top of page

LYON  -  Terra da gastronomia e de Paul Bocuse França  -  1/2

LYON 2.jpg

ETIAS 2025 - Autorização para entrar na Europa

​Anunciado em 2016, o  European Travel Information and Authorization System (ETIAS) — Sistema Europeu de Informação e Autorização — está cada vez mais próximo de ser concretizado. A nova regra de entrada de estrangeiros na Europa se baseia no sistema americano, com maior segurança e será válido, a partir de 2025 mas ainda sem data para início do procedimento. ​O sistema verificará as credenciais de segurança e cobrará uma taxa (atualmente divulgada como sete euros) dos viajantes que visitam os países-membros do Tratado de Schengen, para fins de negócios, turismo, médicos ou de trânsito. Os viajantes, que atualmente visitam a Europa sem Visto, podem entrar na UE e nos países-membros de Schengen, gratuitamente e sem qualquer triagem de segurança digital antes de sua chegada à Europa. Vale lembrar que o ETIAS não será um Visto, mas uma autorização de viagem para viajantes que não precisam de Visto Consular para visitar a Europa.

Começando a se expandir, a partir dos encontros dos rios Ródano e Saône, Lyon, quando ainda era conhecida como Lugdunum, era a capital da Gália durante o Império Romano. A influência que exercia naquele período, se perpetuou e posteriormente a cidade se transformou em um importante centro comercial, especializando-se em produtos, como a seda, a partir do século XVIII. Atualmente era a terceira maior cidade francesa e a capital mundial do tecido.

 

Em seu complexo urbano, se destacavam os prédios medievais do centro antigo, mas também havia espaço para um bairro como Part-Dieu, um dos maiores e mais ativos pólos econômicos da França. Nos quatro bairros históricos de Lyon – Vieux Lyon, les Collines de Fourvière, Croix Rousse e Presqu’Île – nada menos do que 162 prédios e monumentos estavam classificados como Monumentos Históricos. Era pela preservação do patrimônio, pela continuidade e harmonia arquitetônica, que a Unesco inscreveu o centro urbano histórico de Lyon no Patrimônio Mundial. Cada época deixava sua marca através da arquitetura, escultura, pintura, literatura.

O que visitar

As Pinturas Murais - As pinturas murais faziam parte dos cartões postais da cidade. Elas eram assinadas pela empresa CitéCréation que, hoje, realizava pinturas murais pelo mundo à fora. As duas das mais famosas pinturas murais de Lyon:

 

Fresques des Lyonnais - Quai Saint Vincent, esquina com Rue de la Martinière.

Era considerada  a mais famosa pintura mural de Lyon.  Nela reconhecia-se alguns dos personagens mais famosos da cidade – les lyonnais – como o chef-celebridade Paul Bocuse. Da Presq’île até a Fresques des Lyonnais, a caminhada era de quinze minutos; 

 

Mur de Canuts Boulevard des Canuts, 36 

Era a maior pintura mural da cidade. Expressava as características do bairro e os hábitos de seus habitantes. Desde  a Presq’île até o Mur de Canuts, eram trinta minutos de caminhada.

Basílica Notre Dame de Fourvière -   Place de Fourvière, 8 -

Era uma visita obrigatória, ao ponto mais alto da cidade, também chamado de Montmartre de Lyon,  por sua Basílica e pelo Jardim Rosaire, onde os fiéis realizavam preces dedicadas a Virgem Maria e à vida de Jesus Cristo. Para chegar eram duas as opções: pegar o Funicular na Estação Vieux Lyon Saint Jean, e, numa caminhada pela Montée de Chazeaux, que começava na Rue Boef, e dispunha de 228 degraus, para se ter uma visão inteira da cidade. Para chegar à Basílica, encare a Saint Barthelémy e em seu final, mais uma caminhada de meia hora ao longo do belíssimo Jardim Rosaire. Para quem apreciasse uma caminhada, era uma ótima oportunidade. 

Confluence

Era o bairro localizado na ponta sul da Presq’île, exatamente na convergência dos dois rios. Confluence, foi a zona industrial e portuária de Lyon e era área a ser evitada, por conta de seus moradores, em geral pessoas de menor poder aquisitivo e sem formação educacional e profissional. Por conta de sua localização privilegiada, Confluence passava por um projeto de revitalização que mudava a sociologia do bairro. Hoje ganhou o status de área para visitar e morar. Como foi deixada total liberdade aos arquitetos que participaram de sua revitalização, Confluence era o oposto da Paris do Barão Haussmann. Aqui o urbanismo coerente e uniforme de Haussmann, foi substituído pela singularidade de grandes arquitetos. Além de sediar o maior centro comercial da cidade, Confluence possuia duas grandes atrações: um museu e um antigo prédio industrial, convertido em local para exposições e realização de Bienais.

Festa das luzes Tinha origem popular, quando no século XIX, após um longo período de inundações e conflitos sociais, a população se mobilizava no dia 8 de dezembro, dia de Imaculada Conceição, para festejar a construção de uma estátua da Virgem Maria, na colina de Fouvières. De maneira espontânea, a população acendia velas nas janelas de suas casas. De lá pra cá, o movimento foi crescendo até chegar ao mega espetáculo que se renovava todos os anos.

 

Fourvière -  Era o nome da colina que dominava o centro da cidade. Era o bairro mais antigo, e lugar da fundação romana de uma cidade chamada Lugdnum. O acesso à Fourvière, era feito a partir do bairro Vieux Lyon.

La Sucrerie - Fica na Quai Rambaud, 49. 

Era o único prédio da antiga Usina de Açúcar, que resistia à revitalização da área, e o único testemunho do passado industrial de Confluence. Hoje, La Sucrerie recebia exposições, eventos e acolhia a Bienal de Arte Contemporânea. 

Museu do Cinema e da Miniatura –  Rue Saint-Jean, 60 -  

Em Lyon estava sediada a Fábrica Lumière, de películas fotográficas, da qual os filhos do proprietário, Auguste e Louis (os Irmãos Lumière) desenvolveram um cinematógrafo e com ele desataram a fazer filmes que mais tarde vieram a ser exibidos na cave do Grand Café, em Paris. A Europa dera novos mundos ao Mundo, os filmes dos irmãos Lumière foram também exibidos na Índia, e hoje a Bollywood era a maior indústria cinematográfica global. Além da exibição de diversas miniaturas de cenários, construídas à escala para determinar o melhor ângulo das filmagens e iluminação quando da rodagem dos filmes, nos cenários reais, encontravam-se adereços utilizados em vários filmes, como as máscaras que Robin Williams utilizou para se travestir de Mrs Doubtfire, ou as máscaras de Jim Carrey no filme que o catapultou para as luzes da ribalta como maior comediante do Mundo. E a máscara do Freddy Krüeger que aterrorizava os adolescentes, em Elm Street. O boneco diabólico Chucky, o Alien e o Predador, o Batman e outros heróis e vilões ou mesmo o Robocop também estavam presentes. À entrada passava-se pelos cenários e também pela loja do Perfume onde um assassino vendia os perfumes cuja matéria prima era a essência dos corpos das suas vítimas que assassinava.

 

Museu de Belas Artes - Place des Terreaux, 20 -

Ocupava o prédio de um antigo Convento do século XVII, e seu acervo reunia obras de Picasso, Matisse, Degas, Van Gogh, entre outros renomados nomes das artes.

Musée des Confluences -  Fica no número  86 da Quai Perrache Lyon - 

O projeto era da agência austríaca CoopHimmelb(l)au e se inspirava nos cristais e nas nuvens, no mineral e no aéreo. Seu acervo era composto de mais de dois milhões de objetos, do século XVII  até os dias de hoje. O Museu estava voltado à origem da Terra, da Humanidade com sua História e sua Geografia. Horários de funcionamento: de terça até sexta, das 11.00 as 19.00h. Sábado e domingo, das 10.00 as 19.00h.

Museu Lumière - Rue du Premier Film, 25 - 

Lyon era também a cidade natal dos irmãos Lumière, os inventores do cinematógrafo, que hoje eram considerados os pais do cinema. A cidade abrigava o Museu Lumière, que retratava as origens da Sétima Arte.  Além da cidade da gastronomia, também merecia ser reconhecida como Cidade-Luz. 

Ópera - Place de la Comedie, 1 - 

Sua maravilhosa Ópera, construída em 1831, foi renovada em 1993 pelo arquiteto Jean Nouvel. Este monumento, já ganhou diversos prêmios de arquitetura. Tratava-se de uma surpreendente integração, entre arquitetura clássica e contemporânea. A mistura entre a fachada, do século XIX e o topo, em estrutura metálica e vidro, típica do final do século XX, conferia ao monumento um aspecto singular.

Paul Bocuse - Rue de la Plage, 40 -  Collonges-au-Mont-d'Or -

O L’Auberge du Pont de Collonges, do falecido e incensado Chef Paul Bocuse, reservava experiências gastronômicas inesquecíveis. Lyon era uma das capitais gastronômicas da França e, nesta área seu famoso mercado coberto se chamava Halles de Lyon Paul Bocuse, que depois de um período fechado para reformas, reabriu sob o nome do mais conhecido Chef da gastronomia francesa.

 

No Les Halles, encontravam-se padarias, queijarias, açougues, patisseries, muitas frutas, legumes e restaurantes. A maioria dos negócios colocavam em destaque os produtos típicos da gastronomia regional, como salames cozidos, dentro de brioched, escargots, pralinés, o queijo Saint Marcellin, Mont d’Or, os vinhos Beaujolais e Côtes du Rhône. Estava instalado no número 102 da Cours Lafayette. Horários de funcionamento: os restaurantes ficavam abertos durante a semana, das 8.00 até 22.00h e os comerciantes abriam das 7.00 até as 19.00h. Nos fins de semana, os comerciantes abriam das 7.00 até as 13.00h e os restaurantes, das 8.00 até as 16.00h.

Place des Terreaux  -

Com a bela Fonte Bartholdi, criada por Frédéric Bartholdi, o escultor da estátua de Liberdade, de New York, registrava uma proeza técnica e artística, que foi recentemente renovada. Foram necessários 18 meses para desmontá-la, como um puzzle em 3D. Ela representa 21 toneladas de ferro e de chumbo, possuia 4.85 metros de altura e 15 metros de diâmetro.

Presqu’île

Ao exemplo de Paris que era cortada pelo Rio Sena, a cidade  também era dividida não por um, mas por dois rios: Saône e Rhône. Entre as águas se encontrava a Presqu’île, uma das regiões mais charmosas da cidade e com uma grande concentração de atrações turísticas. O nome de Presqu’île significava quase ilha, porque não se tratava de uma ilha de verdade, mas de um pedaço de terra que ia afinando até encontrar com as águas dos rios. A Presqu’île era formada por três distritos: o um, o dois e o quatro – e concentrava prédios que datavam do século XII, até os de construção mais atual. Tratava-se de um bairro central, e o mais bem situado para se visitar em Lyon.

Shopping na Presqu’île - 

Possuia algumas centenas de lojas para todos os gostos e bolsos. A área denominada Carré d’Or, situada entre a Praça Bellecour e Cordeliers, concentrava um comércio bastante diversificado e interessante. As grifes mais tradicionais ficavam em torno da Rua Edouard Herriot e também na Rua Victor Hugo.

 

Teatro romano de Fourviére -   Rue Cleberg, 17 -

A presença romana em Lyon, poderia ser observada no imenso teatro romano, descoberto há apenas 70 anos, após escavações iniciadas por um grupo de freiras que procurava um antigo local de sacrifício de cristãos. Junto ao teatro, ficava o Museu da Civilização Galo-romana, e o parque arqueológico de Lyon Fourvière, com importantes peças do início da história moderna encontradas durante as escavações. Era tudo o que restou de um teatro do Império Romano, do séc. I a. C. Existiam outras na cidade, mas esta era a maior e mais conservada. Ótimo lugar para estar em contato com um pouco da história antiga da cidade e da civilização,  olhando os detalhe e admirar o que a humanidade já fora capaz de construir a tanto tempo atrás, sentindo a energia de milhares de anos.

Traboules da Vieux Lyon -  Rue Saint Jean -

A rua Saint Jean, era cheia de passagens secretas chamadas traboules, que eram corredores que levavam de uma rua à outra, passando pelo interior dos imóveis. As traboules eram privadas, mas quase todas  estavam abertas ao público. Aproveite a caminhada e viste as ruas Du Booeuf e das Trois Maries. O desafio deste circuito, era procurar as traboules, empurrar portas, e descobrir os tesouros da arquitetura passada. No número 16 da Rue du Boeuf,  encontrava-se um pequeno pátio interno, com uma torre rosa e redonda, construída no século XVI, que possuia quatro pisos e uma decoração original. Já no número 54 da Rue Saint Jean, se encontrava uma passagem que levava até a Rue du Boeuf, considerada a rua mais longa. Aproveite quandp estiver circulando por aqui, e suba pela Montée Du Garillan, para apreciar uma bela visão da cidade.

Vieux Lyon

Era o bairro mais bonito da cidade, um conjunto formado por becos e ruelas medievais, com arquitetura renascentista e cores italianas. A concentração girava em torno da Catedral de Saint Jean, e da rua que levava o mesmo do santo. Percorrer a área era um dos passeios interessantes e recomendado.

Onde dormir

Embora fosse a terceira maior da França, Lyon é uma cidade pequena e plana, o que facilitava muito as caminhadas, e possuia uma rede de transporte público que cobria toda a área urbana. Para uma boa hospedagem, evite ficar nas colinas, onde estava a igreja Notre Dame de Fourvière, principal ponto turístico da cidade, era bastante residencial e a opção de caminhar até os outros lugares seria praticamente descartada. Já na Croix-Rousse, havia mais opções de entretenimento, uma vez que esse era considerado um bairro boêmio, cheio de barzinhos e restaurantes, mas da mesma forma, sua locomoção para as outras partes da cidade, não era nada fácil.

Bairro La Presqu’île

Era saindo do centro histórico e atravessando o Rio Rhône, que se chegava nesse bairro  charmoso e de ares alegres. Essa era a parte mais central da cidade, onde ficavam o 1º e 2º arrondissements. Era uma região com algumas construções mais elegantes, ruas grandes e transporte público de fácil acesso. Aqui estavam as melhores opções para quem procurasse um bom hotel. Era uma área que abrigava uma grande quantidade de hotéis de quatro e cinco estrelas, por isso eram bem mais caros. Havia muita oferta de hotéis, pelos arredores da Gare Part-Dieu, que era a principal Estação de Trens da cidade, de onde partiam também vários ônibus. A região era bastante comercial e empresarial, era onde estava o maior Shopping.  Se ficar hospeda por aqui, terá várias facilidades à disposição, mas ficará preso ao transporte, uma vez que já estaria um pouco mais longe do centro e da maioria das atrações turísticas.

 

Hospedar-se nessa área, era recomendável principalmente para quem chegasse tarde ou saisse cedo da cidade, e especialmente se chegar ou sair por via aérea. O Aeroporto ficava longe, mas era na Gare Part-Dieu, o ponto de saída e de chegada do Rhône Express, o trem que atualmente era uma das únicas opções de transporte público de ligação com o Aeroporto. Uma boa referência nessa região entre os viajantes, eram os hotéis da rede Ibis: o Ibis, o Budget e o Ibis Styles, todos praticamente ao lado da Estação Part-Dieu.

 

Hotel de Paris - $$$ - Rue de la Platière, 16 – 1º arrondisement –

Situado em um prédio do século XIX, em Lyon Presqu'ile. Seus quartos temáticos e modernos, eram coloridos e decorados individualmente. As acomodações eram acessíveis por elevador e incluiam camas modernas e confortáveis, TV e banheiro privativo com chuveiro ou banheira. O café da manhã poderia ser servido na área para refeições, ou no  quarto. Havia uma variedade de restaurantes, bares e Cafés ao lado do hotel.  A Estação de Metrô Hotel de Ville e outras 8 paradas de ônibus, podiam ser acessadas a 5 minutos à pé. O hotel dispunha de 1 vaga de estacionamento que poderia ser utilizada  apenaspara descarregar a bagagem. Estacionamentos públicos, eram pagos e estavam localizados nas proximidades.

La Suite Lanterne - $$$ -   Rue Lanterne, 8 - 1º arrondisement –

Situado no centro e a menos de 1 km do Museu de Belas Artes e a 15 minutos à pé da Basílica de Notre-Dame de Fourvière, oferecia acomodações com vista da cidade e Wi-Fi gratuito. Situado em um prédio datado do século XIX, o apartamento tinha 3 quartos, TV de tela plana com canais via satélite, cozinha equipada com lava-louças e micro-ondas, máquina de lavar roupa e banheiro com chuveiro. Para maior comodidade, poderiam fornecer toalhas e roupa de cama, por um custo extra. 

Loft Saint Vincent - $$$ - Quai Saint Vincent, 3 – 1º Arrondisement -

Localizado no bairro próximo a Fourvière, o centro ficava a cerca de 1 km. Os hóspedes podiam acessar aos restaurantes Le Potager des Halles, L'Archange e L'Ebauche,  localizados no bairro. Dispunha de quartos com ar condicionado, televisão a cabo, frigobar e ferro de passar. Os quartos incluiam colchões com pillow-top e travesseiros de plumas, e a cozinha dispunha de chaleira elétrica e fogão. Secador de cabelo, roupões e toalhas de banho eram fornecidos. O apartamento ficava a 500 metros da estação de Metrô Croix-Paquet.

 

Polycarpe - $$$ Rue Saint Polycarpe, 9 - 1º arrondisement -    

Oferecendo Wi-Fi gratuito e vista da cidade, estava localizado a apenas 1,3 km do Museu de Belas Artes e a 1,8 km do Teatro Romano Fourviere. Situado em um prédio datado do século XVIII, o apartamento dispunha de 2 quartos, TV de tela plana com canais a cabo, cozinha equipada com lava-louças e micro-ondas, máquina de lavar roupa e banheiro com chuveiro.

Campanile Lyon Centre – Gare Perrache - $$$ -  Place Carnot, 17  -  2º Arrondisement –

Estava situado próximo da Estação de Metrô Lyon-Perrache. Todos os quartos dispunham de ar-condicionado, banho privativo com amenities e secador de cabelos, TV de tela plana e comodidades para fazer chá e café. Por um custo adicional, poderia desfrutar de um buffet de um bem servido café da manhã. A rede Campanile era uma ótima referência hoteleira na França

Le Républik Hotel - $$$ -  Rue Bellecordière, 18 – 2º arrondisement -

Todos os quartos dispunham de ar-condicionado, aquecedor elétrico para chá e café, TV de tela plana via satélite. O banheiro privativo incluia secador de cabelo, com banheira ou chuveiro. Um berço também pode ser acomodado no quarto. O buffet de café da manhã era bem completo. Havia várias lojas e restaurantes nas proximidades.

Mercure Lyon Centre Beaux Arts - $$$ - Rue du President Edouard Herriot, 73 –  2º arrondisement -

Localizado no centro e a 300 metros da Estação de Metrô Bellecour, em um prédio do século XIX, ficava a 8 minutos a pé do centro histórico e a 5 minutos a pé da Praça Bellecour. Oferecia quartos em estilo art déco, com ar-condicionado e Wi-Fi gratuito, tem TV de tela plana via satélite, frigobar e banheiro privativo com banheira ou box amplo. O café da manhã era servido na sala de refeições ou no  quarto. Havia também um café da manhã expresso, composto por uma bebida quente, suco natural, pão, itens de confeitaria e geléia, disponível no bar, principalmente para hóspedes que deixsseam o hotel, antes do horário de servir o café da manhã.

Hotel Celestins –  $$$ -  Rue des Archers, 4 - 2º arrondisement -

Estava localizado no centro, a apenas 200 metros da Praça Bellecour e a 650 metros do centro histórico. Os quartos dispunham de TV de tela plana, mesinha auxiliar, ar-condicionado e banheiro privativo com secador de cabelo. Por um custo extra, poderia desfrutar de um buffet de café da manhã, no lounge compartilhado.

 

Hotel dês Artistes - $$$ -  Rue Gaspard André, 8 – - 2º arrondisement -  

Com excelente localização, dispunha de 45 quartos para não fumantes, ar condicionado, serviço de lavanderia, acesso internet gratuito, o café da manhã era cobrado à parte. Alguns quartos, estavam equipados para receber hóspedes portadores de necessidades especiais. Atendimento de Recepção 24 horas.

Hotel Mercure Lyon Centre – Plaza République  - $$$$ - Rue Jacques Stella, 5  - 2º arrondisement -

Ficava a 500 metros da Estação de Metrô Cordeliers. Todos os quartos possuiam ar-condicionado, frigobar e acesso grátis à internet. O banheiro privativo incluia secador de cabelo. Os quartos eram bons, confortáveis, com banho completo e com amenidades. Um ótimo buffet de café da manhã e uma opção de café da manhã expresso, estavam disponíveis por um custo adicional. À noite, poderia relaxar no Plaza Bar, do hotel. 

Mercure Lyon Centre Beaux-Arts – $$$$ -  Rue du Président Edouard Herriot, 73/75 - 2º arrondisement –

Instalado em um prédio do século XIX, ficava a 10 minutos a pé do centro histórico e a 5 minutos a pé da Praça Bellecour. Oferecia quartos em estilo art déco, com ar-condicionado e Wi-Fi gratuito,  TV de tela plana via satélite, frigobar e banheiro privativo, com banheira ou box amplo. O café da manhã era servido na sala de refeições ou no quarto. Havia também um café da manhã expresso, disponível no bar para atender os hóspedes com saída cedo. Havia estacionamento particular, a 200 metros.

Outras localizações

 

Para quem estivesse querendo economizar um pouco mais na hospedagem, ficar na região entre o 3º e o 7º arrondissements, próximo às estações de Metrô Guillotière, Saxe-Gambetta ou Place Guichard, poderia ser uma boa sugestão. Apesar de serem bairros um pouco menos centrais, mais residenciais ou com menos facilidades ao redor, ainda assim eram de fácil acesso, até mesmo para quem quizesse se aventurar no Vélo’v, o nome dado em Lyon para as bicicletas de aluguel. Era uma boa recomendação para quem chegasse a Lyon motorizado.

Bairro Croix-Rousse

Ficava numa parte um pouco mais moderna da cidade, mas que ainda assim, preservava certo estilo do século XIX. Era um bairro charmoso, boêmio e cheio de escadarias e casinhas coloridas. O bairro ficava na colina oposta à Fourvière, ou seja, teria que enfrentar algumas subidas e estaria em um bairro mais distante dos pontos turísticos, mas era uma ótima opção para quem queria sentir melhor o clima vivencial da cidade. Dispunha de boas ofertas para hospedagem.

Hotel Lyon Croix Rousse Hénon - $$$ -  Rue Henon, 48 - 4º arrondisement 

Ficava no centro, na região de Croix-Rousse. A 100 metros da estação de Metrô Hénon, oferecia um estacionamento subterrâneo e Wi-Fi gratuito. Todos os quartos tinham  isolamento acústico, ar-condicionado, TV de tela plana via satélite e comodidades para fazer chá e café. Oferecia um excelente café da manhã e a Recepção ficava aberta 24 horas de sexta a domingo, e das 6.30 as 22.30h nos demais dias da semana.

Bairro Part-dieu

Era onde ficava a Estação de Trens e um enorme centro comercial, mais conhecido como Shopping de Lyon. Era um bom bairro para viagens mais rápidas e de trem, principalmente para quem não ficaria muito tempo na cidade, ou que estava somente de passagem. Não ficava perto dos pontos turísticos, e era um pouco barulhento, mas tinha transportes públicos disponíveis e de fácil acesso, além de centros comerciais e preços bem acessíveis para quem fazia questão de economizar e buscava uma hospedagem mais simples.

Campanile Lyon Centre – Part-Dieu - $$$ -  Forum Part-Dieu -  Rue Maurice Flandin, 32 - 3º arrondisement –

Está localizado em frente à Estação de Trens Part-Dieu, oferecia quartos modernos, com ar-condicionado e Wi-Fi gratuito, TV de tela plana via satélite. Todas as acomodações incluiam kit de boas-vindas, com biscoitos e comodidades para fazer chá e café. Oferecia um ótimo buffet de café da manhã e o restaurante servia pratos da culinária francesa, tradicional e regional, no almoço e no jantar.

Campanile Lyon Centre -  Berges Du RhOne  -  $$$ - Rue Mortier, 4/6 -  3º arrondisement –

Estava apenas a 5 minutos a pé da Estação de Metrô Guillotière, e a 10 minutos de carro da Estação de Trens Part-Dieu. Distribuídos em oito pisos, os quartos eram decorados de forma simples e possuiam ar-condicionado e TV de tela plana com canais via satélite e Canal +. Os banheiros eram privativos e incluiam banheira ou chuveiro e secador de cabelo. Quatro dos quartos, eram adaptados para hóspedes em cadeira de rodas. Dispunha de acesso gratuito a internet e estacionamento. Oferecia um farto café da manhã. Era tudo muito limpo, silencioso e com excelentes camas. Particularmente, recomendo sempre os hotéis da rede francesa Campanile, por ter utilizado vários em algumas cidades pela Europa. Tinha um charme de hospedagem interiorana, com restaurantes típicos coloniais.

Hotel Saint Paul - $$$ -  Rue Lainerie,  6 - 5º arrondisement –

Estava localizado na região histórica do Vieux Lyon, a 140 metros do Temple du Change. Os quartos eram acessíveis através de escadas e dispunha de banheiro privativo, com secador de cabelo e TV de tela plana. O café da manhã em estilo continental, estava disponível por um custo adicional. Havia vários bares e restaurantes que podiam ser encontrados em até 100 metros da propriedade.

Ibis Styles Lyon Centre - $$$ - Gare Part-Dieu  Rue de la Villette, 54 -  3º arrondisement –

A Estação de Trem Part-Dieu, ficava a 2 minutos a pé do hotel. Todos os quartos e suítes para não fumantes tinham isolamento acústico e TV de tela plana, Wi-iFi gratuito e ar-condicionado e banheiro privativo com secador de cabelo e amenidades de banho. Poderá saborear pratos da culinária francesa, preparados com produtos frescos, no Restaurante All 54. Um café da manhã continental estava incluido mna diária. A Recepção 24 horas dispunha de computador, com com acesso gratuito a internet e impressora. Um estacionamento público, estava disponível no local.

Terrasse Priveé du Vieux Lyon - $$$$ -   Montée Du Gourguilhon, 13 – 5º arrondisement –

Ficava a 100 m da Estação de Metrô Vieux Lyon, a 200 m da Place de Bellecour. Com piso de madeira e vigas expostas, o apartamento possui uma sala de estar e 2 banheiros privativos, com produtos de toalete de cortesia, secador de cabelo e box com chuveiro. Dispunha de acesso gratuito a internet. Mediante pedido, os hóspedes poderiam desfrutar de um café da manhã continental. O apartamento tinha uma cozinha equipada com uma máquina de lavar louça, forno elétrico, frigobar e fogão elétrico. Fornecia utensílios de cozinha e micro-ondas e refeições para a  noite, podiam ser servidas mediante solicitação. O estacionamento público estava disponível nas proximidades.

Villa Florentine – $$$$$ -  Montée Saint-Barthélémy, 25 – 5º arrondisement -

Ficava a 4,5 km da Estação de Trem Lyon Par-Dieu. Estava localizado no centro da Antiga Lyon, com vista panorâmica da cidade, e instalado em um antigo Convento. Todos os quartos, com ar-condicionado dispunham de decoração elegante e TV de tela plana com Canal+, frigobar, e alguns quartos possuiam uma área de estar, e banheiro privativo moderno com banheira ou chuveiro. Oferecia acesso gratuito a internet.

O Les Terrasses de Lyon, o restaurante gastronômico do Villa Florentine, possuia um terraço ao ar livre e servia pratos da culinária francesa tradicional e especialidades regionais. As comodidades adicionais, incluiam uma academia com sauna seca, sauna a vapor, uma sala de treino aeróbico e uma pequena área de tratamento de beleza. Contava com piscina aquecida e  banheira de hidromassagem. Para os hóspedes que viajavam de carro, o estacionamento privativo no local era oferecido por um custo adicional.

LYON 3.jpg
bottom of page