top of page

INNSBRUCK  - A capital do Tirol - Austria  

INNSBRUCK 6.jpg

Marie-Theresien Strasse e Annasäule

ETIAS – Autorização para entrar na Europa

Anunciado em 2016, o  European Travel Information and Authorization System (ETIAS) — Sistema Europeu de Informação e Autorização — está cada vez mais próximo de ser concretizado. A nova regra de entrada de estrangeiros na Europa se baseia no sistema americano, com maior segurança e será válido, a partir de janeiro de 2024. O sistema verificará as credenciais de segurança e cobrará uma taxa (atualmente divulgada como sete euros) dos viajantes que visitam os países-membros do Tratado de Schengen, para fins de negócios, turismo, médicos ou de trânsito.Os viajantes, que atualmente visitam a Europa sem Visto, podem entrar na UE e nos países-membros de Schengen, gratuitamente e sem qualquer triagem de segurança digital antes de sua chegada à Europa. Vale lembrar que o ETIAS não é um Visto, mas uma autorização de viagem para viajantes que não precisam de Visto Consular para visitar a Europa.

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar esta charmosa cidade capital do Tirol austríaco. Escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui...

 

A capital do Tirol Austríaco, surgiu em 1239 como uma pequena cidade instalada na junção dos rios Sill e Inn, dominada por príncipes e reis,  teve vários momentos de glória, que hoje podem ser observados em suas construções medievais e góticas, destacando-se o Telhado de Ouro   ( Goldenes Dachl ), que nada mais era do que uma pequena varanda construída pelo Imperador Maximiliano I, em 1.500, para servir de palco imperial, para as manifestações públicas que aconteciam na praça central. A cidade era bem estruturada para o turismo, oferecendo o Innsbruck Card, que dava direito ao uso ilimitado de transporte público, do ônibus hop-on-off Sightseer e as linhas panorâmicas, a Rum/Hall, aos vilarejos de Igls e Mutters/Kreith, além de uma viagem no shuttle, que levava ao Mundo de Cristal Swarowski, e também aos teleféricos instalados no entorno da cidade. O acesso a todos os museus, também ra franqueada aos portadores do Cartão, que tinha versões para 24, 48 e 72 horas.

Em setembro de 2019, visitamos Innsbruck pela quinta vez. Desta vez, no caminho de Munich para VenezaComo começamos a viagem cedo, o pit stop, foi para uma rápida visita e buscar um lugar para almoçar. A quantidade de turistas era tanta, que foi difícil encontrar um restaurante com disponibilidade de lugar para três viajantes. Como estávamos de carro,  não foi difícil encontrar um lugar para estacionar. A área central, tinha vários estacionamentos pagos. Era só perguntar para o tio Google.

Alpenzoo

Era um Zoológico bastante interessante e contando com mais de dois mil animais alpinos, de 150 espécies. Era uma experiência diferente, proporcionando uma boa interação entre os animais e a natureza. A vista que se tinha do Zoológico, era muito bonita. Era muito bem cuidado, tornando o passeio bastante agradável. Para chegar, utilize o funicular da NordkettenbahnenCable Railways, a partir da Estação Congresso, que ficava no centro.

Annasäule

Era uma coluna dedicada a Santa Ana, construída em meados de 1705, pelos governos do Tirol, como agradecimento à retirada das tropas da Bavária, durante a Guerra de Sucessão Espanhola, e a retirada associada do Exército bávaro de Innsbruck, em 1703. Ficava bem no centro da cidade, em um lugar com uma bonita vista para as montanhas. Merecia uma foto.

 

Em 1706, a procissão de inauguração da Coluna Anna, erguida pelo escultor de Trentino, Cristoforo Benedetti, ocorreu na Maria-Theresien-Straße. Os 13 m de altura, feitos de pilar de mármore Kramsacher vermelho, foram encomendados em 1704 pelas propriedades tirolesas, e comemoravam a libertação de Innsbruck das tropas da Baviera. No aniversário do ano de 1703 (26 de julho), o último soldado da Baviera havia deixado a Residência Real.

Além de Benedetti, o artesão Anton Kuprian foi encarregado do trabalho de ourives e Georg Apeller, realizou as esculturas de pedra, no pedestal. O topo da coluna coríntia, coroa o aviso ao norte, para os bávaros que olhavam a estátua de Maria Imaculada, em uma lua crescente. O original da estátua barroca, que já havia sido afetado pelas condições climáticas, foi substituído por uma cópia do escultor Franz Roilo, em 1956 e, desde então estava localizado na igreja do Mosteiro Fiecht, perto de Schwaz. O pedestal do pilar era decorado pelos quatro santos Anna, Kassian, Vigilius e George.

Arco do Triunfo - Maria-Theresien-Strasse -

Foi construído em 1765, encomendado pela Imperatriz Maria Teresa para comemorar o casamento de seu segundo filho, Arquiduque Leopold com a Princesa espanhola Maria Ludovica. Ao contrário da prática normal, foi construído com pedra em vez de madeira. A face sul retratava motivos do casamento, com imagem proeminente do casal e a face norte lembrava a morte do Imperador, que morreu inesperadamente logo após o casamento.

Bersigel-Sprungstadion

Essa atração combinava esporte, arquitetura e vistas panorâmicas de Innsbruck e suas montanhas. Estava localizado no topo da monte Bergisel, e foi construído em 2991, pela  arquiteta Zaha Hadid. Era considerado como o trampolim de salto de esqui mais moderno do mundo.  A subida era feita pelo funicular. Funcionava diariamente das 9.00 as 17.00h. Não abria às terças-feiras.  As suas primeiras competições foram realizadas na década de 1920, usando construções simples de madeira. A colina maior foi construída primeiramente em 1930, sendo reconstruída antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1964, para provas individuais, de colinas maiores. Em 1976, a infra-estrutura recebeu o mesmo tipo de competição. Como ficava próximo Das Tirol Panorama, dava para aproveitar e visitar as duas atrações.

Cassino Innsbruck

Era uma boa opção para quem gostasse de jogar. Ficava no centro e perto do Arco do Triunfo. Aproveite para uma caminhada pelo centro, para apreciar a beleza das construções, os letreiros das lojas, forjados em ferro, e as mesinhas dos bares e restaurantes nas calçadas.

Castelo Ambras – Schlossstrasse, 2 -

Visite o primeiro museu do mundo a ser preservado no seu local original, e faça uma viagem de 450 anos ao passado. Situado em uma colina acima da cidade, o Ambras Castle era o ponto focal de um encantador jardim paisagístico inglês, com lago com patos e playground. O Arquiduque Ferdinand II converteu o castelo medieval de Ambras no atual castelo renascentista, para exibir suas coleções de fama mundial. O castelo romântico em estilo renascentista, lindamente preservado, incluia a mais antiga coleção de artes, arsenais e livros da Europa. A renomada Galeria de Retratos apresentava mais de 200 pinturas de grande valor histórico e artístico, refletindo o reinado da Dinastia dos Habsburgos.  Obras de Lucas Cranach, Peter Paul Rubens, Anthonis van Dyck e Diego Velásquez estavam expostas na Galeria. Era dividido em castelo inferior e superior, situado nas ruínas de uma Fortaleza medieval. O andar térreo abrigava uma coleção de pinturas do final da Idade Média e o Altar de São Jorge, e do Imperador Maximiliano I. Acima do Castelo ficava o Salão Espanhol, um exemplo notável da arquitetura alemã, com uma das coleções de armaduras de guerreiros de várias gerações. Abria diariamente das 10.00 as 17.00h. O ingresso custava de 10 a 16 Euros.

Catedral – Dompl. 6 –

Conhecida como Catedral de Saint James, era uma bela igreja barroca do século XVIII, dedicada ao apóstolo São Tiago.  Havia uma belíssima imagem da Virgem Maria, obra de Lucas Cranach, que estava exposta acima do altar-mor e era considerada uma das imagens mais veneradas. Era onde estava o túmulo do Arquiduque Maximiliano III, da Áustria. Abria a visitas diariamente das 10.15 as 18.30h.

 

Dom Saint Jakob -

Era a igreja mais bonita da cidade,  construída no século XVIII e tinha um interior muito bem decorado. Possuia afrescos do altar até a cúpula, sendo todos belos exemplos da arte barroca na Áustria.  Grande parte da obra foi concluída pelos irmãos Asam, de Munich, e a Madona que aparecia sobre o altar-mor era criação do pintor alemão Lukas Cranach, conhecido como o Velho.

Herzog-Friedrich Strasse -

Era uma das ruas mais movimentadas e procuradas pelos turistas. Era toda pavimentada com seixos, terminava numa pracinha, de onde se poderia melhor apreciar o Goldenes Dachl. Além das diversas opções de lojas, chamava a atenção pelos vários restaurantes e cafeterias. Apesar de toda a estrutura, o destaque do local ficava com a paisagem e a beleza dos prédios que estavam instalados na área.

Hofkirche

Era um dos pontos turísticos mais visitados,  construída em 1553 pelo Imperador Ferdinand I, para servir de Memorial a seu avô, o Imperador Maximiliano I, onde estava sua tumba. Surpreendia os visitantes ao entrar e deparar com as 28 estátuas de bronze, instaladas nas laterais do salão. Os personagens representavam os membros da família de Maximiliano I.

Igreja do Tribunal – Universitätsstrasse, 2 -

Era uma bela igreja gótica do século XVI, localizada na Cidade Velha, construída pelo Imperador Ferdinand como memorial ao seu avô, Imperador Maximiliano I. Era chamada de igreja dos homens negros, pois abrigava 28 estátuas de bronze de 200 a  250 cm de membros da família e antepassados de Maximiliano e heróis.  Abria de Segunda a sábado das 9.00 as 17.00h e aos domingos e feriados das 12.30 as 17.00h. O ingresso custava 10 Euros.

 

Kaiserliche Hofburg

Era um dos mais belos prédios da cidade em modelo barroco, estava localizado na saída de Hofkirche. Era um dos palácios imperiais mais importantes e imponentes da Áustria. O monumento, que já fora residência do Governador, e Palácio de Veraneio, na época do Império Romano-Germânico, hoje era franqueado à visitação pública. Era composto por vários elementos, (incluindo a Haus Stainen, do Mosteiro de Stams, o posterior Mitterhof), unidos sob o Duque Sigmund der Muenzreiche, por volta de 1.460. Estava localizado ao longo da cidade oriental,  incorporando o portão Saggentor. A última, foi convertida na torre Wappenturm, em 1.499, por Joerg Koelderer, sob o domínio de Maximilian (mais tarde Imperador Maximilian I), e o Palácio de Hofburg, foi estendido à torre nordeste da muralha da cidade. 

 

O Palácio de Hofburg recebeu sua forma atual em dois estágios, com alterações estruturais determinadas por Maria Theresia, com a construção do espaço sul na pista de Hofgasse, conforme os planos de JM Gumpp, o Jovem, e a nova fachada principal (1766-73), no Rennweg, de acordo com os planos de C.J Walter. Esta ala continha o Salão dos Gigantes, com representações de todos os membros da família Imperial e afrescos do teto, de autoria de F. A. Maulbertsch. Na ala sul, a sala onde o marido de Maria Theresia, o Imperador Franz I, que morreu em 1765, foi transformada em Capela Memorial, em conexão com a fundação de uma instituição religiosa para damas de classe nobre. No sudeste, o Hofburg, ficava ao lado da igreja Franciscana, ao norte, com o mais antigo Teatro da Corte de Innsbruck, construído em 1629/30 por C. Gumpp, o Dogana. Atualmente era um centro de congressos e eventos.

Kunsthalle Tirol -  Maria-Theresien-Strasse, 45 -

O prédio que albergava o Kunsthalle era o Taxis-Palais, um palácio nobre barroco que foi adaptado à sua nova função. No século passado, foi ampliado para acomodar 800 m² de espaço de exposição. Havia também uma biblioteca pública ,com mais de 7.500 publicações sobre arte contemporânea, cultura e teoria e um pequeno Café. O Taxipalais era uma Galeria de arte com perfil expositivo internacional, onde a arte contemporânea era utilizada para investigar questões atuais e proporcionar debates.

Olympia World - Olympiastrasse 10 -

Era um Complexo de instalações esportivas  inaugurado em 1963, que servia de Parque Olímpico para as Olimpíadas de Inverno de 1964 e 1973, bem como nas Olimpíadas de Inverno de 2012. Seu parque esportivo consistia em oito locais, entre eles o Tivoli Stadium e o Olympiahalle. Abria diariamente das 8.00 as 18.00h.

Ottoburg

Quem apreciasse arquitetura, deveria visitar o Ottoburg. Era um dos prédios mais antigos da cidade, possuia a fachada cinza e as janelas vermelhas e brancas, em homenagem à bandeira do País. Segundo historiadores, o prédio servia como uma das torres de defesa que cercavam Holfburg, quando ele ainda era um castelo medieval. No final do século XVI, foi adquirido por um mercador de Veneza e transformado em um restaurante, que funcionava até hoje.

Silberne Kapelle

Ainda em Hofkirche, visite a Capela Silberne, localizada próximo a porta principal da igreja. Observe a perfeição da imagem de Nossa Senhora, confeccionada em prata, e também as pinturas do teto, com várias cabeças de  anjos. Em seu interior, hava um museu com coleção de objetos culturais e religiosos regionais.

 

Stadtturm e HeblingHaus

Era só dar meia volta para encontrar com outros dois símbolos da cidade: a Stadtturm, torre construída por volta de 1440, e a Heblinghaus, uma residência burguesa do século XV, que misturava estilos góticos e barroco, com uma rica fachada esperando para ser fotografada.

Swarovski Kristallwelten -  Kristallweltenstrasse, 1 -

O Mundo dos Cristais Swarovski, foi criado em 1995, em comemoração aos 100 anos da existência da marca. O lugar era uma espécie de labirinto subterrâneo, formado por diferentes alas, cada uma exibindo objetos feitos de cristais por diferentes artistas. Ficava um pouco distante do centro de Innsbruck, sendo o melhor acesso usar o traslado que partia do centro, ou seguir em carro próprio. Abria das 10.00 as 19.00h. O ingresso custava 20 euros.

 

Telhado Dourado

Debruçado sobre a Rua Herzog-Friedrich-Straße, o prédio do Goldenes Dachl foi construído pelo Arquiduque Friedrich IV, no início do século XV para servir como residência dos soberanos tiroleses. O Imperador Maximiliano I encomendou a loggia em 1493 a Nikolaus Turing the Elder, o construtor da Corte de Innsbruck, para comemorar com Bianca Maria Sforza, seu segundo casamento. Era  decorado, com relevos esculpidos e pinturas murais. A balaustrada do primeiro andar, era decorada com oito brasões esculpidos, seis de frente para a praça e dois painéis laterais, representando os territórios de Maximiliano. Acima do Brasão de Armas, estavam os afrescos de Jörg Kölderer, pintados em 1500, mostrando dois cavaleiros com bandeiras heráldicas, representando o Sacro Império Romano e o Tirol.

A balaustrada do segundo andar, era decorada em oito relevos esculpidos, seis voltados para a praça e dois painéis laterais, representando várias imagens associadas à vida de Maximiliano. Os dois relevos centrais mostravam Maximiliano. A da esquerda mostrava o Imperador com sua segunda esposa Bianca Maria Sforza, à esquerda, segurando uma maçã e sua primeira esposa Maria da Borgonha à direita. O outro espaço central, mostrava o Imperador com seu Bobo da Corte e seu Chanceler. Os relevos dos flancos, mostram dançarinos mouros envolvidos em dança acrobática e grotesca, uma forma comum de entretenimento popular da época.

A dança mostrada nesses relevos externos, era de origem andaluza, o que era moda na época. Os afrescos que adornavam o interior, foram pintados por Jörg Kölderer e mostravam cenas da vida aristocrática. Todas as decorações na estrutura atual, eram réplicas cuidadosamente executadas. Os relevos originais, estavam em exibição permanente no Museu Estadual do Tirol, conhecido como Ferdinandeum. Desde janeiro de 2003, abrigava o Escritório Internacional da Convenção Alpina, uma coalizão de oito países alpinos, unidos por um compromisso compartilhado com o desenvolvimento sustentável nos Alpes europeus. Um museu, o Maximilianum, também estava inserido no prédio, bem como nos Arquivos da Cidade. O prédio e seu acervo também faziam parte do Museu dos ilustres personagens da aristocracia austríaca.

Tiroler Landestheater

Situado bem em frente ao Palácio Hofburg, era o principal teatro e um dos prédios mais interessantes da cidade. O local era ainda mais bonito em seu interior! Não deixe de acompanhar a agenda do teatro e, quem sabe, até assistir a um espetáculo. Será uma experiência única!

Tirol Panorama - Bergisel, 1-2 - 

Ficava no alto de uma montanha e perto do centro. Sua principal atração era uma enorme pintura panorâmica, a maior obra de arte do Tirol, a pintura circular gigante tornava-se um cenário maravilhoso no Tirol Panorama, com o Kaiserjägermuseum. Depois que os visitantes eram apresentados à história e aos personagens, em várias estações, eles se encontravam como observadores participantes na cena de um drama histórico: as imagens da terceira Batalha de Bergisel, de 13 de agosto de 1809. O Panorama continha todos os ingredientes que compunham o Mito do Tirol, com paisagem e pessoas, o desejo de liberdade e uma estreita conexão positiva. A pintura foi criada pelo pintor de Munique, Michael Zeno Diemer, sob a supervisão do pintor histórico Franz von Defregger, em apenas três meses.

Além da pintura circular gigante, oferecia a exposição  Schauplatz Tirol com exibições surpreendentes, as vezes bizarras, que contavam histórias sobre pessoas, sua religião, natureza e política. O Panorama estava conectado no subsolo ao Kaiserjägermuseum, como um museu regimental do tirolês Kaiserjäger, proporcionando uma visão da história militar do Tirol, do século XIX ao século XX. Junto, tinha um museu com uma coleção permanente de obras e objetos imperiais. O lugar era bonito e moderno, valendo visitá-lo. Funcionava diariamente das 9.00  às 17.00h. Não abria às terças-feiras. Dava para ir caminhando desde o centro da cidade, subindo por uma trilha.  Para chegar ao início da trilha, pegue o tram número 1 ou 6, ou o ônibus turístico The Sightseer que parava, na porta do Panorama.

Tram panorâmico número 6

Ligava o centro ao vilarejo Igls. A viagem por si só já valeria o passeio, circulando por um caminho com lindas paisagens. A estação de chegada, ficava em um lugar muito bonito, a uma pequena caminhada do centrinho de Igls, de onde partia o teleférico para a montanha Patscherkofel.

 

Triumphpforte

Era o Arco do Triunfo, construído em 1765, por determinação da Imperatriz Maria Teresa. Estava localizado na Maria Theressien Strasse, bem no coração da área comercial. Era um dos símbolos reverenciados de Innsbruck.

 

Zoológico Alpino – Weiherburggasse, 37ª -

Situado aos pés das montanhas Nordkette, era o lar de vários animais raros, como lince, águias douradas e ursos marrons. Era o único Zoo que concentrava exclusivamente nos animais que habitavam os Alpes. Um dos poucos Zoológicos do mundo onde os animais ficavam nas áreas abertas e os visitantes seguiam por caminhos fechados, dentro desses habitats.

O Telhado Dourado

Onde dormir

Best Western Plus Hotel Goldener Adler - $$$$ - Herzog - Friedrich Strasse, 6 -

Tinha uma excelente localização e infraestrutura, com quartos modernos, bem arejados e isolamento acústico, ar condicionado, frigobar, TV de tela plana, banho completo e acesso grátis  a internet. Tinha estacionamento gratuito ou pago, nos arredores. Oferecia um excelente café da manhã. Integrava a cadeia hoteleira americana Best Western

Hotel Kapeller Innsbruck – $$S - Philippine-Welser-Strasse, 96 -

Era um hotel de arquitetura bonita e decorado com bom gosto,  espaçoso e funcional. Os quartos tinham uma mesinha auxiliar, banheira/chuveiro, TV de tela plana, frigobar e acesso a internet gratuita. Oferecia um  bom café da manhã. Não ficava perto do centro, mas o acesso era fácil, podendo utilizat o Tram.


Hotel Leipziger Hof - $$$$ -  Defreggerstrasse, 14 -

Ficava próximo ao centro antigo, onde era possível ir a pé. O quarto era de qualidade, com tudo novo e um otimo banheiro. O restaurante era muito bom, oferecendo uma excelente comida alemã. O café da manhã era ótimo, e o atendimento simpático e atencioso, o que não era muito comum em hotéis na Áustria. Tinha um posto de recarga para veículos elétricos - Internet sem fio gratuita e de alta velocidade (WiFi), sauna e aluguel de bicicletas. Um ônibus que leva até as estações de esqui, passava pelo hotel.

 

Hotel Tautermann -  $$$ - Stamser Feld, 5 –

Os quartos eram bons, as camas confortáveis assim como o banho, com banheira e chuveiro, amenidades de cortesia e TV de tela plana. Tinha um bom café da manhã, aceitava pets e oferecia serviços de locação de carros e estacionamento grátis.

 

Onde comer

Elferhaus - Herzog-Friedrich-Strasse, 11 -

Estava a poucos passos do Golden Roof. Do lado de fora, parecia bastante pequeno e discreto. Mas o antigo prédio alongado se estendia por um longo espaço. O restaurante oferecia mais de 20 cervejas engarrafadas diferentes, variando de especialidades de cerveja da Lapônia a Simpsons Bier Duff. Também oferecia farta comida caseira para pequenos ou grandes apetites. 

Gusto Pizzeria Soylu Ozcan Muellerstrasse, 12 –

Era um pequeno restaurante familiar, instalado junto ao Hotel Nala. Oferecia  uma excelente comida e atendimento cortês. Como o próprio nome sugeria, seu forte eram as pastas e as pizzas. Tinha várias mesas no lado externo,  que eram compartilhadas pelos clientes.

Konditorei Eigentler – Leopoldstrasse, 9 -

Circulando pela Áustria, não dava para deixar de experimentar as delícias das confeitarias, as Konditorei. Esta era imperdível! Além de oferecer uma grande variedade de bolos, tortas, e docinhos, tinha o Heidi`s Café, que oferecia uma variedade de chás, cafés e sucos. Funcionava da segunda a sexta-feira das 08.00 às 18.00.

Solo per te Seilergasse, 18 -

Era um exuberante e pequeno restaurante, instalado numa esquina no centro. As pizzas eram excelentes, acompanhadas dos bons vinhos italianos. O serviço era rápido e o atendimento era perfeito.

Tiroler Weinstube Gumppstrasse, 38 –

Era outro bom restaurante e barato, especializado em comidas típicas da Bavária. O cardápio era variado  e a recomendação era o Mixed Grillplate, acompanhado com uma Radler, com muito limão. Não aceitava cartões.

 

INNSBRUCK 2.jpg
INNSBRUCK 8.jpg
INNSBRUCK.jpg
bottom of page