústrias auxiliares, tais como empresas de edição, efeitos, adereços, pós-produção e iluminação, ainda permaneciam por aqui, como o backlot da Paramount Pictures. Aqui era onde acontece a entrega do Oscar, prêmio máximo da Academia de Cinema dos Estados Unidos.

​Comece o dia passeando pelas calçadas da Hollywood Walk of Fameque tinha quase mil placas sobre o piso das calçadas, com as impressões de mãos e pés dos mais destacados artistas do mundo. Visite o Chinese Theater, o prédio da Capitol Records e dê uma paradinha na loja dos chocolates Ghirardelli, os mesmos  que encontrará em San Francisco. ​Continuando, siga para a Melrose Avenue, para experimentar a comida italiana do restaurante AGO, de propriedade do ator Robert De Niro, que ficava no número 8478 da mesma avenida. Se quiser conhecer um estúdio cinematográfico, existiam duas opções: o programa da Paramount, que continuava em plena atividade,  ou o da Universal, que estava mais para um parque de atrações múltiplas. Poderia  ir de carro e comprar o ingresso para a visitação, que em janeiro de 2018, custava 40 dólares por pessoa. ​Uma das atrações clássicas, era o Observatório, Planetário, mirante e monumento: o Observatório Griffith, era um cartão-postal multiuso. Foi idealizado por Griffith J. Griffith, um personagem cheio de facetas: milionário da mineração, entusiasta da astronomia, filantropo e assassino da esposa. O prédio, uma obra-prima art-déco,  valia sozinho uma visita. Dentro se poderia ver um Pêndulo de Foucault, em exposição permanente, além de mostras temporárias. A entrada era gratuita.

​Nas noites de céu claro, o poderosíssimo telescópio Zeiss, era posto à disposição do público; até 600 visitantes que enfrentassem a fila, poderiam dar uma espiadinha sem pagar nada. Para assistir às sessões do Planetário, pagava-se de US$ 5 a US$ 8. Pelo lado de fora, a atração era uma das vistas mais bonitas de Los Angeles — incluindo o melhor ângulo para se ver o letreiro de Hollywood. Estava situado no topo do Griffith Park, numa das colinas do monte Hollywood. Funcionava de quarta a sexta, das 12.00 às 22.00h; sábado e domingo a partir das 14.00h.

Museus

County Museum of Art  - Wilshire Boulevard, 5905 -  

Denominado LACMA,  erauma das atrações  mais famosas da cidade, estava localizado na Wilshire Boulevard, próximo a vários outros museus que também mereciam uma  visita: La Brea e Petersen Automotive Museum, entre outros. Era considerado o maior centro de arte do Oeste americano,  portanto parada obrigatória a qualquer turista que visitar a região. 

 

O Museu do Condado de Los Angeles, reservava um acervo de mais de 120 mil obras que representavam a arte, desde os tempos remotos até os dias atuais. Dentre as principais coleções, estavam obras de artistas como Picasso, Paul Klee, Jasper Johns e Louise Nevelson. O Museu tinha quatro centros gastronômicos: Stark, LACMA Café, C + M  e Ray's, que era considerado um dos melhores restaurantes da cidade. Horário de funcionamento: Segundas, terças e quintas, das 11.00 às 17.00h. e Sextas, das 11.00 às 20.00h. Sábados e domingos, das 10.00  às 19.00h. O museu permanecia fechado todas as quartas-feiras. - Ingressos:  adultos pagavam 15 dólares. Sênior e estudantes, somente 10 dólares. Para  jovens de até 17 anos, o ingresso era grátis.

Craft and Folk Art Museum  -  CAFAM -  Wilshire Boulevard, 5814 -

Era o Museu Contemporâneo, inaugurado em 1973 e aberto ao público somente dois anos depois, estava localizado na Wilshire Boulevard, em frente ao George C. Page Museum e o La Brea Tar Pits. O Museu ficava numa região chamada Miracle Mile, sendo um dos lugares com o maior número de museus da Califórnia, perdendo somente para o Balboa Park, em San Diego. A região situava-se junto ao bairro de Mid-Wilshire, próximo ao centro da cidade, e se estendia por cerca de 2km pela Wilshire Boulevard, entre as avenidas Fairfax e Highland. Horário de visitas: de terça a sexta, das 11.00 às 17.00h. Sábado e domingo, do meio-dia às 18.00h. A primeira quinta-feira de cada mês, das 18.30  às 21.30h. Ingressos: Adultos: U$ 8, estudantes e idosos, com mais de 65 anos, pagavam U$ 5. Para crianças até 10 anos era gratuito.

FIDM - Museum & Galleries -  South Grand Avenue, 919 - Suite 250  -

Luzes, câmera e...figurinos!. A instituição tinha ligação íntima com o cinema. Em seu acervo de mais de 12.000 peças, estava uma enorme quantidade de itens de Hollywood do passado e do presente, incluindo figurinos, como o vestido rosa-choque dos anos 1940, usado por Lady Gaga, em American Horror Story: Hotel.

 

 

 

 

 

 

 

 

​J. Paul Getty Museum e Getty Center -Pacific Coast Highway, 17.985 - próximo da San Diego Freeway( I-405) -

Era um mega centro cultural, situado no alto da montanha, em Brentwood. Todas as exposições, eram amplamente divulgadas com banners, em partes estratégicas da cidade. Não se perderia a viagem: no mínimo, iria se surpreender com os originalíssimos jardins de Robert Irwin. As exposições eram gratuitas. O acesso era pela Freeway 405, que naquele trecho se chamava North Sepulveda Boulevard. Funcionava de Terça a domingo, das 9.00 às 17.30h (sábado até as 21.00h). O estacionamento custava US$ 15 pelo carro que se poderá deixar na garagem e subir até o centro, pelo monotrilho. Aproveite para tirar fotos da Highway, porque a vista também era surpreendente.

Paul Getty fazia fortuna com o petróleo, e se tornava um fervoroso colecionador de arte e queria que sua coleção - focada na arte européia do Renascimento ao Pós-Impressionismo - fosse franqueada livremente ao público. Aqui também estavam obras da antiguidade etruscas, gregas e romanas, que estiveram por longo tempo em exposição na Getty Villa, em Malibu. O Getty Center foi criado pelo arquiteto Richard Meier, que a princípio, poderia parecer uma fortaleza, mas na parte superior, o ambiente era acolhedor, com fontes, passarelas, pátios e cantos aconchegantes. O Museu tinha um saguão de entrada alto, ventilado, que dava para o pátio central. A partir daqui, se distribuiam cinco pavilhões em dois andares. Vindo pelo bondinho e cruzando a praça principal, havia uma Cafeteria e um restaurante. Havia outro Café e  uma livraria instalados dentro do Museu.

Museu de História Natural  - Exposition Boulevard, 900 -  

Era considerado o maior museu do gênero no oeste americano, foi inaugurado em 1913 e abrigava um acervo de mais de 35 milhões de artefatos, que contavam a história do planeta terra. Sua estrutura era magnífica, apresentando três andares de exposições, que se dividiam em temporárias e permanentes. Estava  bem localizado, junto ao Exposition Park e próximo de diversos pontos turísticos, como o California African American Museum e o Los Angeles Memorial Coliseum. O Museu abria todos os dias, das 9.30 as 17.00h e para chegar bastava pegar a linha 204 de ônibus ou Metrô Expo Line 806. Os ingressos custavam U$ 18,00 para adultos, sênior e estudantes pagavam U$ 14,00 e crianças de 3 a 12 anos pagavam U$ 8,00 e até 2 anos era gratuito.

Museu Petersen Automotive -  6060 Wilshire Boulevard -

Inaugurado em 1994, era um dos museus automotivos mais renomados do país. Reunia os carros de filmes com a exibição Hollywood Dream Machines. Eram  mais de 50 veículos de 20 diferentes filmes de ficção científica, juntamente com objetos de cenários e desenhos esquemáticos, parte da criação desses universos imaginários. Entre eles, estava o DeLorean , a máquina do tempo de De Volta para o Futuro. Entre outros, estava o Batmóvel, de 1989, dirigido por Tim Burton. Outros destaques eram o Mach 5, de Speed Racer; o Black Beauty, de Besouro Verde, e o Bumblebee, de Transformers. Também estão expostos o Audi RSQ, de Eu, Robôo Audi R8 do Homem de Ferro; o RT01, de Prometheus; o GM Ultralight, de O Demolidor  e a viatura de Blade Runner. Entre os carros de filmes menos conhecidos, estava o Shala Vette, de Corrida da Morte – Ano 2000; o Pantera Negra;  Jogos Vorazes;  Mad Max: Estrada da Fúria e A Vigilante do Manhã: Ghost In The Shell. Não eram somente os carros que tinham o seu espaço. As motos de filmes também. Entre elas, a Batpod de Batman: O Cavaleiro das Trevas; a Light Cycle de Tron: o Legado, e a moto exterminadora de O Exterminador do Futuro: A Salvação.

Catedral de Cristal - Chapman Avenue, - Garden Grove – Orange/Califórnia.

Quando estiver circulando de carro por Los Angeles, aproveite para conhecer a fantástica Catedral de Cristal, lindamente coberta com 10 mil painéis de vidro, que foram projetadas pelo renomado arquiteto Philip Johnson. A incrível estrutura tem atraído admiradores, desde sua construção em 1980. O salão principal da emblemática igreja, tinha 2.700 assentos para acolher os fiéis. Estava apenas a 47 km de Los Angeles pela rodovia I-5-N, num percurso de 30 minutos. A Catedral de Cristal, fundada pelo Rev. Robert H. Schüller, em Garden Grove, Califórnia, passou para as mãos de uma Diocese da Igreja Católica, através de uma venda de 57,5 milhões de dólares (aproximadamente 108 milhões de reais), realizada em 2012. Foi reinaugurada no dia 17 de julho de 2018, com o nome de Catedral de Cristo, acompanhada de uma série de eventos, que incluíram a primeira Missa católica, presidida por Dom Kevin Vann, Bispo de Orange.

Santa Monica

​​Bem-vindo a Santa Monica, cidade constituída desde 1907, delimitada pela estonteante Los Angeles de um lado e pelo grande mar azul do outro. A comunidade litorânea de L.A. não era mais a sonolenta, vagarosa e relaxante cidade de veraneio que foi no passado. As ruas planas de Santa Monica, eram perfeitas para caminhar, correr, pedalar ou curtir o sol, quando a névoa da manhã se dissipasse. ​O Third Street Promenade, outrora um pacato centro de compras de rua — e também um dos primeiros do país —, era agora o modelo perfeito de novos espaços urbanos e um dos locais de encontro preferidos do sul da Califórnia, com suas lojas, Cafés e cinemas. Embora seja inegavelmente um lugar agradável para passear, também era uma oportunidade para conhecer a histórica Santa Monica, bem preservada, e o que ela tinha de melhor: o famoso Santa Monica Pier. Instituição admirada desde 1909, ele ostentava uma coleção de brinquedos clássicos de parques de diversão, lojas de souvenir de conchas marinhas e, o melhor de tudo, um genuíno Carrossel de madeira, de 1930, imediatamente reconhecível por todos aqueles que assistiram o filme Um Golpe de Mestre.

​A poucos quarteirões de distância, se poderia encontrar com celebridades do West Side, como os Hanks-Wilsons e os Spielbergs, bisbilhotando nas sofisticadas boutiques ao longo da Montana Avenue. O fascinante mercado dos fazendeiros ( Farmer`s Market ) às quartas e sábados, reunia Chefs amadores e profissionais locais (alguns dos quais faziam demonstrações culinárias especiais), à procura do melhor em produtos orgânicos e sazonais, em cores e variedades. Para quem gostasse de curtir Shoppings, aproveite que junto ao mercado, estava o mais concorrido Shopping da cidade: o The Grove, que além de reunir as melhores grifes, também oferecia um amplo estacionamento cortesia.

Para quem preferisse ter sua comida preparada e de uma forma nada menos do que divina, opte pela cozinha italiana do suntuoso Valentino, onde o lendário anfitrião e proprietário Piero Selvaggio, tratava seus clientes como parentes que não via há muito tempo, e a adega que continha mais de 100.000 garrafas, era aclamada como a melhor de todas. ​Junto à praia, e com vista para o Píer, encontrava-se o agradável Shutters on the Beach, um dos únicos dois hotéis em Santa Monica, posicionados diretamente na praia, e não no outro lado da rua. Era um dos hotéis mais fascinantes da região, pois conseguia combinar a aparência casual do Cape Cod Resort todos os quartos tinham varandas que se abriam para deixar entrar o barulho do mar), com todas as luxuosas comodidades que seus clientes VIP poderiam exigir, incluindo um SPA e refeições à beira-mar, no One Pico ou no Pedals Café.

​A poucos passos de Santa Monica estava a ainda excêntrica e encantadora comunidade litorânea de Venice, fundada em 1905 por Abbott Kinney, que idealizou uma Veneza americana. Kinney a projetou para incluir canais, arquitetura italiana e autênticas gôndolas importadas, há muitas desaparecidas. Embora os canais ainda existissem, eles eram muito menos notáveis do que o famoso Deck de Venice Beach, de quase cinco quilômetros de extensão, um passeio que ladeava as praias de areia branca. Este foi o epicentro do cenário hippie de L.A. dos anos 60, e muito dessa vibração boêmia ainda se mantinha ativa.

​Com seus acessíveis Cafés e barracas vendendo roupas da moda, óculos de sol e tatuagens temporárias, era um carnaval humano, em que músicos de rua, patinadores, andarilhos, garotas de biquíni, estavam sempre em movimentados desfiles. A região havia muito tempo famosa como a meca dos halterofilistas, Muscle Beach, continuava ainda bombando, com os jovens candidatos a Schwarzenegger. Pessoas comuns faziam fila no Jodi Maroni’s Sausage Kingdom, ou passeavam pela Main Street de Venice, uma estimulante mistura de lojas diferentes e atrativas.

Programas de COMPRAS

Comprar era como uma expressão de arte na Califórnia. Não importava se estivesse procurando o vestido elegante perfeito ou uma autêntica piñata mexicana, aqui encontraria tudo isso e muito mais. Quer provar produtos agrícolas frescos? Visite o Farmers Market. Quer produtos de cerâmica feita à mão? Passe em um dos muitos pontos de encontro de artistas, que estavam espalhados pela cidade. Estava atrás de uma ótima barganha em roupas e calçados? A Califórnia tinha alguns dos maiores outlets do país.

Los Angeles County

Se estiver pronto para usar seu cartão de crédito Platinum, siga direto para a Rodeo Drive, em Beverly Hills, onde ficavam Chanel, Giorgio Armani e outras lojas de grandes estilistas. O Robertson Boulevard, nas redondezas, também tinha várias boutiques de luxo. A leste de Beverly Hills, estava o sofisticado The Grove, localizado em frente ao Farmers Market, que tinha uma atmosfera de cidade pequena, com uma praça com fontes e cafés ao ar livre. Para ver celebridades, enquanto fazia compras, vá para a Montana Avenue, em Santa Mônica. Aqui também estava a Third Street Promenade, com grandes lojas de rede e um clima alegre. Se estiver de carro, estacione no The Grove, que era amplo e oferecia estacionamento gratuito.

​Na extremidade sul do calçadão da Third Street, o Santa Monica Place, era um Shopping ao ar livre, com lojas que ditam tendências e um restaurante na cobertura, com vista para o mar. Mais ao sul, poderia ir ao divertido e surpreendente Abbot Kinney Boulevard, em Venice Beach, onde encontraria marcas de roupa modernas, galerias e descolados restaurantes e cafés. ​Pela região LGBT de West Hollywood, boutiques da moda como Balenciaga, Christian Louboutin e Stella McCartney, casas noturnas e Cafés, eram populares entre as celebridades e outras nem tanto. No bairro de Silver Lake, em L.A., existiam atraentes lojas como Yolk, Hemingway e Pickett. Para quem era um comprador aventureiro, não deixe de visitar o L.A. Fashion District e a Santee Alley, com mais de 150 lojas e ambulantes que vendiam quase tudo o que se possa imaginar. O LA Citadel Outlet Mall sempre tinha ofertas de grandes nomes.

 

Orange County

Comece pelo extenso South Coast Plaza, o maior Shopping de luxo da Califórnia. Em Newport Beach terá mais oportunidades de compras interessantes, em Fashion Island, onde palmeiras típicas de praças italianas e lagos, proporcionavam a sensação de estar em um Resort. Para aqueles que adoravam negociar e barganhar, The Outlets at Orange oferecia mais de 120 lojas, incluindo outlets da Nordstrom Rack e da Banana Republic, além de manter atrações não apenas relacionadas a compras, incluindo um Vans Skate Park, ao ar livre, cinemas e boliche no Lucky Strike Lanesrepleto de luzes e música. 

Para uma mudança completa no estilo das compras, visite o relaxante The LAB Antimall de Costa Mesa, focado em atraentes lojas independentes. No ARTery, confira a beleza dos artesanatos e as obras de arte, expostas em Contêineres repaginados. Na South Coast Collection (SOCO), visite as lojas de decoração e de culinária em torno de belas paisagens. ​Para quem gostasse de fazer compras, aliando entretenimento e atmosfera de Parque de Diversões, era só procurar o Spectrum Center de Irvine, onde uma Roda-gigante, um Carrossel e um trenzinho para as crianças, ofereciam uma maneira especial de dar uma folga para as boutiques.

Compras no Deserto

Visitantes experientes chegavam à região de Palm Springs com espaço na bagagem. Os caçadores de pechinchas, ficavam atentos à cidade de Cabazon, sede dos Desert Hills Premium Outlets,  e de uma lista impressionante de marcas de estilistas. Nas proximidades dos Outlets de Cabazon, existiam vários pequenos negócios, que ofereciam promoções  em roupas, calçados e utilidades domésticas. ​Em Palm Desert, havia uma ampla rua com flores e obras de arte, conhecida como El Paseo, com boutiques, galerias e lojas, que eram tendência o suficiente para merecerem o apelido de Rodeo Drive do deserto. O Complexo de Compras The Gardens, em El Paseo, era especialmente luxuoso — um excelente destino para caminhadas, em noites de calor antes de jantar em um de seus restaurantes e Cafés. A criatividade também tem grande importância em Palm Springs, onde o Backstreet Art District, apresentava Galerias e estúdios que oferecem a oportunidade de conversar com artistas e também de comprar suas obras exclusivas. Visite as lojas do atraente Uptown Design District, centro de tesouros vintage e contemporâneos, instalados em prédios modernos da metade do século, e que eram tão retrôs e chiques, quanto os itens à venda no interior das lojas.

Outlets em Inland Empire

Melhor do que encontrar a roupa perfeita ou sapatos de grife, era comprá-los por um preço inacreditável. Por isso, fazer compras em Inland Empire, poderia ser uma ótima escolha. Era um bom lugar para outlets de alta qualidade, repletos de achados de marca e nomes de grife. O maior deles, era o Ontario Mills, que também era o maior outlet da Califórnia. Com mais de 200 lojas, contava literalmente com grifes famosas. O Lake Elsinore Outlet Center, também reuniae uma grande seleção de marcas, onde era possível encontrar bons descontos.

Palm Springs - El Paseo

Dedique um bom tempo para passear ao longo deste trecho, caro e luxuoso de Palm Desert. A área e as ruas vizinhas, com cerca de 2 quilômetros, abrigavam uma das maiores concentrações de Galerias de arte no sul da Califórnia. Estas coleções permitiam se aproximar da arte, conversar com os proprietários ou com os bem informados funcionários da Galeria e até encontrar os artistas durante eventos especiais. Depois, se quiser comer algo, talvez um saboroso filé enquanto ouvia jazz no Sullivan's Steakhouse, ostras frescas no Pacifica Seafood Restaurant ou pizza assada no forno a lenha do Sammy's. Se a vontade de comprar ainda não acabou, haveria um motivo para El Paseo lembrar Rodeo Drive: boutiques de estilistas importantes, impecavelmente decoradas, como Bottega Veneta e St. John, tentando atraí-lo e fazê-lo usar seu cartão de crédito. Encontre mais lojas nos jardins do Complexo El Paseo: Saks Fifth Avenue, Ann Taylor, Pottery Barn, Brooks Brothers, Tommy Bahamas e outras mais. 

Santa Barbara - State Street

Em Santa Barbara, a State Street era verdadeiro sinônimo de compras. Se estiver pronto para se jogar e aproveitar, comece pela ponta da State Street, com lojas de luxo, tais como Tiffany & Co. que ficava na La Cumbre Plaza. Depois, La Arcada, com suas calçadas sinuosas com fontes e floreiras, que davam muito tempo a quem passava para olhar as vitrines das boutiques. ​Experimente um expresso no The French Press, para manter-se firme e seguir para o sul, até as fontes borbulhantes e o cenário luxuoso do Paseo Nuevo, um Shopping center que abrigava mais de 50 lojas. Continue até Victoria Court, que tinha uma atraente combinação de lojas independentes, e vários e bons restaurantes. Quando o cansaço e a fome se manifestarem, sente-se no Blue Tavern, que tinha uma cozinha californiana com um leve toque peruano, ou no Olio, que apresentava pizza assada no forno a lenha, num cenário chique e rústico ou, então, no super clássico Bouchon.

Lembrete: Quando andar pela Hollywood Boulevard, vá até o número 7001 para se surpreender com a loja da  La La Land. A outra loja ficava na Boyd Street, 211. 

Catedral de Cristal.jpg
bottom of page