top of page

BRUGES  -  A charmosa Veneza do Norte  -
Bélgica    

BRUGGES 5.jpg

ETIAS 2025 - Autorização para entrar na Europa

Anunciado em 2016, o  European Travel Information and Authorization System (ETIAS) — Sistema Europeu de Informação e Autorização — está cada vez mais próximo de ser concretizado. A nova regra de entrada de estrangeiros na Europa se baseia no sistema americano, com maior segurança e será válido a partir de 2025. mas ainda sem data para início do procedimento. O sistema verificará as credenciais de segurança e cobrará uma taxa (atualmente divulgada como sete euros) dos viajantes que visitam os países-membros do Tratado de Schengen, para fins de negócios, turismo, médicos ou de trânsito.Os viajantes, que atualmente visitam a Europa sem Visto, podem entrar na UE e nos países-membros de Schengen, gratuitamente e sem qualquer triagem de segurança digital antes de sua chegada à Europa. Vale lembrar que o ETIAS não é um Visto, mas uma autorização de viagem para viajantes que não precisam de Visto Consular para visitar a Europa.

 

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar esta história e encantadora cidade belga. Escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui...

Uma das cidades belgas mais procuradas pelos brasileiros, a medieval e romântica cidade de Bruges, era muito bem preservada. Servida pelo Rio Dijver, era toda cortada pelos canais e passeando por eles se poderia apreciar melhor sua arquitetura rebuscada e charmosa, um dos orgulhos de seu povo. A cidade abrigava um bom número de construções medievais, de seu período de apogeu, no século XII e XIII, quando era um grande centro europeu de comércio de tecidos, reputados em toda a Europa. O prédio de sua Prefeitura (Stadhuis) era considerado um dos mais bonitos do país.

Um pouco de sua história

As coisas corriam bem para os lados de Bruges que, no fim século XV, tinha o dobro de habitantes de Londres. Embora estivesse longe do mar, seu porto fora construído somente no século XIX, e o acesso era através do Canal denominado Zwin. Como esse Canal foi se estagnando, o comércio de Brugges também foi paralisando, deixando a cidade isolada e quase em processo de extinção. Essa fase difícil durou quase 400 anos, período em que a vizinha Antuérpia prosperava e se destacava definitivamente no cenário comercial belga. A cidade foi totalmente repaginada, por volta de 1870, para passar ainda mais uma nova imagem aos turistas. Ao perceber que a economia não estava indo bem, o Conselho de Bruges decidiu contratar o arquiteto Louis Delacenserie para implantar um toque medieval nas construções da cidade. Na Basílica do Sangue Sagrado, se poderia ver um pouco do trabalho de Louis, realizados ao longo dos anos de 1870 e 1877.

Conhecida como Veneza do Norte, Bruges era uma pequena cidade situada na região norte (Flandres), próximo à capital Bruxelas. A antiga arquitetura permanecia intacta, igual a quando foram construídas, nos séculos XIII a XV, todas em pedra e madeira.  O Centro Histórico era Patrimônio Mundial da UNESCO, desde o ano 2000, onde despertava a atenção dos visitantes a limpeza, a organização e a atenção da Guarda Municipal e dos agentes turísticos, em prestar informações e orientação aos visitantes.

A cidade ficava a 55 minutos de trem de Bruxelas. Nos finais de semana dava para comprar um bilhete de ida e volta pelo valor de apenas um trecho, que ficava em torno de 20 euros, mas só poderá ser utilizado no mesmo dia. Se o tempo permitir, aproveite para conhecer a pequena e histórica cidade de Gent, situada no meio do caminho.  Descobrirá fora da área central, a Brugges de hoje, moderna e vibrante, como deveria ter sido no passado. Quando visitá-la, procure a Spegelaere, uma confeitaria que ficava no número 92 da Ezelstraat, e que abria das 8.00 as 18.00h. de terça a sábado e aos domingos das 9.000 as 13.00h. Atenção: Aqui existia um lugar “pega ratão”, chamado de Mundo do Chocolate. Não vá até lá porque é uma fria!!

Basílica do Sangue Sagrado - Burg, 13 - 

A Igreja era conhecida por um famoso cilindro, que diziam conter o sangue de Jesus, material que foi achado em uma Cruzada a Jerusalém, no século XII, sendo uma relíquia venerada pela população local, há aproximadamente 750 anos. Os fiéis afirmavam que quando o sangue era retirado para adoração, se transformava de sólido em fluído. Alguns cientistas afirmavam que esse fenômeno ocorre devido à alteração de temperatura dos ambientes. Pura ciência!

​A veneração ao sangue acontecia todos os dias, de 11.30 as 12.00h; de segunda a quinta-feira de 14.00 as 15.00h e de sexta a domingo de 14.00 as 16.00h. Horário de visita a Basílica: de 9.30 as 12.00h e de 14.00  as 17.00h ( fechava nas quartas-feiras no período de 1 de novembro a 31 de março – exceto nas férias escolares ). A entrada era gratuita.

As atrações históricas e turísticas

Adornes State e Capela de Jerusalem – Peperstraat 3ª -

O domínio de Adornes consiste na mansão da rica família de mercadores Adornes. A Capela de Jerusalém do século XV foi construída por esta família e uma série de asilos adjacentes. No museu multimídia, volta-se no tempo para explorar a vida de Anselm Adornes e o mundo da Borgonha em que ele viveu. Desfrute também de uma pausa agradável no ambiente elegante e familiar do Scottish Lounge.

Basílica do Sangue Sagrado – Burg Straat, 13 - 

A Igreja era conhecida por um famoso cilindro, que diziam conter o sangue de Jesus, material que foi achado em uma Cruzada a Jerusalém, no século XII, sendo uma relíquia venerada pela população local, há aproximadamente 750 anos. Os fiéis afirmavam que quando o sangue era retirado para adoração, se transformava de sólido em fluído. Alguns cientistas afirmavam que esse fenômeno ocorre devido à alteração de temperatura dos ambientes. Pura ciência!

​A veneração ao sangue acontecia todos os dias, de 11.30 as 12.00h; de segunda a quinta-feira de 14.00 as 15.00h e de sexta a domingo de 14.00 as 16.00h. Horário de visita a Basílica: de 9.30 as 12.00h e de 14.00  as 17.00h ( fechava nas quartas-feiras no período de 1 de novembro a 31 de março – exceto nas férias escolares ). A entrada era gratuita.

Bibliotecas Secretas -   Carmersstraat, 85 – Convento Inglês -

Os religiosos residentes do Convento dos Ingleses e do Convento das Carmelitas convidavam a conhecer os seus prédios e o seu modo tradicional de vida conventual. O Convento Inglês era conhecido por sua igreja abobadada única, enquanto o Convento Carmelita tinha um refeitório impressionante. Junto com um Guia, embarcava-se em uma jornada serena e espiritual, tendo os livros como fio de prata. No final do passeio matinal, o visitante ea apresentado a um dos monges ou monjas.

​Belfry – Belfort Market, 7 -

Além de apreciar o monumento pela parte externa, se poderia subir os seus 366 degraus e admirar a vista panorâmica da cidade. Como a escada era estreita e em formato de caracol, só era permitido subir até 70 pessoas por vez e, por isso, costumava ter fila na entrada.  A torre tinha 83m de altura e a visita era das 09.30 as 17.00h. O ingresso custava € 10 e 8 € para menores de 26 anos. Os portadores do Bruges City Card não pagavam.

Campanário - Nonnenstraat -

Foi construido em etapas. Inicialmente, no século XIV foram construídos o Campanário e o corpo do prédio, como um Complexo formado por duas partes. Alguns anos depois, um terceiro pavimento, de 80 metros, foi erigido em pedras, para ser usado como Observatório, para que se pudesse identificar algum eventual incêndio viesse destruír a cidade, o que era comum acontgecer naquela época.

Dentre as atrações para visitar, estavam os Jardins das Beguinas de Flandres, onde existia uma comunidade com cerca de 1.200 mulheres, que viviam retiradas e dedicadas a cultuar Deus, e sem nenhum tipo de Ordenação. Em tempos passados existiam várias comunidades de Beguinas, que ocupavam seus espaços nos então chamados Países Baixos. Eram comunidades cercadas por muros, voltadas para um grande jardim central, onde havia apenas uma igreja. Devido essa crença, elas acabaram sendo rejeitadas pela Igreja Católica, tendo que viver uma vida independente. Hoje em dia nenhuma beguina mora no local, mas o lugar ainda permanece exclusivo à mulheres e seus portões fechavam todos os dias as 18.30h, não sendo permitido a entrada de homens depois desse horário. Cala te boca !

Catedral de São Salvador -  Steenstraat –

A igreja paroquial mais antiga de Bruges, do  século XII e XV, tinha entre seus tesouros um sótão com órgão, túmulos medievais, tapeçarias de Bruxelas e uma rica coleção de pinturas flamengas do século XIV e XVIII. A Câmara do Tesouro exibia, entre outras, pinturas de Dieric Bouts, Hugo van der Goes e outros primitivos flamengos.

 

Cervejaria De Halve Maan -  Walplein, 26 -

Era  uma empresa familiar, com uma tradição que remontava a seis gerações desde 1856.Era aqui que a cerveja Brugse Zot - era produzida, uma cerveja de alta fermentação e sabor forte à base de malte, lúpulo e com levedura especial. Em 2016, um oleoduto de cerveja subterrâneo exclusivo, com cerca de 3 km de comprimento, foi instalado da Cervejaria até a fábrica de engarrafamento, nos subúrbios. Visitas guiadas e degustações de cerveja eram oferecidas aos turistas.

Experiência da cerveja em Bruges -  Breidelstraat, 3 - 

Descubra de forma interativa tudo o que gostaria de saber sobre as matérias-primas da cerveja, processo de fabricação, harmonização de alimentos, cerveja em Bruges, cervejas trapistas e de abadia. As crianças acompanham o Kids Tour, que contava a história do Urso de Bruges. Um bar com seus 16 tipos de cerveja, era aberto a todos e tinha uma bela vista da Praça do Mercado.Era muito mais do que apenas um museu! Era uma visita obrigatória para quem desejasse experimentar os aspectos mais fascinantes da cerveja! 

​Igreja de Nossa Senhora -  Fica na Mariastraat -

Aqui estava uma das obras primas de Michelangelo, a Madonna e a criança, e a estátua de Maria com o Menino Jesus, criação do artista, por volta do ano de 1504. A igreja tinha 122,3 metros, sendo a construção mais alta da cidade e a segunda mais alta torre de alvenaria do mundo. Em seu interior encontrava-se uma riqueza de tesouros artísticos, com inúmeras pinturas, criptas pintadas dos séculos XIII e XIV e os túmulos dos séculos XV e XVI, de Maria da Borgonha e Carlos, o Temerário.

Igreja de Santa Ana -  Sint-Annaplein -

Esta singela igreja gótica de nave única, construída no século XVII, surpreendia pela opulência do seu rico interior barroco, fruto de doações de abastados beneméritos locais. Admire a complexidade da tela de mármore, os ricos painéis de madeira com cabines de confissão embutidas, as telas de Jan Garemijn e a maior pintura única em toda Bruges.

Igreja de Santa Madalena - Corner Stalijzerstraat & Schaarstraat -

Construída em meados do século XIX, foi uma das primeiras igrejas neogóticas do continente europeu. Este estilo de arquitetura, popularizado pela primeira vez na Inglaterra, foi trazido para Bruges por imigrantes britânicos. Foi assim que o neogótico apareceu nas ruas de Bruges. Dentro da igreja, se poderia conhecer o YOT, uma organização que explorava o significado da tradição cristã na sociedade moderna.

Igreja de São Gil –  Baliestraat, 2

Na Igreja de Saint Giles, a única no centro da cidade com um relógio de torre, e onde muitos dos grandes artistas de Bruges foram enterrados, entre eles Hans Memling, Lanceloot Blondeel e Pieter Pourbus. A igreja datava do século XIII, mas foi reconstruída no século XV. O exterior era um belo exemplo do robusto estilo gótico em tijolos, enquanto o interior tinha uma aparência neogótica do século XIX mais refinada.

Igreja de São Tiago – Sint-Jakobsplein, 1 -

No segundo quarto do século XIII, a modesta Capela de Santiago foi elevada à categoria de igreja paroquial. Durante o século XV, esta simples casa de oração foi ampliada para o tamanho atual. A igreja agora era famosa por sua rica coleção de tesouros artísticos, doados por ricos moradores locais que viviam nas proximidades, e por seus belos exemplos de arte funerária.

Igreja de Saint Walburga –- Sint-Maartensplein - 

Em 1619, um irmão leigo de Bruges, Pieter Huyssens, foi contratado para construir uma igreja de prestígio e que expressasse os valores e crenças dos jesuítas. O resultado foi a Igreja de St. Walburga, que era a igreja mais ricamente decorada em puro estilo barroco. Admire sua fachada dinâmica, seus muitos detalhes arquitetônicos internos e os móveis da igreja, elaboradamente decorados.

Praça Brug -

A área do centro da cidade era considerada Patrimônio Histórico pela UNESCO, por sua arquitetura e capacidade de ilustrar o comércio e cultura medieval européia. Aqui ficava a Basílica do Sangue Sagrado, uma das menores basílicas do mundo. Construída no século XII, possuia um relicário, que diziam ter vindo da Terra Santa, com o sangue de Jesus Cristo. Quem colheu o sangue, ninguém sabia dizer!

Caminhando por entre tantos registros históricos, encontrará não somente lojas de chocolates e cervejas, mas também com o Tintin e seu fiel cão, das Aventuras de Tintin, um famoso personagem criado em 1929, pelo belga Georges Prosper Remi (conhecido como Hergé). A Rua Breidelstraat ligava as duas principais praças da cidade, Markt e Burg. Era repleta de lojinhas que vendiam chocolates, souvenier e as famosas rendas da cidade.

​Minnewater –

O Lago do Amor - Aqui também havia uma estória de amor interessante para chamar a atenção dos visitantes. Constava que um marinheiro que vivia junto ao lago, teria escolhido um pretendente para sua filha, Minna, que era apaixonada por outro homem que teve que partir quando começou a guerra contra os romanos. Antes de partir, teriam jurado amor eterno. Por algum tempo ela teria convencido seu pai que o casamento com o noivo escolhido não daria certo, mas chegou um  momento que ele não aceitou mais essa desculpa e a obrigou a casar. Dividida entre a promessa ao amante e a vontade de  seu pai, ela resolveu fugir para nunca mais voltar. Ao final da guerra, quando o seu amado retornou a cidade, ele descobriu que ela não estava mais lá e começou a uma árdua busca por seu amor. Ao reencontrá-la, ela estava tão exausta de sua peregrinação, que acabou morrendo em seus braços. Puro amor!

​Swan -

Diziam que a presença dos cisnes nos lagos de Brugges era  uma punição à população, feita pelo Imperador, após a execução de Pieter Lanchals,  um dos administradores da cidade. Como o significado do sobrenome dele era pescoço longo, e o Brasão de Armas da família Lanchals, era um Cisne, o Imperador amaldiçoou a cidade, para sempre ter essas aves nos lagos, e para nunca esquecer o crime cometido.  

 

​​​​Museus de Bruges -

​Há diversos museus interessantes e diversificados, coleções que iam desde a arte primitiva flamenga até a arte contemporânea, passando por achados arqueológicos, móveis, prataria e museus bem inusitados, como o da batata frita, do chocolate e da cerveja. Uma sugestão era adquirir o Musea Brugge Card, um cartão que possibilitava a entrada em 14 estabelecimentos da cidade, incluindo o Campanário e a Igreja de Nossa Senhora. O Passe, que valia por três dias e podia ser adquirido na Recepção de museus da cidade, custava €20 (26 anos em diante) e €15 (de 12 a 25 anos). Um dos principais museus da cidade era o Groeninge, que oferecia ao visitante uma visão geral da história das artes plásticas na Bélgica. O foco era a coleção mundialmente famosa de pinturas primitivas flamengas, com obras de arte de artistas como Jan van Eyck, Hans Memling, Hugo van der Goes e Gerard David. A entrada custava € 10.

No Grote Markt, além do Campanário, o visitante poderia visitar o Museu Expo Salvador Dali, uma grande coleção de gráficos e esculturas autênticas de autoria do famoso surrealista espanhol. O museu abria diariamente, das 10.00 as 18.00h, e a entrada custava €10. Com 800 anos de existência, o Sint Janshospitaal era um dos prédios de hospital mais antigos e preservados, da Europa. No local, encontravam-se belas pinturas, com destaque para os trabalhos do artista flamengo Hans Memling, esculturas e móveis utilizados na época em que o hospital, comandado por monges e freiras, recebia e abrigava enfermos, peregrinos e pessoas de baixa renda. Aproveite para conhecer a antiga farmácia e o jardim de ervas. A entrada custava € 10.

Três iguarias da gastronomia belga, as batatas fritas no cone, os chocolates e a cerveja, também eram temas de museus da cidade. No Friet Museu o visitante conheceria a história do famoso snack vendido em cones por toda a Bélgica e também  poderia experimentá-los no final do tour. A entrada custava € 10 (adultos) e €6 (6 a 11 anos). O Choco Story relatava a transformação do cacau em chocolate e como os belgas produziam um dos chocolates mais celebrados do mundo. A entrada custava €10 (adultos) e €7 (6 a 11 anos).

O Bruges Beer Museum oferecia um tour super interativo — feito com o auxílio de um iPad — que proporcionava ao visitante uma boa idéia do que a cerveja representava para Bruges, tipos de cervejas e processo de produção. Ao final do tour, o visitante poderia degustar três tipos de cerveja na cafeteria, com vista para a Grote Markt; o tíquete, incluindo a degustação, custava €16 e €10 (sem a degustação). 

Museu Casa Arents -   Dijverstraat, 16 - 

A obra do  talentoso britânico  Frank Brangwyn  é exibida no último andar desta elegante  mansão do século XVIII. Brangwyn foi  um proeminente  artista gráfico e pintor, designer  de tapetes, móveis,  vitrais, cerâmica e jóias e até as vitrines foram  feitas de acordo com seu projeto. 

Museu da Batata Frita - Vlamingstraat 33 –

As peças expostas no Museu contavam a história da batata desde sua origem, no Peru, até a chegada à Europa pelas mãos dos Conquistadores espanhóis e a popularização pelo mundo, depois que soldados americanos e britânicos, que lutavam na Primeira Guerra Mundial, provaram o tubérculo frito vendido nos portos belgas. A coleção também incluia equipamentos utilizados na produção da batata frita ao longo da história, além de 400 objetos antigos, entre eles uma coleção de cerâmicas incas do período pré-colombiano. Inaugurado em 2008  era o único museu do mundo dedicado às batatas fritas. Eles seriam os responsáveis pelo nome como o prato ficou conhecido em inglês – french fries em alusão ao idioma falado pelos belgas (ao lado do flamengo, derivado do holandês).

Museu da Cultura Popular – Balstraat, 43 -

Instalado em casas de trabalhadores restauradas que mostravam a vida cotidiana em Bruges, durante o século XIX e início  do século XX, proporcionava a visita a  uma  aula, alfaiataria, farmácia, confeitaria  e fitoterapia. O piso superior era reservado para exposições temporárias. Todas as primeiras e terceiras quintas-feiras do mês, um mestre pasteleiro enchia as salas do museu de doces aromas. Adquirindo o Museu Brugges Card poderá visitar este e todos os outros lugares abertos no Musea Brugge, por 72 horas e a um preço reduzido.

Museu da Tortura Oude Steen – Wollestraat, 29 -

No início da Idade Média, o local era a prisão mais antiga da cidade. Recentemente, uma adega do século XI foi transformada neste museu histórico que  retratava a história de uma das páginas mais sombrias da humanidade. Figuras de cera realistas, com autênticos instrumentos de tortura, demonstravam de maneira incrível do que o homem efa capaz, o quanto evoluímos nesse meio tempo e onde ainda existiam armadilhas no sistema jurídico contemporâneo. Mostrava uma coleção notável e  arrepiante de instrumentos  de tortura e relatos sobre a história da  lei, ordem e justiça na cidade. Dava para refletir  sobre a complexa  relação entre o bem e  o mal, e como a Justiça nos  tempos antigos e medievais, se equilibrava continuamente  na  fronteira entre a violência e a  retidão. Abria das 10.30 até as 18.30h.

Museu de Nossa Senhora da Olaria – Potterierei, 79 B -

Este hospital fora mencionado pela primeira vez nos registros  que datavam do século XIII, quando as freiras cuidavam de peregrinos, viajantes  e doentes. Atualmente a histórica Enfermaria e Convento albergavam inúmeras obras de arte,  artefatos religiosos e instrumentos médicos  de vários  séculos de cuidados. A igreja adjacente, com o seu interior barroco, também merecia uma visita. No altar estava uma estátua milagrosa do século XIII, uma das mais antigas de Bruges. O culto da estátua milagrosa de Nossa Senhora, de Michelangelo desenvolveu-se rapidamente.  Atualmente, a exposição exposta no templo oferecia valiosos ex-votos - pinturas, esculturas, tapeçarias e uma coleção exclusiva de prataria.

Museu do Chocolate - Wijnzakstraat 2 - 

Instalado em um prédio antigo que datava do século XV, ocupava 4 andares e contava a história do cacau e do chocolate. Reunia mais de 1.000 objetos antigos e 80 quadros informativos, explicava a história de como o chocolate evoluiu desde suas origens como uma bebida apimentada maia, para se tornar o delicioso doce que conhecemos. A visita terminava com uma demonstração de como fazer doces de chocolate belga que podiam ser degustados. O bilhete combinado do Choco-Story com o Museu do Diamante custava €20 e inclui demonstração de lapidação de diamante. O bilhete combinado Choco-Story e Lumina Domestica e bilhete combinado Choco-Story com Belgian Fries Museum custava € 18 para pessoas com 65 anos  e estudantes € 14.

Museu do Diamante – Katelijnestraat, 43 -  

Era uma instituição privada, criada por John Rosenhoe para preservar a habilidade da indústria de diamantes no país. A base da exposição no museueramo ornamentos únicos que foram criados para os Duques da Borgonha no século XIV. Na época Bruges era um dos vários centros de terminação dessas pedras em todo o mundo. Foi aqui que o joalheiro local Ludwig van Burke criou um novo método para o polimento de diamantes.

Oferecia aos seus visitantes a possibilidade de acompanhar todo o trajeto deste rei das pedras, desde o momento de sua extração nas montanhas até o resultado final – o corte, polimento e transformação em uma peça de arte. A equipe do laboratório fazia uma palestra sobre oito propriedades do diamante: pureza, peso, diâmetro, forma, cor, rugosidade, condutividade térmica e brilho, e conduzia pesquisas de diamantes sobre a experiência prática. Para chegar use o ônibus número 1 ou o número 93 até Bruge Begijnhof de carro ou táxi. Abria diariamente das 10.30 as 17.30h. O ingresso simples custava 10 euros para adultos e 6 os demais e para a demonstração de polimentos o ingresso aumentava para 12 Euros.

Museu-Galeria Xpo Salvador Dalí – Marktstraat, 7 -

Localizado no Palazzo del Belfort, nos Cloth Halls, se poderia admirar uma fantástica coleção de gráficos e estátuas do grande artista Salvador  Dalí. Eram todas obras autênticas descritas nos Catálogos  Raisonnés, que detalhava a obra de Salvador Dalí. A coleção era apresentada em uma sensacional decoração Daliesque de espelhos, ouro e rosa choque. Na espetacular e extravagante instalação, os quartos são inspirados nas atmosferas das pinturas do artista e suas obras autênticas brilham nas cores que mais lhe agradam: ouro, rosa choque e superfícies espelhadas. O corpus de obras expostas varia todos os anos, para permitir que os visitantes descubram a cada vez uma nova parte da vasta coleção gerida pela empresa Inter Art nv.

Museu Guido Gezelle – Rolwegstraat, 64 –

Era focado integralmente em Guido Gezelle, um importante poeta e lingüista holandês. Sua personalidade e obra ganhvam vida na grande coleção de manuscritos, fotografias, livros, mesa de trabalho e vários itens pessoais. Gezelle nasceu nesta casa e aqui passava sua juventude. A casa datada do século XVI e a partir de um acordo a administração da cidade, comprou a casa onde nasceu, na cidade de Rolweg.

Museu Groeninge -  Dijver, 12 -

Mostrava a visão da história da  arte visual belga, com  destaque para as pinturas de primeira classe dos primitivos flamengos,  de renome mundial  entre outras obras-primas,  Madonna, com Canon Joris Van  der Paele, de  Jan van Eyck e o Moreel  Triptych, de Hans Memling. Era uma  das mais belas coleções do  mundo, contendo muitas  obras  marcantes da história da  arte européia. Aprecie as jóias dos  mestres renascentistas e barrocos,  telas neoclássicas de Brugges dos séculos XVIII e XIX e obras-primas pelos expressionistas flamengos. Com o Musea Bruge Card poderá visitar este e todos os outros locais abertos, por 72 horas a um preço reduzido.

Museu Gruuthuse – Dijver, 17-C –

Visitando o museu que homenageava Lodewijk van Gruuthuse, encontrará tapeçarias maravilhosas, elegantes esculturas, vitrais coloridos, rendas históricas, manuscritos da Borgonha e porcelana chinesa. Cada um dos objetos contava uma história única da cidade. Destaque para a Capela de Oração, do final do século XV, que ligava o Palácio a Igreja de Nossa Senhora, com vista para o Coro gótico da igreja.  

Museu Histórico de Bruges – Markt Straat, 1 -

Retorne no tempo e imagine a movimentada cidade de Bruges na Era de Ouro, de várias maneiras. Conheça a emocionante história do aprendiz de Jan van Eyck, com filmes, cenários e efeitos especiais. No Historium Virtual Reality, poderá fazer um impressionante vôo virtual pela arquitetura do século XV, incluindo os Water Halls, uma grande área de armazenamento que ficava na Praça do Mercado, por cinco séculos. Suba na Torre Historium e desfrute de uma vista única de 360° da cidade moderna e tire uma selfie com o Campanário ao fundo. O ingresso incluia um áudio-guia disponível em 10 idiomas e a Exposição Historium. Havia vários tipos de ingressos.

Museu Lumina Doméstica –  Wijnzakstraat, 2  - Sint-Jansplein -

Era o Museu da Lâmpada e  continha a maior coleção de lâmpadas, abajures e luzes do mundo. Mais de 6.000 antiguidades contavam a história completa da iluminação interior, desde a lanterna e candeeiro de parafina até à lâmpada e LED. O pequeno desvio para o mundo dos animais e plantas luminosas era bem interessante. Desta forma, poderá descobrir, por exemplo, os mistérios da luz do pirilampo, do peixe-lanterna e da pequena lanterna chinesa. Abria todos os dias da semana das 10.00 as 17.00h.

​Onde dormir

 

Hotel Academie - $$$ - Wijngaardstraat, 7-9 - Centro Histórico –

Ficava próximo do famoso Minneswater em uma área pitoresca e tranqüila. Os quartos dispunham de ótimas camas, banho privativo com chuveiro e banheira, cafeteira e Wifi gratuito. Tinha um bar aconchegante, estacionamento no subsolo e um terraço com um belo jardim.

Hotel Aragon - $$$$ -  Naaldenstraat, 22 –

Recém reformado, oferecia quartos e apartamentos espaçosos na área central, a 100 metros da Praça do Mercado. Os quartos dispunham de móveis modernos, ótimas camas, Wi-Fi gratuito, TV de tela plana e banheiro com amenities, e comodidades para preparar café e chá. Os apartamentos possuiam sala, cozinha totalmente equipada e TVs em todos os quartos. Servia um buffet de café da manhã com uma ampla variedade de produtos e pães preparados no dia. O estacionamento privativo limitado era localizado nas proximidades do estacionamento público De Biekorf. Tinha um ótimo bar.

Hotel B&B ´t Walleke - $$$ -  Carmersstraat, 41 - Centro Histórico

Dispunha de somente três quartos bem equipados, e um acolhimento nota dez. Havia uma bela e espaçosa sala de estar comum, com terraço adjacente e cozinha. Estava localizado num tranqüilo bairro, à sombra dos  históricos moinhos e rodeado pelo Convento Inglês, Museu do Folclore, Centro Lace, Igreja de Jerusalém, Museu do Guido Gezelle e St. O Guild, em Sebastian.

Hotel Duke`s Palace Brugge - $$$$$ -  Prinsenhof, 8 - Centro Histórico –

Estava localizado em uma antiga residência Ducal, do século XV. Os quartos na parte principal do castelo incluem tetos altos e características originais e uma decoração clássica e luxuosa de um hotel cinco estrelas. Todas as unidades tinham ar-condicionado, frigobar, mesa auxiliar e banheiro espaçoso. O Bar Dukes servia café e coquetéis em um ambiente descontraído e com confortáveis poltronas. O restaurante Dukes oferecia pratos refinados da culinária belga preparados com ingredientes sazonais.

Hotel Monsieur Maurice - $$$ - Leeuwstraat,  8 - Centro Histórico –

Os quartos incluiam camas amplas e modernas, mesa auxiliar, TV de tela plana e banheiro privativo e também há quartos para famílias. Dispõe de bar e Wi-Fi gratuito.

Hotel Portinari  - $$$$ - 't Zand, 15 - Centro Histórico  -

Todos os quartos tinham ar-condicionado, frigobar, cafeteira, TV de tela plana a cabo, e banheiro privativo, com uma banheira ou chuveiro. O buffet de café-da-manhã era servido no restaurante. Havia quartos para famílias e para não fumantes. Tinha um ótimo bar e o Wi-Fi era acessível em todas as dependências.

Martin`s Bruge - $$$  - Oude Burg, 5 - Centro Histórico –

Os quartos possuiam ar-condicionado, mesa auxiliar, e Wi-Fi gratuito. O restaurante funcionava de dia e à noite e servia refeições típicas regionais. Tinha quartos para família e para não fumantes. O bar instalado no terraço servia coquetéis e as famosas cervejas belgas. Tinha estacionamento sob demanda.

 

​Detalhes e curiosidades

  • ​​​Para aproveitar ao máximo os pontos turísticos, timnha a opção de comprar o Brugge City Card, que dava direito a entrar em 27 museus, andar de barco e usar o mini ônibus de turismo, pagava-se  (€40 por 48h €45 por 72h);

  • Alguns museus e bares fechavam na segunda-feira;

  • Bruges tinha duas praias: Knokke e a Zeebrugge;

  • ​​​Entre  os meses de maio e setembro, era proibida a venda de bebidas alcoólicas de 23.00 às 7.00h,  em lojas de Conveniência;

  • ​​Constava que os moradores de Bruges tampavam as janelas com tijolos para pagar menos impostos. Porque no século XIX, os impostos sobre as casas eram calculadas de acordo com o número de janelas de cada habitação. Caminhando pela Rua Ververdijk, se poderia ver algumas janelas fechadas.

BRUGGES 7.jpg
BRUGES 10.jpg
BRUGES.8jpg.jpg
bottom of page