top of page

BOSTON -  Terra de Franklin e  da Universidade Harvard -
Massachusetts - USA -  1/2

BOSTON 4.jpg

 

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar esta grande e bonita cidade americana. Escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui...

Boston era uma das cidades mais antigas dos Estados Unidos, e tivera um papel importante no movimento que resultou na Independência do país. Com um charme quase europeu, partes da capital do Estado de Massachussetts pareciam ter sido importadas da Inglaterra. Eram os casarios de tijolos vermelhos e suas ruas estreitas, que compunham uma paisagem única e encantadora. ​Era a capital e a cidade de maior população do estado norte-americano de Massachusetts, e a 22ª do país. Localizava-se no Condado de Suffolk, do qual era a sede. Contava com cerca de 6,2 milhões de habitantes na sua área metropolitana, sendo a maior cidade da região de Nova Inglaterra, era uma cidade global e possuidora de um movimentado centro financeiro, comercial, industrial e universitário.

 

Os mais atraentes pontos históricos e turísticos

Antiga Casa do Estado - Washington Street, 206 -

Construída em 1713, a Casa da Cidade funcionava como uma Casa de Câmbio no primeiro andar. O segundo andar servia como sede do Governo Colonial e depois do Estado, ao longo do século XVIII. O Governador Real, nomeado pelo Rei da Grã-Bretanha, ocupava seu cargo no prédio até 1775 e, da varanda, dera voz ao Rei a 3.000 milhas de distância, em Londres. A estatura do Governador como substituto da Coroa, fora enfatizada por sua posição elevada na varanda, que dava para a King Street. À direita e à esquerda da sacada, havia um leão e um unicórnio – símbolos do Rei da Grã-Bretanha – que enfeitavam a fachada principal voltada para a praça pública. Desta varanda, os bostonianos ouviram as Proclamações Reais, mas também ouviram pela primeira vez a Declaração da Independência, que anunciava o nascimento de uma nova Nação.

Back Bay, Newbury Street e Marlborough Street

O Back Bay era um lago de água estagnada, e hoje tinha os imóveis mais valorizados de Boston. A Newbury Street, que ficava em Back Bay, tinha vários quarteirões de lojas, salões de beleza e galerias chiques. A arquitetura da rua era linda, repleta de casas em estilo Vitoriano. Entre a Back Bay e a Newbury Street, ficava  a Marlborough Street, que também tinha vários exemplos da arquitetura Vitoriana. Caminhe para as margens do Rio Charles, onde ficava a Esplanade, com banquinhos para sentar e assistir o movimento de pessoas caminhando, se exercitando e os barcos velejando pela baía. Ao longo da Esplanade, estavam algumas atrações, como Hatch Shell, um palco para concertos ao ar livre, onde aconteciam as comemorações do 4 de julho.

Boston Atheneu - 10-1/2 Beacon Street, 10 – ½ -

Era uma Biblioteca independente, a maior dos Estados Unidos. Suas raízes eram profundamente brâmanes, mas qualquer pessoa podia aderir. Em 1839, uma assinatura anual custava $ 10. Uma assinatura individual, agora custava $ 460 por ano, embora fosse possível acessar sua robusta coleção através das ofertas digitais, pilhas abundantes de livros raros inestimáveis ​​e um fluxo constante de novas aquisições e eventos públicos incomparáveis, como livros, lançamentos, palestras e recitais. 

Boston Common  - Boylston Street, 115 -  

Era o primeiro parque público dos Estados Unidos, criado em 1634, e ponto de partida para a Freedom Trail, e também o maior parque da cidade. Era um point de uso diário para os residentes. Tinha vários pontos de interesse em seus arredores, como a State House, que abrigava o Governo de Massachussets, um bonito prédio, que tinha uma cúpula dourada no topo. Outra atração era o Frog Pong, um lago que no inverno se transformava em pista de patinação e ficava ao lado o Cemitério Old Granary Burial Ground.

Boston Public Gardens

Era anexo ao Boston Common, mas a diferença entre os dois parques era grande. O Boston Public Gardens era mais parecido com um jardim, era mais compacto e tinha a menor ponte suspensa do mundo! Com suas lindas árvores, canteiros de flores, esculturas e monumentos, que juntamente com os prédios da cidade ao fundo, formavam uma paisagem encantadora. Os dois jardins eram um dos melhores pontos turísticos da cidade.

Christian Science Plaza - 13.5  Plaza na interseção com a Massachusetts Avenue, Clearway Street e Belvieere Street  e Huntington Avenue -

Situada ao oeste da Copley Square, era onde ficava a Mother Church, construída no ano de 1894. A Christian Science, era uma religião que pregava a cura pela oração, e seus membros geralmente abdicavam de qualquer tipo de tratamentos médicos. Junto da praça estava o Publishing House, que integrava a igreja e onde num passado recente, servira de gráfica para a impressão do material da religião. Atualmente servia de local para a Biblioteca da instituição.

Copley Square

Era uma bonita praça, com prédios de pedra maciça e de arquitetura antiga, chamava a atenção no meio de tantos arranha-céus modernos. A Trinity Church, que dominava a paisagem da praça, fora fundada em 1733, e podia ser considerada uma igreja puramente americana, já que todo o projeto era de autoria de artistas norte- americanos. O interior da igreja tinha grandes colunas e um maravilhoso  altar dourado. Em frente ficava a Boston Public Library, a imponente Biblioteca Pública. Se quiser ter uma ampla visão da cidade pelo alto, suba a Torre Prudential, que abrigava o Observatório Skywalk.  

Faneuil Hall Building - Mercado de Quoincy -  South Market Street, 1 -

Fora construído em 1742, por Peter Faneuil, um rico comerciante da cidade, com o propósito de ser um grande Mercado, mas acabara se tornando uma importante ferramenta na luta pela Independência americana. O espaço fronteiriço, servia de palco para as manifestações e os discursos de líderes como James Otis e Samuel Adams contra o assédio britânico, passando a ser mencionado como berço da liberdade. Ainda hoje o Mercado, revestido em tijolos vermelhos e detalhes de fachada em branco, era palco de manifestações e ponto de reivindicações. No interior havia algumas lojinhas, um pequeno museu e também uma grande sala para eventos e reuniões públicas.

Galeria Internacional de Poster  - Newburry Street, 205 -

Era uma das principais galerias de pôsteres do mundo e apresentava belos cartazes publicitários de 1890 até o presente, principalmente da Itália, França, Suíça, Rússia, Holanda e Estados Unidos. Os assuntos incluiam alimentos e bebidas, viagens, esportes, moda, guerra e propaganda e artes. Dispunha de um poderoso mecanismo de busca, com mais de 3.000 itens em estoque onde se destacavam os pôsteres italianos, com uma coleção que celebrava as maiores obras-primas dos períodos Art Nouveau e Art Deco, bem como pôsteres de filmes, automóveis, ópera, alimentos e bebidas, moda, viagens e propaganda. Os pôsteres suíços eram obras-primas de pôsteres do século XX, com excelente qualidade de impressão com centenas de ótimas imagens de 1905 a 1955 sobre viagens, esqui e esportes, moda, shows e uma coleção de pôsteres vintage suíços. Os cartazes soviéticos eram a melhor coleção à venda no mundo, apresentando obras-primas originais da Revolução Bolchevique, a Nova Política Econômica dos anos 20, os Planos Quinquenais, até a Era Espacial e a Perestroika. Todos dispunham de cópias à venda e não eram caros.

Harvard University  -  Cambridge

Ao passear por Boston, tornava-se  quase obrigatória uma visita ao campus da Universidade, que ficava na vizinha cidade de Cambridge. Primeiramente podia parecer que ela estava numa outra cidade, mas era como se fosse um bairro de Boston. Era fácil chegar utilizando a Linha Vermelha do Metrô. Na Harvard Square, que ficava em frente aos portões da Universidade, havia um Quiosque oferecendo informações turísticas e de onde saia o Tour para visitação do campus, acompanhado pelos alunos de Harvard, que conheciam todos os pormenores  do lugar, contando a história,  curiosidades e mostravam os principais pontos de interesse. O tour começava no belíssimo Harvard Yard, sendo tudo muito rápido e parecendo até cronometrado, praticamente não dando nem tempo para selfies. Se quiser fotografar, deixe para retornar ao final do passeio.

 

Durante o passeio, os visitantes conheciam o mais antigo prédio do Campus, o Massachusetts Hall, construído em 1720; o portão oficial de entrada, conhecido como Johnston Gate; o Harvard Hall, onde fora construído o primeiro laboratório de física dos Estados Unidos; os dormitórios, onde ficavam hospedadas importantes personalidades; a Widener Library, a maior biblioteca acadêmica do mundo; a estátua de Harvard, famosa por não ser do Harvard mas de um estudante que servira de modelo para o escultor. Eram várias as paradas rápidas ao longo do tour, que tinha duração de 1.30h. Como não era permitido o acesso de visitantes ao prédios, havia apenas uma exceção, o Museu de História Natural.

Monument Square e Charlestown

Fazia parte da Freedom Trail, uma rota de tijolos vermelhos que levava o turista a visitar 16 pontos históricos da cidade, todos ligados à Revolução Americana  e terminava no USS Constitution, o antigo navio de guerra, atracado ali próximo. A praça tinha um enorme obelisco, que poderia ser observado de diversos pontos de Boston. O monumento fora construído em 1842, para marcar o lugar onde acontecera a primeira batalha decisiva das forças dos Estados Unidos contra o Exército britânico, e que levara à Independência do país. A Praça ficava numa área conhecida como Charlestown, uma atraente parte histórica da cidade. A melhor forma de conhecer o bairro era pela Freedom Trail, que partia de Monument Square e levava os visitantes até o próximo ponto turístico de Boston mais próximo, o navio monumento USS Constitution.

New England Aquário – North Water Street, 10 – Norwalk -

O interior circular abraçava um enorme Aquário, que abrigava centenas de espécies marinhas. Enquanto o visitante subia cada andar caminhando pela rampa em formato de caracol, a fauna mudava e novos bichos iam surgindo. No térreo, os Recepcionistas eram os simpáticos pinguins, que pareciam não se importar com a confusão de pessoas, disputando um click mais próximo. A população marinha em exibição incluia variedades de tubarões, grandes e pequenos, arraias, focas, tartarugas marinhas, peixes de caça, geléias, caranguejos, lagostas, moluscos e muito mais. Além do gigante tanque central, outros aquários apresentavam espécies menores. Além dos aquários, havia apresentações de filmes 3D e um tour de barco para ver as baleias jubarte, em ambiente natural.  A entrada para o Aquário custava US$ 25 para adultos e US$ 20 para crianças. O combo com apresentações de filme em IMAX ou 3D custava a partir de US$ 30. Para chegar, siga pela I-95 ou vá pelo Metro North Railroad. Tinha estacionamento coberto ao lado, uma área aconchegante e espaçosa com dois Cafés, loja de presentes e um teatro 4D.

Norman B. Leventhal Map Center -   Boyulston Street, 700 – Livraria Pública –

A Biblioteca Pública de Boston definira Map Center para fornecer acesso mundial gratuito a uma coleção extraordinária de 200.000 mapas históricos originais e 5.000 atlas. Ao projetar este novo Centro, para ajudar a transmitir o significado do mapa para a história humana, reformaram uma antiga sala de leitura da biblioteca. Esta instalação de última geração transitava de uma galeria de entrada de pé-direito duplo, com vista para o pátio adjacente, para uma exibição e suíte educacional, para áreas mais íntimas para pesquisa acadêmica e conservação. A visita proporcionava uma descoberta de mapas do mundo todo e permitia a aquisição de cópias em vários tamanhos e cores, a preços acessíveis.

North End

Suas ruas eram repletas de bares, cafeterias e restaurantes. O bairro tinha algumas atrações históricas, como uma antiga igreja construída, em 1723. Por conta da sua posição privilegiada, no topo de um morro, a igreja fora usada pelos revolucionários como torre de vigia para espionagem do Exército Britânico. Para chegar, era uma caminhada pela Charleston Bridge até Monument Square e o USS Constitution.

Old Granary Burial Ground  -  Tremont Street -

Era um cemitério criado em 1660, que ficava ao lado da Igreja Park Street,  na esquina do Boston Common.  No centro, mantinha as tumbas de alguns dos filhos mais ilustres da cidade, como Paul Revere, um dos participantes do movimento de Independência que tirara os Estados Unidos da dominação britânica e dos pais de Benjamin Franklin, um dos fundadores dos Estados Unidos e também descobridor da eletricidade, o conhecido homem da lâmpada elétrica. O monumento em formato de pirâmide, era onde estava o mausoléu da família de Benjamin Franklin.

Norman B. Leventhal Map Center -   Boyulston Street, 700 – Livraria Pública –

A Biblioteca Pública de Boston definira Map Center para fornecer acesso mundial gratuito a uma coleção extraordinária de 200.000 mapas históricos originais e 5.000 atlas. Ao projetar este novo Centro para ajudar a transmitir o significado do mapa para a história humana, reformaram uma antiga sala de leitura da biblioteca. Esta instalação de última geração transita de uma galeria de entrada de pé-direito duplo com vista para o pátio adjacente, para uma exibição e suíte educacional, para áreas mais íntimas para pesquisa acadêmica e conservação. A visita proporciona uma descoberta de mapas do mundo todo e permite a aquisição de cópias em vários tamanhos e cores.

Skywalk Observatório - 800 Boylston St #50 –  Prudential Center -

Em um dia claro se poderia enxergar até 160 quilômetros de distância que incluia uma visão panorâmica da Hancock Tower, Fenway Park, Boston Common and Public Garden, Esplanade e Hatch Shell, Charles River, MIT, Harvard University e inúmeros outros marcos da cidade e região. O Mirante no alto do Prudential Center possiblitava ao visitante, ter uma bonita visão de 360° de Boston. O Skywalk Observatory estava instalado no 50° andar no prédio. O prédio espelhado se contrapunha ao Boston Common, ao Public Garden, ao Charles River e aos baixos prédios históricos mostrando uma imagem única e incrível. O Mirante era todo fechado e formado por vários janelões de vidro. O turista ficava livre para circular por todo o espaço e permanecer quanto tempo desejasse. No centro da sala, o Dreams of Freedom Museum lembrava a chegada dos imigrantes a Boston, com apresentações em áudio guias. Para quem quizesse um pouco mais, a recomendação era ir ao Top of the Hub que era o restaurante que ficava no 52º andar e também proporcionava uma bela imagem da cidade. O ingresso era de US$ 20. Quem quizesse cortar a fila, poderia adquirir os tickets online ou comprar Passes, como o Go Boston Card ou o City Pass. Os dois davam direito a várias atrações por um único valor.

 

 

 

 

 

Monumento a George Washington

Hospedagem

A tarefa de escolher onde se hospedar em Boston era das mais fáceis. A cidade era relativamente pequena e as principais atrações estavam concentradas em uma área que poderia ser tranquilamente percorrida à pé. Caso não esteja disposto para longas caminhadas, o transporte público se mostrava uma excelente opção e chegava a quase todas as atrações. Por isso, priorize hospedagens que estejam próximas ao Metrô, que em Boston era conhecido como “T”. Apesar de eficiente, o Metrô não tinha estações a cada quarteirão, como em Nova York. Caminhadas de 10 a 15 minutos, entre uma parada e outra eram normais e consideradas rápidas. Assim sendo, não se espante se não houver uma linha passando na porta do seu hotel. Boston era uma cidade que recebia muitos eventos, Convenções, estudantes e turistas. Os hotéis eram disputadíssimos e dificilmente apresentavam um bom preço. Era um desses lugares onde era preciso pesquisar muito para conseguir uma boa tarifa de hospedagem. A exceção variava apenas para o inverno, quando o clima frio afastava os visitantes.

Eram muitas as regiões bem localizadas para se hospedar. O Downtown estava entre as preferidas dos visitantes que desejavam ficar dentro da área histórica. Próximo ao Boston Common e ao início da Freedom Trail Downtown, oferecia boas oportunidades de compras, restaurantes e era sempre bem movimentada. Era recomendado ter cuidado com as vielas de compras que fechavam à noite, próximas à Downtown Crossing Station. Chinatown e Theatre District, colados à área, tinha preços melhores e eram menos disputados. Outro ponto positivo era o fato de serem bem servidos pelo Metrô, que oferecia as linhas verde, vermelha e laranja. A Back Bay, vizinho a Downtown, também era uma ótima opção. Fora do circuito histórico, o bairro era  um mix empresarial e residencial. Ficava próximo a atrações como o Jonh Hancock, a Boston Public Library e o Prudential Center. Todos ao redor da Copley Square. Além disso, era onde se encontrava uma das melhores ruas para compras e restaurantes na cidade, a Newbury Street. O bairro era servido pela linha verde do Metrô.

Para os que preferissem conhecer a renovada área portuária, um bom lugar era a Waterfront. O passeio era dos mais bonitos, assim como a vista. Ficava próximo de atrações como o Fanneuil Hall e o Quicy Market, acompanhados do New England Aquarium e da Long Warf Marina. O Waterfront era vizinho ao bairro italiano de North End, um maravilhoso reduto gastronômico e passeio imperdível para os amantes da boa mesa. Entre Downtown e Waterfront estava o Financial District. Apesar de bem localizado, o lugar ficava deserto à noite e também nos finais de semana. Para quem viajasse sozinho podia não ser uma boa idéia, mesmo a região não sendo uma área perigosa.

Quem preferisse se hospedar em bairros residenciais, podia tentar um apartamento no elegante bairro de Beacon Hill. Colado ao Boston Common, o lugar era charmoso e oferecia opções de restaurantes mais exclusivos, intimistas e, obviamente, mais caros. Quem procurava bom preço e não fazia questão de se hospedar tão próximo das atrações, poderia escolher hospedagens em Cambridge. Era onde estavam a Universidade de Harvard e o MIT, o que tornava Cambridge uma região jovem e animada. Como a área era servida pelo mesmo Metrô de Boston, a sugestão era escolher um hotel próximo a uma das Estações.  

     ​   A Street Apartment by Stay Alfred - $$$$ - 315 A Street - Boston -

Estava a 500 metros do Boston Convention Exhibitors Center e do Monumento a Washington. A Freedom Trail (trilha) ficava a 1 km. Já o aeroporto mais próximo, o Aeroporto Logan, ficava a 3 km. Todas as acomodações dispunham de TV de tela plana e DVD player,  Wi Fi grátis,, e algumas tinham uma área de estar e/ou jantar. Todas incluiam cozinha com lava-louças, forno, micro-ondas e cafeteira, banheiro privativo com banheira, produtos de banho de cortesia e secador de cabelo. Serviço de academia estava à disposição dos hóspedes.

Charlesmark Hotel - $$$ -  Boylston Street, 655 – Back Bay -

Era um hotel boutique, localizado em um prédio histórico no bairro de Back Bay, na Copley Square. Os quartos estavam equipados com TV a cabo e DVD player, camas com tamanho King, banheiro privativo e amenidades  cortesia. Ficava em frente à Biblioteca Pública e da Estação de Metrô Copley.

Courtyard Boston Copley Square - $$$ -   Exeter Street, 88 – Back Bay -

Situado perto do Copley Place Mall e da Newbury Street, os quartos eram amplos, as camas large e incluiam TV via satélite, bom banho, mesa de trabalho e internet gratuita. Havia um restaurante no local que servia o café da manhã, além de um Market Café 24 horas, que oferecia refeições leves e bebidas.

Hampton Inn & Suites Boston Crosstown Center - $$$  Massachusetts Avenue, 811 - South End 

Os excelentes quartos tinham acesso gratuito à internet e TV a cabo, mesinha auxiliar, frigobar e cafeteira elétrica.   Servia o café da manhã padrão continental e também dispunha de uma lojinha da Dunkin Donuts, e massagens no Spa Day Halisi. Oferecia serviço de locação de carros.

Sheraton Boston Hotel - $$$$ -  Dalton Street, 39 – Back Bay -

Dispondo de várias opções gastronômicas e uma bela piscina coberta com teto de vidro, estava localizado perto da Rodovia I-90 e a 1 km da Copley Square. Os quartos  tinham janelas panorâmicas e TV HD de 55" a cabo, dispunham de todo  o conforto da moderna hotelaria. O SideBar  servia culinária americana em um ambiente casual, um mercado também estava disponível e um lounge de computador com Wi-Fi grátis estava localizado no lobby.

Sonder The Hancock - $$$  - Hancock Street, 40 – Beacon Hill -

As acomodações ofereciam de camas large, ar-condicionado, cozinha equipada com micro-ondas, frigobar fogão, chaleira e cafeteira, área para refeições, TV de tela plana e banheiro privativo com banheira ou chuveiro, secador de cabelo e produtos de banho gratuitos.

Stylish Downtown Studio - $$ - C.Ave# 3 -  South End -

Todas as unidades dispunham de cozinha compacta, equipada com micro-ondas, área de estar, TV HD, máquina de lavar roupa e banheiro privativo com chuveiro e secador de cabelo, frigobar, fogão elétrico, torradeira e cafeteira elétrica.

The Baldwin at Longwood Medical Area  - $$$ - Worthington Street, 49  - Fenway Kenmore - Boston -

As acomodações ofereciam TV HD, banheiro privativo e cozinha totalmente equipada com forno elétrico, Wi Fi grátis e ar condicionado. A Longwood Medical Area ficava a 400 metros do apartamento, e o Museu de Belas Artes , a 700 metros. 

Wyndham Boston Beacon Hill - $$$$ -Blossom Street, 5 -  Beacon Hill -

Disponibilizava quartos para não fumantes, com camas tamanho  King, frigobar e ótimo banho, mesinha auxiliar e TV a cabo. O restaurante Dean`s List fornecia um cardápio variado com comidas regionais e uma boa carta de vinhos e demais bebidas.

Onde comer

Sob grande influência marítima e dos colonizadores ingleses, Boston era um paraíso para os amantes de frutos do mar. Cardápios com lagostas, caranguejos, ostras e camarões estavam em todos os restaurantes da cidade. A New England Food, como era conhecida a culinária da região, era surpreendente e deliciosa, seja no alto verão ou inverno. Os apaixonados por comércio de rua, não poderiam deixar de passear pela Newbury Street. A longa avenida era cheia de lojas, entre marcas famosas, descoladas e exclusivas. Em cada um dos prédios de tijolos vermelhos, encontrava-se uma surpresa. Era programa dos mais agradáveis, especialmente se o clima ajudar. Difícil era manter os olhos nos dois lados da rua para não perder nada, por isso o ideal era caminhar por um lado e voltar pelo outro. Eram oito quarteirões repletos de ótimas opções para encher a mala e esvaziar o bolso. As lojas continuavam pela Boylston Street.

Para quem curte ir a restaurantes e bares ao ar livre, a rua também era uma excelente opção. As especialidades eram muitas, especialmente durante o verão, quando mesinhas na calçada lotavam durante o happy hour. Mesmo no inverno, não deixe de aproveitar, porque as mesas eram removidas para a parte interna, mas o sabor da comida continuava o mesmo. Os melhores restaurantes italianos de Boston estavam no bairro North End, porque a maioria dos imigrantes italianos que chegaram a cidade se instalou no bairro. Era como uma Little Italy de Boston, com mais de 200 restaurantes espalhados em poucos quarteirões. Escolha a seguir, onde comer em North End.

Antico Forno – 93 Salem Street , 93 -

Como o próprio nome já dizia, havia opções deliciosas de comidas feitas no forno a lenha, como pizzas e até frango assado. Aqui o ambiente era mais informal, como o do Panza, e tinha um preço mais acessível. Para quem gostasse de pizza, era o lugar perfeito.

Barking KrabSleeper Street, 88  -

Era um excelente lugar para degustar e socializar, já que as mesas eram coletivas e a música era sempre animada e de bom gosto.

Bricco – Hannover Street, 241 -

Tinha uma proposta diferente em relação a seu parceiro Quattro, com ambiente  refinado e clássico. Os pratos eram mais caros também, assim como o Lucca, mas de primeiríssima qualidade. A carta de vinhos era muito boa.  O segredo que eles guardavam era outro: uma padaria e um empório em uma portinha ao lado do restaurante. Valia conhecer, principalmente se passar um tempo maior na cidade, ou alugar alguma casa e preparar sua própria refeição.

Giacomo’s –  Columbus Avenue, 431 -

Um dos italianos mais famosos da cidade, sempre listado entre os melhores restaurantes de North End. Só aceitava dinheiro e não fazia reserva, e mesmo assim vivia lotado. A fila do lado de fora, misturava turistas curiosos e moradores da cidade, um bom sinal de que a comida realmente era muito boa. Não custava terntar...

Lucca  – Hannover Street, 226  -

Ficava quase em frente ao Bricco e tinha a mesma proposta, italiano clássico e mais refinado. Oferecia clássicos do norte da Itália, combinados com inovações criativas que certamente iriam seduzir o paladar mais exigente. Quatro elegantes salões faziam do Lucca, um popular ponto de encontro para grandes grupos e reuniões familiares. Ao entrar o clima era definido pela música estilizada, pisos de granito italiano e luz de velas.  O bar em mogno, exibia uma variedade premiada de licores exóticos, vinhos do Porto, grappa e muito outros tragos.

Graças à inspiração culinária derivada de suas viagens regulares à Itália, a então Chef executiva de Lucca, Vanessa Leesam, apresentava a culinária regional italiana, pães caseiros, autênticos pratos de massa e, sobremesas maravilhosas. Seu compromisso em fornecer os pratos italianos mais atraentes era o que fazia do restaurante uma das melhores experiências gastronômicas de Boston.

Neptune Oyster –  Salem Street, 63- ​

Diferente dos outros restaurantes citados, suas especialidades eram sempre muito elogiadas. Os preços podiam ser mais salgados e as filas grandes, mesmo assim recomendava-se fazer reserva com antecedência.

Panza  - Hannover Street, 326 - ​

Era muito disputado, por ser mais informal e oferecer massas muito saborosas e a preço justo.

Quattro - Hannover Street,  264 -

Quase não tinha cara de Cantina italiana, era um ambiente mais moderno. Aqui até o público era diferente, com jovens casais e um pessoal que queria sentar, beber um vinho e bater-papo, algo raro durante as refeições nos EUA, já que todo mundo ia aos restaurantes para comer e sair rápido. Aqui também tinha mais opções de rotisseria, além das massas e pizzas.

Union Oyster House -  Union Street, 41 -

Um dos grandes ícones de sua culinária era a Clam Chowder, uma popular sopa cremosa feita com mariscos. E para experimentar um verdadeiro exemplar desta iguaria, não deixe de ir ao Union Oyster House, o mais antigo restaurante dos Estados Unidos ainda em funcionamento. Desde 1826 o restaurante, que mantinha o ar de antigamente, caprichava nas receitas de ostras e lagostas. Para uma comida tão boa quanto a do Union Oyster, em um ambiente mais descontraído, busque o Fort Point e experimente os restaurantes com vista para o Boston Harbor.

 

BOSTON 2.jpg
BOSTON 8.jpg
bottom of page