top of page

BRATISLAVA - A bela e surpreendente capital da Eslováquia - parte 1/3

Castelo de Bratislava.jpg

ETIAS 2025 - Autorização para entrar na Europa

Anunciado em 2016, o  European Travel Information and Authorization System (ETIAS) — Sistema Europeu de Informação e Autorização — está cada vez mais próximo de ser concretizado. A nova regra de entrada de estrangeiros na Europa se baseia no sistema americano, com maior segurança e será válido a partir de 2025 mas ainda sem data para inicio do procedimento. O sistema verificará as credenciais de segurança e cobrará uma taxa (atualmente divulgada como sete euros) dos viajantes que visitam os países-membros do Tratado de Schengen, para fins de negócios, turismo, médicos ou de trânsito. Os viajantes, que atualmente visitam a Europa sem Visto, podem entrar na UE e nos países-membros de Schengen, gratuitamente e sem qualquer triagem de segurança digital antes de sua chegada à Europa. Vale lembrar que o ETIAS não é um Visto, mas uma autorização de viagem para viajantes que não precisam de Visto Consular para visitar a Europa.

 

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar esta bela cidade eslovaca. Escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui...

Segurança

Fora  eleita a sétima cidade mais segura do mundo, pelo Global Peace Index Report  2022.

 

Bratislava era capital e principal cidade da Eslováquia, situada no sudoeste do país, junto das fronteiras com a Áustria e Hungria, tornando-se assim, na única capital européia situada na fronteira com outros dois países. A cidade era também cortada pelo Rio Danúbio. Com cerca de 450 mil habitantes, era a maior cidade do país. Os Cárpatos, uma das Cordilheiras européias, começavam no território da cidade  e eram chamados de Pequenos Cárpatos. Era a sede da Presidência, do Partido e do Governo eslovaco, contava com Universidades, museus, teatros e toda infra-estrutura comum às grandes cidades, no que tangia a vida política, cultural e social do ocidente.

A Eslováquia, como a conhecemos, era um país de formação recente, surgido por uma separação amigável dos eslovacos em relação a seus vizinhos tchecos, em 1993. Sua cultura, porém, remontava aos tempos da Idade do Bronze, bem antes de Cristo. De lá pra cá seu território já passara pela mão de vários impérios como o austríaco, fazia parte da Tchecoslováquia durante boa parte do século XX, fora invadida por nazistas e soviéticos, e há pouco tempo conseguira se estabelecer como um país independente. Mesmo sendo praticamente desconhecida, se comparada às suas vizinhas mais famosas como Viena, Budapeste e Praga, Bratislava era tão linda quanto essas grandes cidades que ficavam ao seu redor! Mantinha ares medievais e dava a impressão de cidade pequena, postura difícil de encontrar nas grandes capitais da Europa.

Em viagem realizada em setembro de 2019, tivemos a grata surpresa de visitar e nos encantar com a cidade e seu povo. Depois de anos de domínio soviético, nos tempos da Tcheco-eslováquia, a cidade começara a vivenciar uma nova fase de crescimento digno de registro. Sua população era alegre e comunicativa, e a mais receptiva dentre as demais cidades visitadas ao longo do território do leste europeu. Para quem fizer o trajeto Praga/Viena ou vice versa, era obrigatória a parada de pelo menos dois dias, para visitar a encantadora Bratislava e se surpreender com suas praças, parques, jardins e monumentos históricos muito bem conservados.  

Café Urban House – Laurinská, 213/14 -

Era um conceito diferente de cafeteria de qualidade, com cerveja, coquetéis, bom vinho e excelente comida, além de uma seleção de boas músicas. O espaço também servia como uma zona de clube, com palcos e eventos de vários tipos, era bastante movimentado. Abria de segunda a quinta-feira, das 9.00 a meia-noite; sextas e sábados, das 9.00 as 02h; e domingos, das 9.00 as 23.00h.

Câmara Municipal Antiga –

A Antiga Câmara Municipal era um belo monumento histórico, um conjunto de estruturas do século XIV na Cidade Velha. A torre, que foi construída em 1370,  era onde funcionava a mais antiga Prefeitura da Eslováquia e uma das primeiras estruturas de pedra de Bratislava. Antiga residência românica do Prefeito Jakub, a torre passara para a posse da cidade. Com o tempo, Ungers House e Pawers House foram anexados,  tornando-o um Complexo completo. Abrigava uma variedade de coisas interessantes para se descobrir, incluindo além da antiga Prefeitura, o Museu da Cidade e o Tribunal Municipal. O museu dentro da Prefeitura, exibia várias peças históricas e armas antigas, masmorras e pinturas.

Casa do Bom Pastor -  Židovská, 1 -

Era uma das poucas edificações desta região do país que se encontrava nas mesmas condições em que foi originalmente construída, com estrutura de estilo rococó do final do século XVIII logo abaixo do Castelo de Bratislava. A sua cor dourada e a sua figura alta faziam dela um dos mais belos prédios da cidade. A galeria abrigava uma extensa exposição de relógios, que homenageavam a história desses relógios desde sua introdução na sociedade e uma grande variedade de artefatos, incluindo relógios de sol, relógios de pulso, relógios de parede e relógios antigos. A estrutura estreita de quatro andares recebia o nome da estátua que ficava no canto do prédio, representando Cristo, o Bom Pastor. A exposição estava aberta de terça a domingo durante todo o ano. 

Castelo

Ficava em uma colina acima do centro histórico,  era o marco da cidade. O interior era um Museu de História, embora muitas câmaras se apresentqssem vazias e subutilizadas. A característica original mais antiga do castelo, era a Torre da Coroa do século XIII. Outro destaque, era a pintura da tarde-barroca Assunção da Virgem Maria (1762-3), de Anton Schmidt, no Music Hall. A fortificação datava do século IX, fora remodelada para servir como uma Fortaleza gótica no século XV, novamente em estilo renascentista, mesmo cem anos depois. Ficou em ruínas depois de um incêndio, em 1811. No pátio oeste do Castelo, havia um restaurante chamado Hradná Hviezda (A Estrela do Castelo), com um belo interior histórico, onde serviam  refeições da culinária regional e moderna. Apesar de ser um passeio cultural, muitas pessoas que visitavam recomendavam ignorar o tour do Castelo e, em vez disso, apenas apreciar a vista sobre a cidade.

Castelo Devin - Muránská, 1050 - 

Estava localizado em Devín, cidade a meia hora de ônibus da capital. Para visitá-lo em transporte público, era necessário pegar o ônibus da linha 29, que saia do Terminal Rodoviário, situado embaixo da Ponte UFO, o mesmo  Terminal dos ônibus procedentes de Viena. Se seu roteiro incluir um segundo dia, considere um bate e volta até o Castelo, que era lindo e ficava bem no encontro do Rio Danúbio com o Rio Morava.

Instalado no alto de um penhasco, 212 metros acima do solo, era onde estavam as ruínas do Castelo de Devin, de onde se poderia avistar a confluência dos Rios Danúbio e Morava, formando a fronteira com a Áustria. Construído há mais de 1.000 anos, o Castelo fora destruído pelo Exército de Napoleão, mas suas ruínas estavam bem conservadas e eram  uma atração turística. Revendo a história do lugar, os vestígios mais antigos de povoamento eslavo datavam o século VIII e, no século IX, acreditava-se que uma Fortaleza do período do Grande Império Morávia, teria sido ligada ao Príncipe Rastislav. Ficava apenas a 10 minutos de carro da Cidade Velha, podendo ser alcança pelo  ônibus 29, em uma viagem com belas paisagens, que demorava cerca de 30 min. O valor de entrada era de 5 Euros. O Castelo estava aberto diariamente de novembro a março das 10.00 as 16.00h, mas nesse período a entrada no Castelo dependeria das condições meteorológicas. De maio a setembro o horário de funcionamento, era de terça a sexta-feira das 10.00 as 18.00h, sábado e domingo das 10.00 as 19.00h. Nos meses de abril e outubro abria de terça a domingo das 10.00 as 17.00 horas.

Castelo  Romano de Gerulata –Gerulatska, 7 – Rusovce -

Situado no local do antigo castellum militar romano, na fronteira do sistema de fortificação, o Limes Romanus, era datado do período dos séculos II a IV. Em 1975 foram iniciadas complexas obras de conservação e restauro do local. Para apresentar os achados arqueológicos escavados neste local, fora construída uma moderna sala de exposições que alberga uma exposição de artefatos da época romana desde 1985.

Catedral de São Martinho - Rudnayovo námestie, 1 -

Era uma igreja gótica de três naves, do século XV, que ficava na Cidade Velha.  Entre os anos de 1563 e 1830, servia como igreja da coroação do Reino da Hungria, todos da linhagem dos Habsburgos.  Registrava que dez reis, uma Rainha e sete esposas reais da Dinastia dos Habsburgos foram coroadas aqui.  Uma réplica da coroa estava no topo da torre da Catedral, a 85 metros de altura e pesava 150 kg.  Foi colocada em 1847, após a restauração da torre, para confirmar a importância da Catedral como uma igreja de coroação. Era aonde a Rainha Maria Teresa foi coroada.

No sub-solo havia as criptas, onde pessoas de importância para a história eslovaca estavam sepultadas.  A cripta dos arcebispos era a única que podia ser visitada. Em finais do século XIII, quando Bratislava foi elevada a cidade, a igreja foi reconstruída e se integrou às muralhas da cidade. A partir da Catedral, vaiia caminhar pelas ruelas do centro histórico, onde havia duas praças interessantes. O interior da igreja era grande, tinha 69,37 metros de comprimento, 22,85 metros de largura e 16,02 metros de altura – e possuia um grande portal interno. O portal da antecâmara sul representava o exemplo mais antigo da arquitetura renascentista na Eslováquia. Para quem gosta de orar, tinha quatro capelas à disposição.

Coluna da Peste

A coluna da Santíssima Trindade, localizada na Praça Rybné námestie, construída entre 1712 e 1713, marcava o fim da epidemia de peste negra, que terminarta em 1712. A coluna fora construída nos estilos barroco e rococó. A epidemia tivera 3.860 vítimas fatais e mais de 1.560, que conseguiram sobreviver a peste.

Danubiana  Meulesteen Art Museu  - Vodné dielo Slovensko, 851 -

Estava localizado numa pequena península do Rio Danúbio, o que tornava o local muito agradável, aonde se chegava de water-bus. Na pequena península, havia um parque com diversas esculturas e o prédio principal que abrigava as exposições e uma cafeteria. Para quem aprecia arte contemporânea, era um ótimo passeio.

Galeria Nedbalka – Nedbalova, 485/17 -

Instalada em um belo prédio do centro histórico e em uma das ruas mais antigas da cidade, apresentava uma coleção de mais de mil obras de 83 artistas eslovacos dos séculos XIX e XX, com mais de 60 pinturas e esculturas exibidas em exposição permanente em uma área de 1.529 m2. Abria de terça a domingo, das 13.00 as 19.00h.

Galeria Nacional Eslovaca -  Námestie Ľudovíta Štúra, 811-

Era constituída por uma rede de Galerias na Eslováquia e tinha a sua sede em Bratislava. Fora estabelecida por lei, em 29 de julho de 1948. Em Bratislava, suas exibições aconteciam no Palácio de Esterházy. Surgira como museu tradicional de belas artes, reunindo as mais importantes  obras da produção local e européia, dos últimos cinco séculos. Mais tarde, ampliara sua área de atuação com a aquisição de artefatos de arte aplicada, desenhos, fotografias e arquitetura, explorando o fenômeno específico da arte Naif.   Atualmente reunia mais de 70 mil objetos e exercia um papel chave na proteção dos monumentos e do patrimônio cultural nacional.  O Complexo dos prédios da Galeria incluiam a estrutura barroca original, o Palácio Esterházy, construído em estilo neo-renascentista, nos anos 70 e adaptado às necessidades do Museu, nos anos 1950/55, um procedimento denominado ponte, a partir da controvertida ampliação neo-modernista dos anos 70, desenhada pelo arquiteto Vladimir Dedecka e nunca concluída. Atualmente os velhos prédios estavam passando por um processo de renovação, e a construção de novos e a criação de uma ampla área cultural junto ao Rio Danúbio.

Igreja Católica Romana de Santa Elisabeth – Bezrucova, 2 – Alzbety

Inaugurada em 1908 e conhecida como a Igreja Azul, era uma igreja católica húngara localizada na parte oriental da Cidade Velha. Admire a entrada principal, uma das mais importantes jóias da igreja, o mosaico de vidro azul nas paredes e o vitral nas janelas, restauradas após o bombardeio na Segunda Guerra Mundial, e os detalhes das cores de seu interior. Quanto à cor, tanto o interior como seu exterior estavam pintados em diversos tons de azul e até seu telhado. Na verdade, era apenas mais uma igreja comum, com destaque para sua pintura em azul celeste. Construída no início do século XX pelo arquiteto húngaro Edmund Lechner, a igreja servia inicialmente como capela de uma escola secundária vizinha, projetada pelo mesmo artista.Visitas de segunda a sábado, das 7.00 as 7.30 e das 17.30 àa 19.00 e aos domingos, das 7.30 as 12.00 e das 17.00 as 19.00h. Entrada  era gratuita.

Igreja de São Miguel Arcanjo – Ladomirova

Esta igreja greco-católica foi incluída em 2008, juntamente com sete igrejas de madeira da parte eslovaca da Área de Montanha dos Cárpatos, integrando a Lista de Patrimônio Mundial da UNESCO.  Fora construída em 1742, sem um único prego de metal e parte do prédio fora destruído durante a Segunda Guerra Mundial. Tinha um Campanário independente instalado ao lado da igreja.

Igreja dos Capuchinhos -

Fora construída em 1717 e pertencia à Ordem Capuchinha de Bratislava. A bela Igreja era consagrada a Santo Estevão, da Hungria. Observe a estátua do Santo, acima do portal principal. A Igreja tinha um design muito simples, mas notável. A praça da igreja era decorada com uma coluna dedicada a Virgem Maria.

Igreja dos Jesuítas

Era uma igreja originalmente Protestante, do século XVII, situada na Praça Franciscana, que ficava no centro histórico. A igreja fora construída de 1636 a 1638, como local de culto para os Protestantes, pois na cidade havia um número crescente deles de etnia alemã. Por decreto do Rei, a igreja não poderia se assemelhar a uma casa de culto católica romana, de qualquer forma; então fora construída sem uma torre, presbitério e sem entrada pela rua principal. Atualmente pertencia à Companhia de Jesus, conhecida como a Ordem dos Jesuítas.

Igreja e Monastério dos Franciscanos – Frantiskánske námestie, 10 -

O mais antigo prédio religioso existente na Cidade Velha que, além de sua arquitetura, também merecia atenção, por vários eventos históricos importantes conectados. Fora consagrada no ano de 1297, na presença do Rei André III, da Hungria. No passado, a igreja servira para reuniões de nobres húngaros – tanto que, em 1526, Ferdinando I, Imperador romano sagrado, foi eleito aqui para se tornar o Rei da Hungria. O prédio fora danificado várias vezes, por fogo e terremoto, e apenas uma pequena parte de sua forma original ainda estava preservada. E a capela adjacente de São João Evangelista, com uma cripta construída na segunda metade do século XIV, era considerada um dos melhores exemplos da arquitetura gótica da cidade.

Kamzík Observation Deck  - Cesta na Kamzík 2796/14 -

Um pouco mais distante do centro, ficava a torre de transmissão da Televisão Kamzík, que também possuia um Deck de Observação, cuja vista era considerada uma das mais bonitas de Bratislava. A entrada custava 4 Euros, e o horário de funcionamento era das 11.30 as 23 horas, diariamente.

Mercado Velho

Acolhia uma espécie de feirinha semanal, com bancas de produtos locais e restaurantes improvisados. Aproveite para almoçar por aqui, sente-se junto a uma das mesas comuns e confraternize com os simpáticos e comunicativos eslovacos.

Michael’s Tower

Fazia parte do Michael’s Gate, um portão do século XIV, o único portão preservado da fortificação que existia em Bratislava e que protegia a cidade. Dentro da torre, funcionava o Museu de Armas e de onde se tinha uma bonita vista da cidade. O valor do ingresso para a torre e para o museu era de 5 Euros. Funcionava de terça a sexta-feira, das 10.00 as 17.00 horas e aos sábado e domingo das 11.00 as 18.00h.

Monumento Slavin –  Pažického, 811 - 04 Staré Mesto - 

Era um Memorial de Guerra em homenagem aos 6.845 soldados do Exército Vermelho, que morreram lutando para libertar a cidade, em 1945, durante a 2ª Guerra Mundial. Para chegar ao Memorial, pegue o ônibus 147, que saia da Praça Hodžovo námestie, de hora em hora. No topo, havia uma estátua de 11 metros, de um soldado russo carregando uma bandeira. Na base do monumento estavam gravadas as datas de libertação das cidades eslovacas pelo Exército Vermelho. O monumento era um dos pontos mais altos da cidade, de onde também se tinha uma bela vista. Estava situado ao lado do cemitério, onde repousavam os restos mortais dos soldados homenageados.


 

Most SNP - Most Slovenského národného povstania.

A ponte SNP era também conhecida como Ponte UFO, por causa do prédio em formato de disco voador e do restaurante que existia no topo, tinha elevador em um dos pilares, e  era uma ponte estaiada, com 430 metros de comprimento e 95 de altura cruzando sobre o Rio Danúbio. A UFO era uma parte da futurista arquitetura soviética, a Ponte da Revolta Nacional Eslovaca, conhecida também como a Ponte Nova. Fora inaugurada em 1972 para comemorar a resistência eslovaca à invasão alemã de 1944, e para ligar a cidade velha ao subúrbio. Abria para visitas diariamente das 10.00 as 23.00h. e o ingresso custava 8 Euros. Para chegar ao restaurante a entrada era gratuita. A Torre de Observação, que ficava em cima da ponte UFO, era um dos símbolos da cidade e um dos lugares que proporcionava a vista mais bonita da cidade. Fora construída durante o período da Cortina de Ferro, nos anos 70, e na época era uma das construções mais modernas do mundo, tendo sido uma das primeiras pontes a empregar o modelo de ponte estaiada. 

Havia um lado controverso, que tinha origem no fato de que durante sua construção, parte do centro histórico localizado na cabeceira da ponte, tivera que ser demolido para possibilitar a passagem da estrada à qual ela iria se unir. A área em questão, era a que formava o núcleo judaico de Bratislava, um bairro histórico inteiro que viera abaixo, juntamente com sua Sinagoga ortodoxa. Hoje, um monumento com o formato da Estrela de Davi se encontrava no local onde ficava a edificação, e uma imagem estampada na parede da ponte mostrava como era a antiga Sinagoga. A ponte fora construída deixando apenas 3 metros separando o cartão postal do país, a Catedral de São Martinho, construída no século XV e sede de coroações de personagens do Império Austro-Húngaro, da estrada em questão. Com o grande movimento de veículos pesados passando por ali, diariamente, as fundações da igreja estavam sendo danificadas e o prédio não estava resistindo.

Old Town Hall – Hlavné námestie

A Antiga Prefeitura estava localizada na praça principal da cidade, e desde 1868, abrigava o Museu da História da Cidade, também conhecido com Museu da Revolução. Era possível subir na torre da antiga Prefeitura, de onde se tinha uma linda vista do centro histórico. O ingresso custava 3 euros. Abria de terça-feira a sexta-feira das 10.00 as 17.00h, e aos sábados e domingos das 11.00 as 18.00h. A última entrada ocorria 30 minutos antes do fechamento.

Palácio dos Primados  – Primaciálne námestie, 2 -

Era considerado um dos mais belos prédios classicistas da Eslováquia, onde retratos de governantes húngaros eram exibidos na galeria de fotos. Uma parte impressionante da galeria, era uma coleção de seis tapeçarias encontradas na reconstrução do palácio. A Sala dos Espelhos também era representativa junto com cinco salões mobiliados com móveis de época e nomeados pela cor das paredes – verde, marrom, azul, vermelho e dourado. No telhado estavam estátuas alegóricas de J. Kögler e F. Prokop, bem como vasos de JA Messerschmidt. No topo do tímpano estava o brasão do Cardeal Jozef Batthyányi, o primeiro ocupante do palácio; um modelo de ferro de seu chapéu, pesando 150kg, coroava o prédio. O palácio abrigava uma rara coleção de tapeçarias inglesas do século XVII, produzidos na Tapeçaria Real, na cidade inglesa de Mortlake, mas só foram redescobertos durante uma reconstrução em 1903. A requintada fonte de São Jorge, retratando o lendário cavaleiro matando o dragão, ficava no pátio interno. Segundo a crendice popular, a figura de São Jorge representava o Arcebispo, e sua luta com o dragão simbolizava os esforços da Igreja Católica para banir a reforma da cidade. Dizia a lenda que São Jorge salvara a virgem Dubravka, do dragão e, como recompensa, ganhara sua mão em casamento.

Palácio Grassalkovich -

Construído em 1760 para ser um palácio de verão, atualmente era a sede da Presidência da Eslováquia. A visitação não era permitida, mas os belos jardins eram abertos ao público. Era onde estava a Fonte Zem – Planeta Mieru.

Palácio Presidencial  -  Hodžovo námestie, 2978/1  -

Era conhecido como Palácio de Grassalkovich, construído em 1760 em homenagem ao aristocrata Húngaro Antal Grassalkovich, Vassalo de Maria Thereza, única mulher a assumir  o trono dos Habsburgos. O compositor Haydn, conduzira aqui inúmeras de suas orquestras, em bailes para a família Imperial. Hoje, o palácio era a residência oficial do Presidente  da Eslováquia. Embora o acesso não estivesse liberado, ainda assim dava para fazer um passeio pelos belos jardins.

 

Praça Hviezdoslavovi

Era uma enorme praça em homenagem ao maior poeta eslovaco, Pavol Országh Hviezdoslav, cuja estátua se encontrava no centro. Tinha vários e lindos chafarizes, era cercada de Cafés, restaurantes e sorveterias, e recomendado como um ótimo lugar para um pit stop. Era onde ficava o Teatro Nacional Eslovaco, onde obras de grandes compositores eram apresentadas e também onde ficava o Hotel Carlton, que hospedara personalidades importantes que passaram por Bratislava, de Albert Einstein a George W. Bush. No trecho da praça próximo à margem do Rio Danúbio, se encontrava uma estátua de Hans Christian Andersen, o famoso escritor dinamarquês que criara os contos A Pequena Sereia e A Rainha da Neve, e que inspirara o desenho Frozen, da Disney. Ele visitara a cidade durante o século XIX e se encantara-se por ela, nomeando-a como a cidade dos contos de fadas,

Praça Principal - Hlavné námestie

Seu centro histórico até poderia não ter o charme de outras capitais européias, mas era suficientemente convidativo para merecer umas boas caminhadas. A Hlavné námestie, por exemplo, cujo nome queria dizer literalmente Praça Principal, era muito bonita e agradável. Aos domingos, acontecia aqui uma movimentada feira de artesanatos e comidas, com a participação de várias organizações sociais e comunitárias.  Aqui ficava o Old Town Hall, a antiga Prefeitura da idade, com sua torre amarela construída em 1370. O conjunto de prédios abrigava o Museu da Cidade. A exposição do museu poderia parecer um tanto confusa a quem visitava o país, sem antes ter passado por Viena ou Budapeste. Mas sabendo que essas três cidades já fizeram parte de um mesmo Império, que seus museus contavam quase a mesma história (sob pontos de vista diferentes), ficava tudo mais fácil de compreender. Era como se uma completasse a história da outra, preenchendo lacunas aqui e ali. O interessante da torre da Old Town Hall,  era a vista de seu topo, de onde era possível ver praticamente toda Bratislava. Valia a visita! Poderia pagar só para subir a torre, caso não quizesse visitar o museu.

Outras atrações da praça, eram as várias estátuas espalhadas. Uma delas era de um soldado de Napoleão Bonaparte, que esteve com seu Exército em Bratislava, em 1805. Afirmavam as más linguas, que este soldado veio com a tropa até a capital da Eslováquia, mas decidiu não retornar, pois havia se apaixonado por uma moça local. A estátua era perfeita para tirar fotos. Aqui se encontravam  diversas estátuas em bronze, como a do soldado de Napoleão, debruçado sobre um banco, na frente da Embaixada da França. e o tio simpático do chapéu, chamado Schöne Náci, uma homenagem a um antigo morador da cidade!  Tinha a  Fonte de Rolando, construída em 1572 pelo Rei húngaro Maximilian II, como forma de fornecer água às pessoas, no centro da Vila. No mesmo ano acontecera uma enchente do Danúbio que alagou toda a Praça XD. A outra praça era a Hviezdoslavovi. Ao seu redor ficavam vários restaurantes, muitas árvores e prédios imponentes: a Embaixada dos Estados Unidos, o prédio do Teatro Nacional e o Palácio, que abriga a Filarmônica Eslovaca. Era dessa praça que as 11.00 e as 15.00h que saia diariamente o Free Walking Tour, da Bee Free Tours.

.

 

 

As rendeiras da Praça Principal ( Hlavané ) no domingo

 

Portão de St. Michael  - Rua Michalská -

Como em quase todas as cidades européias, havia um tempo em que Bratislava era murada. Na Idade Média, as cidades eram constantemente ameaçadas por invasões de reinos vizinhos, e Bratislava fora uma das que precisaram ser fortificada. Hoje, grande parte desta muralha não existia, mas um de seus portões de entrada, o Portão de São Miguel, estava preservado. Este era o de tamanho menor, usado por pescadores para entrarem na cidade, para a venda de seus pescados. Sua construção data do século XIV e hoje abrigava o Museu da Fortificação Medieval, onde ficavam as armaduras e armamentos usados para proteger Bratislava na Idade Média.

Na rua em frente ao Portão de São Miguel, a Rua Michalská, apresentava algumas pedras douradas no chão, em meio aos paralelepípedos. Elas indicavam o caminho que fazia o recém-coroado Rei, quando ainda havia uma Monarquia. Hoje o trajeto ainda era refeito, todos os anos, na última semana de junho, numa celebração conhecida como a Procissão dos Coroados, quando atores reencenavam os passos dos monarcas da épocaDentre as fortificações medievais da cidade, o Michalská brána era o único que ainda estava preservado ao século XIV. O terraço superior da torre de 51 metros de altura, oferecia uma vista do Castelo e do centro histórico. A torre abrigava o Museu das Armas. A casa da torre de São Miguel, número 15, ao lado direito, era considerada a mais estreita da Europa, com apenas 1,30 metros de largura.  Abaixo do portão ficava o  Marco zero, com registros nas bordas, mostrando as distância das metrópoles européias e mundiais, desde Bratislava.

 

Lago Strkovec

Rusovce

A mansão Rusovce com seu parque inglês, ficava no município de Rusovce. A casa foi originalmente construída no século XVII e converteu-se entre 1841 e 1844, em estilo neogótico inglês. O município também era conhecido pelas ruínas do acampamento militar romano, de Gerulata, parte do Limes do Império Romano, um sistema de defesa de fronteiras. Gerulata, que foi construído e utilizado entre os séculos I e IV.

 

Sinagoga Ortodoxa - Heydukova Street -.

A única Sinagoga judaica em Bratislava, estava acessível para público (sexta-feira 13.00 as 16.00h, domingo das 10.00 as 13.00h) durante a temporada de verão ( de 2 de Junho a 13 de Outubro ). O prédio era muito interessante e um exemplo de estilo cubista moderno  combinando com elementos tradicionais e no interior, era palco para além do santuário principal e também um pequeno museu da comunidade judaica, instalado no piso superior. A exposição atual incluia um desenho de Rembrandt van Rijn (no Oriental Camp, 1641) e exposições guardadas da Sinagoga de Neolog.

 

 

 

 

 

 

BRATISLAVA 2.jpg
BRATISLAVIA.jpg
BRATISLAVA 4.jpg
BRATISLAVA 1.jpg
bottom of page