top of page

DRESDEN -  Alemanha - parte 1/2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Localizada no meio do caminho entre Berlim, na Alemanha e Praga, na República Tcheca, fora fundada no local de uma vila de pescadores eslavos como assentamento de mercadores e sede dos governantes locais, Dresden fora, a partir do século XV, residência dos Duques saxões, príncipes eleitorais e, mais tarde, Reis. A cidade passara por épocas notáveis e tempos de tragédia. Fora durante o século XVIII, um importante centro da política, da cultura e do desenvolvimento econômico europeus, tornando-se sinônimo de destruição apocalíptica apenas dois séculos mais tarde. As tribos germânicas que se instalaram na região, começaram a deslocar-se para oeste no século VI e foram seguidas pelos eslavos da Boêmia, que escolheram o Vale para fundar a aldeia Drezdany. No início do século X, os Exércitos alemães comandados pelo Rei Henrique I conquistaram as terras eslavas entre os rios Saale e Elba e o centro de seu poder era o Castelo de Meissen, fundado em 929. Os conquistadores alemães foram seguidos dois séculos depois pelos colonos alemães, que logo passaram a dominar a população eslava.

Embora um incêndio tenha destruído a cidade em 1491, Dresden conseguira desfrutar do seu primeiro apogeu sob a égide do Duque Jorge, o Barbudo. A corte Albertina fora um dos oponentes mais influentes da Reforma e a cidade fora um centro de resistência aos ensinamentos de Martin Lutero. Após a morte do Duque Georg em 1539, seu sucessor também dera continuidade a Reforma em Dresden. Quando o Eleitor Friedrich August I  - Augusto, o Forte - assumiu a Coroa polonesa em 1697, Dresden avançara ainda mais para se tornar uma capital de nível europeu. A face da cidade também mudou dramaticamente, tornando-se uma cidade barroca. A Corte Real e a nobreza encomendaram extensos trabalhos de construção e incentivaram importantes realizações artísticas e artesanais. Pöppelmann construira o Zwinger e o Taschenbergpalais em 1711, o Palais Japonês em 1715 e o Palácio de Verão em Pillnitz, em 1721. A Frauenkirche fora concluída em 1734, a Catedral em 1755. As magníficas coleções da Galeria de Imagens e da Abóbada Verde foram estabelecidas, e fora criada a primeira fábrica européia de porcelana, que mais tarde se mudaria para a cidade de Meissen.

 

Cidade antiga

Na margem esquerda do Elba ficava o centro histórico de Dresden, com prédios do Renascimento, do Barroco e do século XIX. Apesar de ter sido devastada pela Segunda Guerra Mundial, a Cidade Velha mantivera  recuperara seus seus atraentes prédios. O símbolo mais conhecido da reconstrução do centro da cidade fora a Dresden Frauenkirche, a magnífica igreja barroca com cúpula que mais uma vez domina o horizonte de Dresden. A Altstadt era o centro da vida da cidade: abrigava a Prefeitura, o Parlamento estadual saxão e importantes instituições culturais, desde a Galeria de Imagens dos Velhos Mestres, a Ópera Semper e o Teatro Estadual até o Green Vault. Entre as praças Altmarkt e Neumarkt, Prager Strasse e Postplatz havia várias opções de compras e alimentação.

 

Dresden também era conhecida pela música. A Ópera, a Orquestra Staatskapelle, a Filarmônica e o Coro masculino Kreuzchor encantavam o público. O calendário cultural ficava lotado o ano todo, com a cidade recebendo festivais internacionais e cativantes produções de teatro e danças. No verão, a cidade promovia eventos ao ar livre em parques e nas margens do Rio Elba. Era mais do que apenas uma cidade de história e patrimônio, como evidenciado por várias obras arquitetônicas modernas.  Andando por lá no inverno, não deixe de visitar o Mercado de Natal mais antigo da Alemanha, o Striezelmarkt, realizado pela primeira vez em 1434, permanecendo até hoje com uma celebração espetacular de luzes, cores e aromas tentadores.

 

Anjos de Dresden

Conforme se aproximava o período natalino, dois dos mais famosos anjos da história da arte ressurgiram estampados em cartões de Natal e papéis de presente do mundo todo, com suas bochechas avermelhadas, seus cachos castanhos e os grandes olhos voltados para o céu. Um dos motivos mais copiados e queridos, os anjos eram exemplo, de arte kitsch ao mesmo tempo. Mas poucos sabiam que, os pequenos querubins eram parte de uma das pinturas mais famosas do mundo. A maioria nem imaginava que os anjos podem ser vistos em Dresden, contava Andreas Henning, Curador responsável por pintura italiana no Museu Gemäldegalerie Alte Meister, onde eles se encontravam, debruçados aos pés da Madona Sistina, de Rafael. Pintada em torno de 1512 e 1513, a obra chegara à cidade às margens do Rio Elba, em 1754, vinda da Igreja de San Sisto, em Piacenza, na Itália. Segundo Henning, tratava-se de uma imagem natalina, que representava a encarnação de Cristo, com a Madona trazendo o Menino Jesus à Terra. Constava que Rafael teria utilizado a imagem das duas crianças de aparência infantil e terrena, para reforçar a proposta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As referências históricas e turísticas

 

Abóbada Verde Nova  - Castelo -  Taschenberg, 2 -

Nos séculos de atuação do Sacro-Império Romano-Germânico e na curta existência do Império Alemão (1871-1918), a Saxônia tinha como integrantes da mais alta nobreza a casa dos Wettiner e dentre eles, Augusto, o Forte era um dos nomes mais importantes.  Era em Dresden que se encontrava sua antiga residência, o Palácio Real, situado no centro da cidade. Em uma de suas alas ficava a coleção da Abóboda Verde Nova, que em outras palavras era nada mais do que o espetacular tesouro da Família Real da Saxônia A coleção era dividida em histórica e nova. Conheça a nova coleção, que apresentava o magnífico trabalho do ourives Johann Melchior Dinglinger, contemporâneo de Augusto, o Forte. Um Tribunal alemão condenara cinco homens por invadir este museu e roubar 21 peças de joalheria contendo mais de 4.300 diamantes. O audacioso roubo acontecera em novembro de 2019, as jóias foram recuperadas e os ladrões foram condenados a penas de 6 a 8 anos de detenção.

 

Academia de Belas Artes –

Um dos três prédios que hoje formavam a escola ficava num dos locais mais bonitos da cidade, o  Terraço Brühl, ao lado da  Igreja de Nossa Senhora. Fora  Constantine Lipsius quem desenhara este prédio retangular, construído entre 1887 e 1894. Fora criticado pela altura pelo seu aspecto maciço, que ofuscara um dos mais belos empreendimentos urbanos da cidade. O prédio era facilmente reconhecível pela sua cúpula de vidro em forma de espremedor de limão e albergava, para além da Academia de Belas Artes, as salas de exposições da Société des Beaux-Arts de Saxe, e desde 2005 tornara-se o Kunsthalle das Coleções Nacionais de Dresden. Em 1945, esses prédios foram danificados pelas chamas e a partir de 1952, os reparos foram suficientes para que os cursos da Academia pudessem ser retomados. De 1991 a 2002, o pavilhão Lipsius passara por uma ampla reforma  e as asas destruídas na última Guerra, foram reconstruídas. As oficinas, a Reitoria e as salas de exposição onde ocorria a cerimônia de formatura anual, estavam localizadas no terraço Brühl.

Albertino – Tzschirnerplatz, 2 –

Depois de sua renovação, no Terraço de Brühl, apresentara uma inovação que mostrava que a arquitetura do Museu de Dresden chegara ao século XXI: uma estrutura de aço de dois andares semelhante a uma ponte flutuante atravessava o pátio interior do museu, originalmente construído em 1884/87.  Instalada a 17 metros acima do solo, a estrutura abrigava áreas de armazenamento e oficinas à prova de inundações. Isto preservava o pátio do prédio de quatro alas, ao mesmo tempo, que criava um novo espaço coberto. Uma vez que a Abóbada Verde e a coleção numismática foram transferidas para os seus locais originais no Palácio Real, todo o prédio estava disponível para receber coleções de esculturas e para a Galeria dos Novos Mestres.

 

O novo conceito de exposição apresentava arte moderna do século XIX até o presente, em todos os gêneros. Os dois museus não estavam totalmente separados; através das obras, eles estavam em constante diálogo, complementando-se e respondendo uns aos outros. Criado em 1959 era o caçula dos museus em Dresden. Encontrava-se no antigo Arsenal da Casa dos Wettiner. Sua coleção abrigava obras do romantismo alemão, do modernismo, e também de artistas contemporâneos, como Gerhard Richter. No térreo havia uma bela coleção de esculturas. Abria de terça a domingo das 10.00 às 18.00h. A entrada era de 15 Euros.

Caminhadas noturnas

Existiam vários passeios noturnos para quem gostasse de curtir a noite. Os passeios incluíam visita aos murais da cidade, a história de Dresden de 1990 e também visita a alguns bares  para degustar a tradicional cerveja alemã. 

 

Castelo  - Taschenberg, 2 -

O Palácio Real era um dos prédios mais antigos da cidade. Durante quase 400 anos fora o lar da realeza saxônica da casa de Wettin. O prédio apresentava diversos estilos arquitetônicos, do barroco ao neo-renascimento. Atualmente abrigava um Complexo de museus:

  • Grünes Gewölbe: Um exclusivo museu histórico que continha a grande e maior coleção de tesouros na Europa, incluindo o Historisches Grünes Gewölbe e o Neues Grünes Gewölbe;

  • Münzkabinett: O mais antigo museu da cidade, fundado em 1530, possuia a terceira maior coleção de moedas e medalhas da Alemanha;

  • Kupferstich-Kabinett: era um museu de figuras, desenhos e fotografias com uma coleção de aproximadamente 500 mil itens, mas somente uma parte estava em exposição. Os mais renomados artistas na coleção incluíam Albrecht Dürer, Jan van Eyck, Francisco de Goya, Hans Holbein, Michelangelo, Rembrandt e Rubens;

  • Rüstkammer: Abrigava uma das maiores coleções mundiais de armas cerimoniais, armaduras e têxteis históricos. A exposição atual compreendia cerca de 1.300 artefatos, o que representava menos de 10% de todo o acervo. Fazia parte deste museu a “Câmara Turca”, que exibia mais de 600 relíquias de artes individuais.  Abria diariamente das 10.00 às 18.00h menos nas terças-feiras.

Castelo do Faisão

Ao visitar o Castelo de Moritzburg, reserve um tempo para fazer um desvio até o Castelo do Faisão. Este menor castelo rococó da Saxônia fazia jus a seu nome; faisões foram e agora eram criados nas suas proximidades. No lago próximo existia um Farol, construído para aperfeiçoar o cenário: as batalhas navais foram encenadas nesta linda paisagem.

 

Catedral Católica – Schlosstrasse, 24 -

A Catedral da Santíssima Trindade era uma igreja de culto católico, localizada na Cidade Antiga. Era uma enorme igreja barroca construída em arenito, como quase tudo nesta cidade, seu prédio principal tinha 52 m de comprimento e 18 m de largura, com uma altura de 32 metros, a torre atingia uma altura de 86 metros. O prédio tinha 3 galpões, e no interior encontravam-se 78 figuras de santos de 3,50 metros de altura, esculpidas também em arenito, obra de Lorenzo Mattielli. Havia um púlpito barroco, obra de Balthasar Permoser, um altar de Anton Raphael Mengs, e o maior Órgão, de Gottfried Silbermann. Ao lado do recipiente com o coração de Augusto - o Forte, encontrava-se a cripta com os sarcófagos da Dinastia Wettin. A entrada era gratuita e abria de segunda a quinta das 9.00 às 17.00h; às sexta das 13.00 às 17.00h; aos sábados das 10.00 às 17.00h e domingos das 12.30 às 18.00h.

  

Catedral Luterana

A Frauenkirche era a Catedral Luterana  e uma belíssima igreja. A sua cúpula redonda de pedra, ficava a 67 metros de altura. No subsolo havia uma sala de exposições com importantes documentos originais e fotos de todo o processo de reconstrução da igreja, depois da Segunda Guerra Mundial. Era famosa por abrigar o coral Dresdner Kreuzchor, que existia há mais de 700 anos. Outro ponto que chamava atenção era a sua torre, com 92 metros de altura e a plataforma de Observação, que ficava a 54 metros do chão. A entrada era gratuita, e o acesso para subir na torre custava  5 euros.

Coleções de História Natural  - Palais Platz, 11 -

As Coleções de História Natural de Senckenberg apresentavam exposições temporárias sobre Zoologia, mineralogia e geologia no Palácio Japonês. O museu, que tem origem no Kunstkammer, fundado pelo Eleitor August, em 1560, era uma das coleções de história natural mais antiga do mundo. A atual exposição Terra em Movimento mostrava que o planeta azul estava em constante movimento. Estava mudando constantemente de face - há mais de 450 bilhões de anos! O que havia de tão especial na Terra que a vida tinha sido capaz de experimentar-se repetidamente nela durante milhões de anos? Como se desenvolviam o vulcanismo, os terremotos e as montanhas? Um modelo audiovisual de placas tectônicas, que causava regularmente a erupção de vulcões, ilustrava todo o processo. E onde o homem obteve seu conhecimento sobre a terra? As rochas e os minerais e fósseis que elas continham eram arquivos da história da Terra. Os cientistas podem lê-los como se fosse um livro. Até 2028, a exposição será ampliada com mais dois módulos sobre Antropoceno e biodiversidade.

 

Coleção de Porcelana – Sophienstrasse  - Zwinger – Glockenspielpavillion 

Era a mais importante coleção de artesanato em porcelana existente no mundo, reunindo mais de 20.000 peças. Era impressionante e simplesmente maravilhosa. Uma visita obrigatória e imperdível, mostrando arte e beleza que jamais serão esquecidos.

 

Coleção Kunstfonds – Taschenberg, 2 -

O acervo principal da coleção fora reunido através de encomendas e compras públicas durante a época da RDA, sendo ampliado a partir de 1990 pela incorporação de obras detidas pela Agência de Privatização Treuhand. Desde 1992, a coleção também tem sido sistematicamente ampliada pelas compras anuais feitas pelo Governo Saxão, de obras contemporâneas de todos os gêneros de alguma forma relacionadas com a Saxônia. Assim, os acervos do Kunstfonds refletiam de forma exemplar as práticas de promoção artística utilizadas em dois sistemas sociais diferentes. Os dois principais pontos focais da coleção, a arte da então República Democrática Alemã - RDA e a arte contemporânea mostravam o desenvolvimento regional da arte ao longo da segunda metade do século XX e até aos dias de hoje.

 

Dresden Zwinger -

Ainda moldava a imagem da cidade até hoje, lembrando do glamoroso período barroco como nenhum outro prédio. Era uma obra de arte cortês criada entre as fortificações internas e externas da cidade, por decisão de Augusto, o Forte. O projeto arquitetônico, privilegiado em detrimento de um simples laranjal, fora executado por Matthaeus Daniel Poeppelmann e Balthasar Permoser. A extensão planejada do Palácio fora substituída pela Galeria de Imagens e pela Ópera Semper. Os museus do Staatliche Kunstsammlungen Dresden estavam agora esperando para serem descobertos no Zwinger: a Coleção de Porcelana, a Galeria de Imagens dos Antigos Mestres e o Gabinete Real de Instrumentos Matemáticos e Físicos. Os visitantes poderão descobrir o Zwinger Xperience, uma multimídia que os mergulhará num mundo de festivais, desfiles e dramas com uma emocionante gama de projeções panorâmicas e estações de realidade virtual.

Elbepark -  Peschelstrasse, 33 -

Era um grande e moderno Shopping Center com mais de 200 lojas de grifes, vestiário, artigos domésticos, equipamentos eletro eletrônicos e lojas de brinquedos. Tinha uma ótima Praça de Alimentação e abria das 10.00 às 22.00h. 

Fábrica da Volkswagen  - Lennéstrasse, 1 -  

Era a planta de produção desta marca conhecida como Fabrica de Vidro. Este nome deve-se ao fato de a maior parte desta fábrica ter paredes de vidro transparente, podendo-se ver praticamente tudo. A Volkswagen oferecia tours guiados ao custo de 7 Euros, duração de 75 minutos eram apresentados em inglês e aconteciam de segunda a sexta-feira em horários específicos: às 10.00, 12.00 e 15.00h. Aos sábados, os tours ocorriam às 12.00, 15.00 e 17.00h, e aos domingos às 15.00h.

        Ferrovia do Parque

Era uma atração turística no Grosser Garten que  proporcionava também uma atividade de lazer valiosa e útil para crianças e jovens. Desde que o tempo esteja bom, os trens geralmente circulavam de abril a outubro, em intervalos de 12 ou 18 minutos. Os passageiros podiam começar e terminar a sua viagem em qualquer uma das cinco paradas. A bitola desta ferrovia em miniatura era de apenas 381 mm (15 polegadas), e a viagem de ida e volta de 5,6 km durava cerca de 30 minutos. Esta é claramente uma obrigação para todos os fãs dos caminhos-de-ferro. Em 2025 celebrarão o 100º aniversário das duas locomotivas à vapor e o 74º aniversário da Ferrovia Parque de Dresden.

Furztenzug  - Augustustrasse, 1 -

Construído entre 1871 e 1876, retrata a Procissão dos Príncipes em comemoração aos 800 anos da Dinastia Wetten, a Família Real que dominava a Saxônia. O mural tinha 102 metros de comprimento, era considerado o maior mosaico do mundo, com 23 mil azulejos de porcelana, um dos materiais produzidos na Saxônia e que fizeram a fama da região. O mural estava localizado na parede externa do estábulo do Palácio Real e era uma atração gratuita na Cidade Velha. Na Idade Média, os jogos de cavalaria e os torneios eqüestres aconteciam no pátio do estábulo, que fazia parte do grande Complexo do palácio residencial. Hoje o pátio instalado entre o Johanneum e a chamada Long Gang era utilizado para eventos culturais. A caminhada incluía os destaques mais importantes do centro histórico, como Frauenkirche, Semperoper, Zwinger, Residenzschloss, Brühlsche Terrasse, Fürstenzug, Stallhof, Katholische Hofkirche, Taschenbergpalais e Augustus Bridge. O passeio era guiado pela sombria Idade Média, de uma forma divertida, vivenciando o poder da Renascença e o esplendor da era barroca, mostrando também vestígios da Revolução Pacífica de 1989, para descobrir o que movera o povo.

Galeria de Imagens dos Antigos Mestres -  Theater Platz -

Mostrava uma densa apresentação de soberbas pinturas, desde a Baixa Idade Média até ao Iluminismo, distribuindo-se por três pisos, com enfoques especiais em vários temas, gêneros, correntes artísticas, e técnicas. Um dos destaques era a Madonna Sistina, de Rafael. Mas havia muito mais que ver: da escola flamenca à holandesa, da italiana à francesa e a alemã, com destaque para o destacado Lucas Cranach, o Velho. O prédio original, concebido pelo arquiteto Godfried Semper no ano de 1855, fora destruído em 1945. Porém, como todo o centro histórico da cidade, fora restaurado nos anos do pós-guerra.  Abria de terça a domingo das 10.00 às 18.00h. O ingresso custava 12 Euros.

 

Grosser Garten

O Grande Jardim era um parque com estilo barroco. Tinha lindos jardins simétricos e muito espaço para apreciar o local e relaxar.  Considerado o coração verde da cidade, era um dos lugares mais bonitos de Dresden. Próximo estava o Jardim que poderia aproveitar para conhecer.

Igreja Frauenkirch

Durante décadas as ruínas desta igreja eram um enorme monte de escombros, como uma dolorosa lembrança de uma fatídica noite de fevereiro de 1945. No último domingo de outubro de 2005 os sinos badalaram para anunciar o serviço festivo da re-consagração e sinal para o início de uma celebração de três dias com recitais de órgão e serviços religiosos especiais. A igreja era uma obra prima da arquitetura européia servindo de referência no centro da cidade há mais de 200 anos. Os devastadores bombardeios de fevereiro de 1945 não pouparam nem mesmo esta bela construção e os cidadãos nunca perderam a esperança de reerguê-la. Em fevereiro de 1990 a governança local emitira um Chamado de Dresden e imediatamente recebera apoio geral de todas as partes do mundo. Em maio de 1994 a obra de reconstrução começara com a colocação da primeira pedra e seguira por um longo período com uma gigantesca cobertura metálica, tornando-se referências para os visitantes. Comemorando os 800 anos da cidade, em 2006 a igreja brilhava novamente, com seu Campanário dominando novamente o horizonte da cidade.

Jardim Botânico

Os jardins botânicos são um tipo especial de museu, proporcionando uma visão única do mundo das plantas vivas e a sua aparência mudava de um dia para o outro.

 

Kupferstich-Kabinett

Era um dos museus mais importantes do mundo da arte em papel, desenho, aquarela, gravura ou fotografia. Em 2020, celebrara o seu 300º aniversário nas diferentes condições da Coroa, com exposições de primeira classe, que eram acompanhadas por números em formato digital. Conheça a página inicial do Kupferstich-Kabinett, para mais informações sobre este  e suas exposições. O Museu de Obras primas apresentava desenhos e gravuras gráficas mundialmente famosas de artistas destacados de todas as épocas, como Albrecht Dürer, Jan van Eyck, Rembrandt, Michelangelo e Caspar David Friedrich, até Toulouse-Lautrec, Pablo Picasso, o artista de a Ponte Dresden, Gerhard Richter, Georg Baselitz, Günther Uecker, Wolfgang Tillmanns e Marlene Dumas estavam lá para ajudá-lo. Gravuras em cobre de Schongauer e xilogravuras de Cranach poderiam ser contrastadas ao lado de raros exemplos da história da fotografia.

 

Kunsthaus -  Rähnitzgasse,  8 -

Era uma Galeria Municipal de Arte Contemporânea, que proporcionava insights sobre o cenário artístico mundial, com suas exposições mutáveis​​de arte contemporânea atual. As exposições aqui concebidas e inovadoras por uma pequena equipe eram dedicadas a temas artísticos específicos, principalmente atuais, e geralmente ofereciam um espectro internacional. O princípio preocupava-se com a casa e estava próximo de expressar e conteúdos artistas de um público amplo, que dessa forma possa aprender mais sobre arte. Abria de quarta a sexta das 16.00 às 19.00h e aos sábados das 12.00 às 18.00h.

 

Memorial Bautzner Strasse -

O Centro de Detenção, da Administração distrital de Dresden, do Ministério da Segurança do Estado da República Democrática Alemã, era agora um importante Memorial.

 

Memorial da Praça Münchner

O revolucionário Ladislav Vojtech fora um dos quase 850 tchecos executados em Dresden, durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Mercado de Natal

Baseado no Altmarkt, de 1434, era uma reconstrução do centro histórico para criar um Mercado de Natal medieval, que fora originalmente instalado na Neumarkt, na Frauenkirche. Era o Mercado de Natal na área central da Prager Strasse e Hauptstrasse, na Godener Reiter, nos arredores do Rio Elba. Acontecia de 23 de novembro a 24 de dezembro das 10.00 às 21.00h.  No dia de Natal funcionava das 10.00 às 14.00h.

Moritzburgo

A caça fizera parte de uma família governante, assim como os banquetes luxuosos com comida requintada, muitas bebidas, música e danças. As florestas ao redor de Dresden ofereciam uma variedade de caça, por isso fazia sentido construir um pavilhão de caça em frente aos portões dessa residência. Originalmente modesto, Agosto o Forte o transformara em um local confortável para sua morada, também para convidados que apreciavam a abundância de peixes de seus lagos artificiais. Este castelo ficara ainda mais famoso por servir de cenário do filme de conto de fadas Três Avelãs para a Cinderela. Uma visita à sala das penas era uma experiência especial.

Mosteiro de Hadmersleben – Planstrasser, 37 -

Era um Mosteiro românico quase totalmente preservado, onde os visitantes encontrariam interessantes tradições sobre o mobiliário estrutural dos quartos dos séculos seguintes, como os tetos em estuque do Renascimento e do Barroco. O Mosteiro homenageava Johann Joachim Winckelmann, que trabalhara como tutor no Castelo de Hadmersleben, entre 1742/43. Uma pequena exposição era dedicada a Ferdinand Heine, o mestre alemão do cultivo de grãos e beterraba sacarina.

 

Nova Galeria de Mestres e Coleção de Esculturas de 1800

Com o seu conceito inovador, apresentava arte desde o período romântico até aos dias atuais, representando um novo começo na apresentação de arte em Dresden.

 

Nova Sinagoga – Hasemberg, 1 -

Concluída em 2001 e projetada pelos arquitetos Rena Wandel-Hoefer e Wolfgang Lorch, fora construída no mesmo local da Sinagoga Semper e projetada por Gottfried Semper, que fora destruída em 1938, durante a Noite dos Cristais. A arquitetura era baseada na forma dos primeiros templos israelitas. A torção gradual do prédio servia para mudar a direção da oração para o Oriente. O único elemento original sobrevivente da Sinagoga Semper, uma Estrela de David dourada, fora colocada na entrada principal do novo prédio. O muro limite da Nova Sinagoga incorporava os últimos fragmentos remanescentes do prédio original de Semper.

Novo Cofre Verde

Era um dos museus com câmaras de tesouro mais conhecidos e ricos do mundo, o New Green Vault era o complemento perfeito para o seu homólogo histórico.

 

Ópera Sempre

Era a casa de Ópera mais famosa da Alemanha; abrigava a Orquestra Estadual da Saxônia, uma das mais antigas e conhecidas do mundo. Construída por Gottfried Semper entre 1838 e 1841, fora fechada em agosto de 1944 e destruída seis meses depois pelos ataques aéreos aliados. Sua reconstrução demorara muito para a conclusão. Até 1985, os residentes foram forçados a prescindir do seu famoso prédio. A renovação cerimonial ocorrera em fevereiro de 1985, exatamente 40 anos após sua destruição. O Dresdener Festtage em fevereiro e março de 2010 comemorara a inauguração da Ópera Semper, estabelecendo o Prêmio da Paz de Dresden, concedido a Mikhail Gorbachev. O Semper Opera Ball também estava intimamente associado à Opera House; era um belíssimo e elegante o baile que acontecia todo mês de janeiro.

 

Palácio e Parque Pillnitz –  Böckstiegel-Strasse, 2 -

Mencionado pela primeira vez em 1335, como sede e feudo da nobreza, o eleitor João Jorge IV recebera a propriedade de Pillnitz em 1694, em troca do Castelo e Escritório de Lichtenwalde. Quando o Eleitor morrera pouco tempo depois, o Palácio e Parque Pillnitz tornou-se propriedade de seu irmão – que mais tarde alcançara a fama como Augusto, o Forte. Em 1706, Augusto deixara a propriedade para sua amante Anna Constantia von Cosel, onde ela também residira entre 1713 e 1715. Nessa época fora criadas as Hedges Walkways (charmilles). Depois que Anna Cosel caira em desgraça, Augusto retomara a vida brilhante em Pillnitz e na propriedade do Palácio. Para além das folias e festividades habituais, Pillnitz tornara-se palco de grandiosos casamentos: em 1719, por exemplo, quando o Príncipe-eleitor Frederico Augusto se casara com Maria Josefa, filha do Imperador José I.

O antigo Palácio renascentista entre os palácios da encosta e do rio, bem como o adjacente Templo de Vênus, foram totalmente destruídos por um incêndio em 1º de maio de 1818. A construção do Palácio Novo em estilo classicista, com cozinha e ala de capela, durara até 1830. Imediatamente após, a Realeza usara o Palácio e Parque Pillnitz como residência de verão. Quase 30 anos depois, em 1859, começara a construção daquela que era então a maior estufa de ferro fundido da Alemanha – a Palm House. As Casas da Guarda da Vala Ha-ha, o traçado do Pátio Lilás e do Bosque de Coníferas, bem como a extensão do prédio de Justas ao Laranjal, seguiram-se no século XIX.

 

Pátio estável e a Procissão dos Príncipes – Augustusstrasse, 1 -

Na Idade Média, os jogos e torneios de cavaleiros aconteciam no Stallhof que fazia parte do grande Complexo do Palácio Real. Atualmente a quadra entre o Johanneum e a Gangue Langer era utilizada para eventos culturais. A Procissão dos Príncipes está localizada na parte externa do Stallhof, na Praça Schlossplatz. Era um mural de 101 metros de comprimento que representava a história dos Wettins, a família governante da Saxônia, mostrando uma enorme procissão de cavaleiros. Depois de muito trabalho preliminar, a obra de arte de Wilhelm Walther fora concluída para o 800º aniversário da casa principesca de Wettin entre 1872 e 1876, como um grafito na parede externa da Gangue Langer. Devido às condições climáticas, a obra rapidamente começara a desbotar, sendo transferida para o Porcelanato Meissen, entre 1904 e 1907, para preservá-la. Mais de 24 mil azulejos foram usados ​​para representar os trinta e cinco Marqueses, Príncipes e Reis, bem como 59 cientistas, artesãos e agricultores que participaram de sua criação.

 

Palácio Real –

Era onde nascera o Rei Augusto II, da Polônia, e já fora sede do  Ggoverno e a Casa Real da Saxônia até 1918. Hoje, após as reconstruções, abrigava importantes museus que mereciam uma visita. O ingresso do Residenzschloss custava 15€ e incluía acesso para as seguintes atrações:

 

  • A Câmara Turca -  com arte do império otomano;

  • Neues Grünes Gewölbe  - a imperdível sala do tesouro;

  • Kupferstich-Kabinett - ala de pinturas, desenhos e fotografias;

  • Münzkabinett -  abrigava a coleção de moedas;

  • Rüstkammer – a Arsenal de Dresden;

  • State Apartments - Os aposentos reais.

Neues Grünes Gewölbe – As jóias e tesouros Reais

Era uma importante e belíssima coleção de jóias e tesouros, considerada a maior coleção de tesouros da Europa. A visita impressionava pela riqueza e beleza das peças raras e preciosas, com mais de mil itens em suas vitrines. A entrada estava incluída no ingresso ao Palácio.

Historisches Grünes Gewölbe – Atração paga a parte

Era um passeio que surpreendia e fascinava proporcionando ao visitante ver de perto a exuberância das jóias e tesouros históricos. A visita era restrita a 100 pessoas por hora e tinha bilhete de acesso cobrado a parte, de 15€ ou 22€ no ingresso combinado com as demais atrações do palácio.

 

Palácio Zwinger –Sophienstrasse - 

Construído entre 1710 e 1728 pelo arquiteto Pöppelmann, em cooperação com o escultor Balthasar Permoser, fora originalmente concebido como laranjal e cenário de festividades da Corte, posteriormente utilizado para exposições. Era exemplo mais perfeito da arquitetura barroca tardia na Alemanha. No Palácio Zwinger estavam localizados a Galeria Semper, a Pinacoteca dos Antigos Mestres, a Coleção de Porcelana e o Museu de Matemática e Física. O Zwinger fora criado no ano de 1709, originalmente como uma praça cercada por construções de madeira e destinada a festividades, torneios e outros certames da Corte e da nobreza saxônica. Os pavilhões e Galerias ao lado da muralha serviam como estufas para laranjais e frutas cítricas. Havia também a Galeria Semperbau, criada pelo arquiteto Gottfried Semper entre 1847 e 1854 e que hoje abrigava as mais importantes coleções de quadros do período do Renascimento até o Barroco em todo o mundo.

 

Além da beleza própria da arquitetura e do paisagismo, era no Zwinger onde fora instalada a magnífica Coleção de Porcelanas saxônica, principalmente de Meissen – manufatura fundada por Augusto, o Forte, em 1708, que contava também com importantes peças chinesas e japonesas dos séculos XVII e início do século XVIII. No mais novo prédio chamado Semperbau, construído entre 1847 e 1855, estava a Galeria de Pintura dos Grandes Mestres, com cerca de 750 pinturas do século XV ao século XVIII. Entre as atrações da Galeria destacavam-se as obras:  Madona Suissa, de Rafael, Vênus Adormecida, de Giorgione, Moça Lendo uma Carta à Janela, de Vermeer. O Museu de Relógios Históricos exibia globos terrestres e celestes, dispositivos astronômicos, instrumentos históricos para calcular e desenhar comprimento, massa, temperatura e pressão do ar.

Entre 1723 e 1730, Augusto, transformara oito salas do térreo do Palácio em um museu-caixa-forte, bem moderno para a época. A coleção de obras de arte de exceção fascinara visitantes por mais de 200 anos, até o começo da Segunda Guerra Mundial, em 1939, quando fora fechado. Durante os bombardeios de 13 de fevereiro de 1945, todas as salas de exposição foram danificadas e três, completamente destruídas. A sorte fora que toda a coleção havia sido transferida para a fortaleza de Königstein, em 1942. Com o fim da Segunda Guerra, em 1945, ela foi confiscada pelo Exército Vermelho e transferida para a União Soviética. Em 1958, por ordem dos líderes soviéticos, as coleções voltaram para Dresden junto com outras centenas de milhares de obras de arte da Alemanha Socialista. Em 1963, o Palácio Zwinger havia sido restaurado em grande parte ao seu estado pré-guerra

Panômetro  - Gasanstaltstrasse,  8b - 

Apresentava aos visitantes um conceito de exposição totalmente único Um antigo gasômetro de Dresden abrigava uma exposição das mais interessantes sobre a história da cidade. Tratava-se de uma foto em 360 graus com 30m de altura e 100m de extensão, obra do artista iraniano-alemão Yadegar Assisi. Desde 2006, intercalavam-se como motivos de exibição a Dresden barroca, da época gloriosa em que a cidade alcançara a beleza que apresentava ainda hoje, e a Dresden destruída pelos bombardeios aliados entre 13 e 15 de fevereiro de 1945. A partir da primavera de 2021, voltara à cena a espetacular Dresden barroca. Abria de terças a domingos das 10.00 às 17.00h.

 

Pavilhão Schiller

Atendendo convite de Christian Gottfried Körner, Friedrich Schiller viajara para Dresden em 1785. Ele desfrutara da atmosfera harmoniosa da Vinícola de propriedade da família Körner e freqüentemente se retirava para esta pequena casa de veraneio onde trabalhava no manuscrito de Don Carlos e completava sua Ode à Alegria.

 

Praça do Teatro

Era a praça central e um lugar muito charmoso e que precisa estar no seu roteiro de viagem pela Europa. Com muitos monumentos e palácios barrocos, era uma região que valia conhecer, passear, registrar lindas fotos e fazer um pit stop para um almoço. Um marco importante do local era o Fürstenzug, um mural de 102 metros de comprimento que remonta aos anos de 1870. Seus azulejos de porcelana retratavam 35 ex-governantes e personalidades da Alemanha.

Praça Neumarket

Era a praça mais conhecida do centro de Dresden, estava sendo reconstruída gradualmente, seguindo seu antigo desenho barroco. O objetivo dos novos prédios era recriar as estruturas históricas. Como sua construção continuava durante o início do período barroco, o Neumarkt amadurecera e tornara-se uma obra de arte completa. A Guerra dos Sete Anos, de 1756 a 1763, danificara seriamente a área. A praça foi posteriormente reconstruída em um estilo barroco tardio mais simples. Com a construção da Frauenkirche em 1726-1743, a área unira-se mais fortemente criando um todo simbólico.

 

Nos anos seguintes, a praça mudara muito pouco, mas testemunhara numerosos conflitos políticos, como as batalhas revolucionárias de rua em maio de 1849 e os ataques destrutivos da Segunda Guerra Mundial. As ruínas da Frauenkirche e seus arredores permaneceram intocadas, por muitos anos, servindo como um memorial. A inauguração da Frauenkirche em 30 de outubro de 2005 dera vida nova ao Neumarkt. Desde então, vários bairros históricos foram renovados, combinando elementos do tradicional e do moderno. As casas senhoriais, com suas recriações fiéis das fachadas originais, conferiam um toque histórico e criavam uma experiência convidativa para passear, fazer compras e para um agradável jantar.

 

Ponte Augustus

Ligava Altstadt a Neustatd e fora construída a pedido do Rei Augusto II. A ponte, de estilo barroco, era caminho para quem quisesse conhecer a parte nova da cidade. Cruzar a ponte proporcionava uma bela vista para Altstadt e rendia boas imagens fotográficas.

Salão Matemático-físico -  Theaterplatz, 1 –

Reunia instrumentos científicos de séculos passados, relógios, instrumentos topográficos, acessórios para armas, observação ótica e astronômica e instrumentos de medição, auxiliares de cálculo e desenho, instrumentos para determinar comprimento, massa, temperatura, pressão do ar, objetos individuais importantes da tecnologia física experimental, como bombas de vácuo, espelhos ardentes vidros ardentes. Abria de terça a domingo das 10.00 às 18.00h.

 

Sala do Pensamento -  Sophiestrasse, 2 -

A antiga Igreja de Santa Sofia fora um prédio sagrado não muito longe do Zwinger, na história do campo e da cidade que perdurara por muito tempo. Era a Igreja Franciscana e da cidade de Tornou - era a igreja da religião protestante. Os bombardeiros reduziram a Sophienkirche às ruínas, em 13 de fevereiro de 1945. Quando de sua demolição em 1962 e 1963, era a única igreja gótica da cidade de Dresden que mantinha sua estrutura básica. A recém-construída Capela Busman, arquitetonicamente abstrata, uma grande escultura construída de maneira espetacular, era uma lembrança desse passado. As visitas eram organizadas pelos administradores e geralmente ocorriam aos sábados e eram facilitadas mediante prévia reserva.

 

Sinagoga histórica

Fora construída entre 1838 e 1840 de acordo com planos e sob a supervisão do arquiteto Gottfried Semper. O local original de culto judaico na cidade, fora seriamente danificado durante a infame noite de pogroms na Alemanha, em 1938 e foi posteriormente demolido. Exatamente 60 anos depois, em 9 de novembro de 1998, a primeira pá foi virada para iniciar a construção de uma nova Sinagoga. A comunidade judaica local contava com uma história de mais de 160 anos. A consagração da Nova Sinagoga  em novembro de 2001 marcara o fim de um longo período de espera por um novo local de culto permanente. O prédio ficava quase exatamente no mesmo local que seu antecessor: em Hasenberg, ao lado da ponte Carolabrücke.

 

Residenzschloss

O Castelo de Dresden (Palácio Real) se chamava Residenzschloss e era um dos mais antigos prédios da cidade, tendo servido de residência dos Reis da Saxônia por quase 400 anos.  Com estilo barroco e neo-renascentista, o castelo fica na parte da Cidade Velha e atualmente era um importante centro cultural da cidade. Foi completamente destruído durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial, em 1945, sendo completamente restaurado tempos depois. Além da grande quantidade de obras de arte era possível subir na torre Hausmann com seus 100 metros de altura e ter uma vista panorâmica da cidade.  Abrigava mais de 3.000 tesouros feitos de ouro, pedras preciosas, prata, marfim, âmbar e madrepérola. 

Teatro

Os teatros de Dresden também contribuíram para a reputação mundial da cidade como centro de arte e cultura. Eram magníficos prédios teatrais, como a famosa Ópera Semper, que demonstravam através da sua aparência a importância atribuída a este gênero de arte. Embora todos os teatros tenham sido destruídos durante a Segunda Guerra Mundial, os entusiastas do teatro ainda podiam escolher entre uma programação diversificada.Os amigos da Ópera poderiam desfrutar de apresentações na Ópera Semper , que fora reconstruída e restaurada ao seu antigo esplendor. Aqueles que preferem entretenimento musical leve encontrariam prazer na Opereta Estadual  de Dresden, que apresentava operetas, musicais e ópera, focado no lado alegre e divertido, do teatro musical e um dos poucos teatros nos países de língua alemã que se concentrava precisamente neste gênero. O versátil conjunto - composto por cantores, coro, balé e orquestra - ocupava sua nova sede desde dezembro de 2016. Era um teatro moderno, desenvolvido no marco do Kraftwerk Mitte, combinando a arquitetura industrial com novas instalações.

 

O Dresden Staatsschauspiel proporcionava a seus espectadores uma ampla variedade de arte dramática. A necessidade de entretenimento espirituoso de alto padrão era atendida pela Dresden Comedy House um teatro independente, com produções em constante mudança. Os jovens eram atraídos pelo Teatro para a Geração Jovem que disponibilizava diversas linhas artísticas para diferentes idades. Locais como o Societaetstheater , o Festspielhaus Hellerau e o projekttheater estavam abertos à cena alternativa de dança e teatro moderno. No verão, apresentações de teatro ao ar livre poderiam ser apreciadas em vários locais charmosos e atraentes da cidade – por exemplo, no pátio Zwinger, no Stallhof,  no Park Theatre ou nos terrenos do Palácio Pillnitz .

Teleféricos

Instalado próximo do centro histórico e da zona de Loschwitz, até as margens do Rio Elba havia um teleférico que começara a operar em maio de 1901, considerado o primeiro ascensor de montanha do mundo. Com um percurso de 547 metros e uma cota de altitude de 95 era chamado pelos locais de Bell e proporcionava uma bonita vista da cidade.

 

Terraço Brühlsche e Fortaleza – Georg-Treu Platz, 1 -

Debaixo do Terraço de Brühl, mas aberta ao público desde 1814, ficava a Fortaleza, construídas em forma de anel de muralhas e rodeadas por um fosso de água, eram consideradas estruturas renascentistas mais antigas da cidade. Aqui se encontrava o Brick Gate, de 400 anos, o único portão original da cidade que sobrevivera em Dresden, completo com salas de guarda. E onde poderia ver as relíquias dos sistemas de medievais de medievais, a ponte da cidade velha, o pequeno baluarte e as casamatas. Encontrado no mesmo terraço em que Johann Friedrich Böttger conseguira produzir a primeira porcelana européia de pasta dura, em 1708. Numa exposição permanente intitulada As Fortificações da Cidade Renascentista se poderia ter uma boa idéia dessa época.

Trabi Safari

Era um passeio num carro antigo em Dresden e que também era oferecido em Berlim. Uma maneira divertida de circular pela cidade.  

DRESDEN 1.jpg
DRESDEN 2.jpg
DRESDEN 7.jpg
bottom of page