top of page

BANGKOK  - A Familia Real -  Thailândia  - parte 4/6

BANGKOK - Grand Palace.jpg (4).jpg

O Grand Palace e suas estupas

GRANDE PALACIO.JPG

 

Novo Rei na Tailândia

O Soberano Maha Vajralongkorn recebera o título de Rama 10°. O Monarca tinha casa na região  da Bavária, na Alemanha e não era tão popular quanto seu pai Bhumibol, que reinara no país por sete décadas. O Rei Maha Vajiralongkorn, fora coroado em 04/05/2019, numa suntuosa cerimônia que mesclava rituais budistas e brahmânicos, no Grande Palácio Real, em Bangkok, no terceiro ano do seu reinado após suceder seu pai, Bhumibol Adulyadej, falecido em 2016.

Vida longa ao Rei, gritavam os simpatizantes que aguardavam nas ruas por horas, sob o ardente sol de Bangkok, tentando observar o Monarca, que era reverenciado na cultura tailandesa como uma divindade viva. O Rei Vajiralongkorn, foi transportado pelas ruas, por 16 homens carregando sua liteira dourada. Estava vestido com trajes bordados a ouro e usava o mesmo chapéu preto estilo militar que seu pai usou em sua coroação, a 69 anos atrás. Buzinas de conchas anunciavam a parada, que foi acompanhada por dois soldados da cavalaria, uma banda militar e guardas reais, em uma mistura de antigos e modernos uniformes de estilo ocidental. Espectadores vestidos de amarelo, a cor associada ao Rei, se reuniram desde o começo da manhã ao longo da rota de sete quilômetros, do Grande Palácio até os três templos reais, onde o Monarca, que apareceu em público pela primeira vez desde sua coroação, prestava tributo às principais imagens do Buda em cada templo. 

As cerimônias de coroação do Rei Vajralongkorn, de 66 anos, foram realizadas de sábado a segunda-feira, depois de um período de luto oficial pelo seu reverenciado pai.  O Monarca, estava acompanhado de sua esposa, a Rainha Suthida, uma ex-Comissária de bordo, com quem se casou de surpresa, uma semana antes da cerimônia. A televisão transmitia a cerimônia ao vivo, permitindo à população um olhar raro por trás dos muros do Grande Palácio. O novo Monarca chegou à cerimônia de coroação num Rolls Royce, junto com sua nova esposa de 40 anos. Também estava presente o seu filho mais novo, o Príncipe Dipangkorn Rasmijoti. O jovem de 14 anos, que frequentava uma escola na Baviera, era considerado um possível sucessor do trono. Vajiralongkorn reinava com o título de Rama 10°, pertencendo à Dinastia dos Chakri, que ocupava o trono desde 1732. Na coroação, foi purificado com águas de diferentes rios de todo o país num ritual de origem hindu, no qual também participaram monges budistas, refletindo o sincretismo religioso da Tailândia.

Inicialmente, Maha Vajralongkorn trocou seu uniforme militar por um manto branco, conforme prescrito pelo rito secular, monges budistas o borrifaram com água benta e o ungiram. No momento da coroação, mais de 40 mil monges rezavam simultaneamente em todo o país, para abençoar o novo Monarca. O principal momento foi quando o novo Rei recebeu a insígnia Real, uma coroa dourada de 66 centímetros de altura, pesando 7,3 quilos e em forma de espiral com um diamante no topo, ao som dos sinos que tocavam em milhares de templos pelo país.  Pelo menos 10 mil membros das forças de segurança foram mobilizados em torno do palácio, onde as cerimônias de coroação duraram até a segunda-feira, dia 6 de maio de 2019. A monarquia absoluta foi abolida na Tailândia em 1932. O país tem sido governado por militares desde um golpe de Estado, há mais cinco anos. No entanto, o Rei ainda detinha um papel altamente político. Antes da cerimônia de coroação, um indulto concedido por Decreto Real, perdoou a pena de mais de 40 mil prisioneiros. Entre eles estava, de acordo com a mídia local, também um líder estudantil que violou a estrita lei que protege o Rei do crime de lesa-majestade.

O Rama 10°, cujo nome completo era Maha Vajiralongkorn Bodin Dradebaya Warangkun  Rei do Raio, descendente de Divindades Todo-Poderosas), era menos respeitado pelo povo do que a figura de seu pai. De três casamentos fracassados, ele tinha duas filhas e cinco filhos.  O pai do Monarca atual era considerado o pai da nação e um guia para a maioria dos tailandeses, que o veneravam com um fervor quase religioso. O novo Rei costumava ir frequentemente à Alemanha, onde possuia uma mansão no Lago Starnberg, próximo de Munique. Com uma fortuna estimada em mais de 35 bilhões de euros, a Família Real da Tailândia era uma das monarquias mais ricas do mundo. 

Vida de Rei...

No dia 28 de agosto de 2019, o Rei Maha Vajralongkorn determinara a soltura da prisão da sua ex-amante Sineeat Wongvajrapakdi, que estava prisioneira em Bangkok, depois que a ex-Comissária de Bordo se auto candidatou ao trono real do país. Tão logo liberada, fora conduzida ao Aeroporto Suvarnabhumi para embarcar com destino a Munich, para juntar-se à comitiva real que se encontrava hospedada no hotel cinco estrelas Sonnenbichi, em Garmisch-Partenkirchen, no sul da Baviera. Com certeza a moça devia ter caprichado na prestação de serviços ao Monarca, para fazer jus a essa honraria. O  Rei que se instalara no hotel logo no início da pandemia, ocupava todo o quarto andar do hotel acompanhado de sua esposa, Rainha Suthida, também ex-Comissária de uma companhia aérea tailandesa, e com uma entourage de 40 pessoas, entre segurança, cozinheiros e auxiliares pessoais. Como dizia um jornalista gaucho: Não há o que não haja!

As duas Rainhas

O controverso Rei da Tailândia coroou a sua amante oficial como segunda Rainha. A honraria foi um presente pelo aniversário de 36 anos de Sineenat Wongvajirapakdi. Usando casacos com a cor oficial da realeza ( azul-bebê ), o casal soltou peixes e pássaros em uma cerimônia budista em Bangkok, para marcar o aniversário de SineenatA relação entre o Rei Maha Vajiralongkorn, de 68 anos, mais conhecido como Rama X, e Sineenat era bastante conturbada. O relacionamento chegou a terminar quando a amante oficial acabou presa, em outubro de 2019. Oficialmente, a acusação não foi informada, mas suspeitava-se que Sineenatt teria caído em desgraça ao desejar alcançar o nível de Rainha, posto também ora ocupado por Suthida, de 41 anos. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Baiyoke Sky Hotel –

Com 88 andares acima do famoso Mercado Pratunam,  era o mais alto prédio de hotel da Tailândia em 2012 e fazia parte da Baiyoke Tower II, com 304 metros de altura. Mas o que pairava sobre essa façanha arquitetônica eram as experiências assustadoras de alguns hóspedes. Havia um registro crítica no Tripadvisor que mencionava a ocorrência de sons da banheira, passos, cartões-chave que foram movidos misteriosamente e até a sensação de algo frio passando. Alguns relacionavam esses acontecimentos estranhos com a morte de três trabalhadores, em maio de 2012. Eles estavam colocando outdoors no prédio quando o cabo que suspendia a gôndola se partiu. A gôndola se inclinou bruscamente, mergulhando três dos cinco trabalhadores para a morte nos  67 andares abaixo.

Deck de Observação -

As coberturas de alguns prédios de Bangkok eram famosas pela bela vista que proporcionavam e também por abrigar bares e restaurantes atraentes, desde os mais sofisticados - e caros -  aos mais simples. Um desses lugares era o Bayoke Tower, o então prédio mais alto da Tailândia. No prédio, havia decks próprios para observação. ​Uma visita a Bangkok não ficaria completa sem uma visita ao Chinatown (Yaowarat Road), uma avenida cujas atrações diurnas eram as lojas, muitas delas  vendiam artefatos fabricados em ouro.  Quando o sol se punha era que a área chamava ainda mais atenção, pela grande quantidade de lanternas que iluminavam por completo a orla.

 

Estádio de Boxe Lumpinee -

O Muay thai ( boxe tailandês ) era uma das artes marciais mais antigas do mundo. Com sua origem na Tailândia, o esporte era uma paixão nacional, atraindo praticantes e conquistando espectadores de todas as idades e origens.

Lak Meuang
Era a área situada em frente ao templo Wat Phra Kaew, com pequenos espaços para oração. Era aonde se encontrava um pilar de madeira, erguido em 1782, para celebrar a fundação de Bangkok como capital da Thailândia. Na entrada, havia um pequeno palco com apresentações da dança Lakhon Chatrii, uma versão mais popular do Khon, com vestimenta parecida, porém mais simples.

Parque Lumpini  -

Era um paraíso no centro da cidade, com muita paz, ar fresco e muita sombra, oferecendo aos moradores da cidade uma perfeita integração com a natureza. Criado após o local de nascimento do Buda no Nepal, o parque tinha mais de meio milhão de metros quadrados e era o habitat de várias espécies de flora e fauna.  Historicamente, remontava à década de 1920 e foi criado para ser um centro de exposições de artesanato tailandês e exposições e flores. Embora essa visão original nunca tenha sido cumprida à risca, o Lumpini Park cresceu ao longo dos anos como centro de atividades de lazer ao ar livre para os habitantes locais que se reuniam antes e depois do pôr do sol para aproveitar uma corrida, exercícios leves, aeróbica e outras atividades recreativas.​

​Além dos vendedores de comida, acampados do lado de fora da estátua de Rama VI, cozinhando variações saborosas de pad tailandês (um prato de macarrão tailandês) e jim joom (carne com legumes), no mercado de fim de semana era onde se encontrava uma linha de bancas que vendiam de tudo, de frutos do mar frescos a frutas e legumes, a grelhas chinesas preparando nabos fritos e hambúrgueres de legumes. E se estiver pronto para uma correção de clorofila, experimente o suco de grama de trigo - uma contribuição local para a indústria de desintoxicação. Uma ode aos pinguços. ​O Parque estava enquadrado pelas estradas Rama IV e Ratchadamri, (sul e oeste), bem como pela Sarasin e Wireless (leste e norte, respectivamente). Estava a uma pequena distância a pé, das estações de Metrô Lumpini e Silom (MRT) pelo Pathumwan MRT. Abria das 4.30 as  21.00 horas.

Ponte do Rio Kwai -

Situada quase na fronteira da Tailândia com Myanmar, mais precisamente na cidade de Kanchanaburi, encontrava-se a histórica ponte erguida sobre o Rio Kwai Yai. Por ser uma atração que ficava a 125 km de Bangkok - sendo possível ir e voltar no mesmo dia, a cidade atraia visitantes que desejavam ver de perto a estrutura erguida, às custas de luta e morte de centenas de pessoas, por ocasião da última guerra, tendo servido de inspiração para o lendário filme com seu nome.

Suda - Sukhumvit Soi 14

Era mais um local de Bangkok, onde é possível experimentar o melhor da culinária tailandesa/chinesa a preços mais em conta (um jantar para duas pessoas saia, em média, por R$ 40,00 No cardápio do restaurante, que ficava bem próximo à movimentada avenida Sukhumvit, havia uma grande variedade de pratos, como: o Kuay Tiew Nam. Como quase sempre estava lotado, dava para pegar a comida e sentar num dos bancos da pracinha em frente. Era o que a maioria dos locais faziam.

 

Templo de Mármore – Wat Benchamabophit

Conhecido como o Templo de Mármore, o Wat Benchamabophit foi construído durante o reinado de Rama V, em 1899. Para erguê-lo, o Rei contratou um arquiteto e um engenheiro italianos, que agregaram à construção elementos como vitrais e o mármore branco de Carrara,  na Itália.

Templo do Tigre -

Situado em Kanchanaburi, abrigava mais de 50 tigres, entre animais resgatados em situações adversas ou nascidos no local. Em certos períodos do dia, o Templo dirigido por monges budistas, abria para visitação e permitia a participação do público em algumas atividades, como alimentar filhotes e observar os animais mais de perto.

​​Vanilla Brasserie

Tinha várias opções de restaurantes e lanchonetes, disponíveis no Shopping Siam Paragon. Se quiser sentar-se em um local calmo e saborear pratos deliciosos, o lugar certo era a Brasserie Vanilla, que ficava no térreo do shopping (lado oposto ao Coffee Beans by Dao).

 

​​Vertigo e Moon Bar

As coberturas de alguns prédios de Bangkok eram famosas pela vista que proporcionavam ao visitante e por abrigarem bares/restaurantes modernos, desde os mais sofisticados - e caros -  aos mais simples. Um dos lugares onde a vista e o atendimento eram excelentes era o Vertigo/Moon Bar, que ficava no Roof do Hotel Banyan, um cinco estrelas. 

​​Mercados & comidas

 

Além de duas dezenas de shoppings, Bangkok tinha vários mercados para todos os gostos, espalhados pela cidade e arredores. A experiência de passar umas horas em um dos mercados de rua da capital tailandesa era marcante em todos os sentidos. Seja pela gastronomia, pelo artesanato ou mesmo pela religião, os costumes tailandeses estavam presentes em cada detalhe desses centros comerciais. Havia vários e interessantes mercados espalhados pela capital tailandesa, desde mercados de rua, mercado do trem e até mercados de rio, conhecidos como mercados flutuantes. A primeira dica para quem desejava explorar os mercados da Tailândia, era estar disposto a descobrir uma nova atmosfera. Parecia que nossos sentidos ficavam ainda mais apurados diante da mistura de sons, cheiros, sabores e cenas tão peculiares. Tudo podia parecer exótico e estimulante, principalmente para quem estava visitando o país pela primeira vez. Por isso, venha de mente aberta para vivenciar o que as ruas têm a oferecer.

Num mercado flutuante tradicional, os barcos serviam para o preparo e venda de comidas. O povo tailandês adorava um mercado flutuante e visitar um deles, era programa de fim de semana das famílias, que saiam para aproveitar um tarde de sol e comer bem e barato, à beira de um rio. Existiam diversos mercados flutuantes diferentes aqui e nos arredores da cidade, que ainda mantinham suas características e não eram invadidos pelos turistas. ​Quando estiver por aqui e quiser visitar um mercado flutuante, escolha o de Taling Chan e vá por conta própria, porque tanto as Agencias de Viagens quanto os taxistas ou motoristas de tuk tuk, insistiam em levar os turistas até Damnoen Saduak, porque ficava longe e a viagem renderia muito mais, mesmo sabendo que este não era o melhor programa.

Ari -

O melhor do bairro Ari era a comida porque tinha opções para todos os gostos e bolsos, do street food ao restaurante gourmet. As melhores opções ficavam no começo da Soi 7, incluindo a barraquinha de rua da esquina e o Ong Tong, a Soi 1, na Galeria Ari One, onde estava o Paper Butter, a Semi-soi na saída 1 do BTS que teinha barraquinha vegetariana em que tudo custava 40 baht. Para beber, vá ao pub do Villa Market, no térreo. Aqui vendiam as melhores craft beers da região.

Artbox Bangkok

Era noa e cheio de produtos interessantes, com destaque para os artigos de decoração, a moda vintage, os acessórios feitos à mão e as várias ofertas de comidas. Era possível passear e até curtir uma música ao vivo. O diferencial daqui, era que várias barracas funcionam dentro de contêineres. Como o mercado era itinerante, era preciso descobrir no site deles, onde estariam funcionando. Abria as  sextas, sábados e domingos, a partir das 17.00h.

Bobae Market

Era um dos muitos mercados voltados à venda de roupas, calçados e acessórios. As peças era muito baratas, mas era recomendado avaliar com cuidado a qualidade dos tecidos, costuras e acabamentos. Para as grávidas, era o lugar mais indicado para as compras do enxoval. Abria diariamente das 4.00 as 18.00h.

Chatuchak Weekend Market

Era o maior mercado a céu aberto da Thailândia, O local reunia mais de mil barracas que vendiam de tudo e onde era possível pechinchar bastante: roupas, calçados, acessórios, objetos de decoração, souvenires, comidas, entre outros estavam à disposição em tendas espalhadas por uma imensa área. A grande diferença entre este mercado e outros pelo mundo à fora, é que este é muito grande e de fácil acesso. Ficava logo ao lado da Estação Mo Chit BTS, e só abria aos sábados e domingos. Durante o verão, costumava fazer muito calor perto do meio-dia, então procure chegar mais cedo para fazer um passeio mais agradável. Visite a área de segunda mão, onde encontrará uma enorme variedade de roupas usadas que chegavam pelas fronteiras com o Camboja e Laos. Menos conhecido pelos visitantes, o mercado tinha uma enorme seção de artistas, que ficava escondida perto da entrada do lado de Mo Chit. Visite as lojinhas menores para descobrir uma grande variedade de pinturas e esculturas peculiares, vendidas a preços razoáveis. Era nada menos do que 27 seções, que funcionava aos sábados e domingos das 6.00 as 18.00h.

JJ Green Market 

Era um dos mercados de rua mais interessantes da cidade, sempre lotado e com um clima bem descontraído. O ambiente era ideal para comprar bolsas, sapatos, roupas e acessórios e, também para provar a culinária tradicional. Dava pra achar artigos vintage, num estilo descolado de mercado de pulgas. Este era um mercado com perfil mais jovem e cheio de vida, quase com um estilo boêmio. Ficava perto do Chatuchak Market. Desça na Estação BTS Mo Chit e siga pela Kamphaeng Phet Road. O mercado ficava dentro do parque e funcionava de quinta a domingo, das 17.00 as 24.00h.

Mae Varee Fruit Shop – Thong Lo, 55 –

O nome dizia tudo: era um pequeno e agradável mercado especializado em frutas de toda a Ásia e também oferecia vários stands com ofertas dos mais variados, curiosos e deliciosos doces. Ofereciam vários pratos com arroz, especialmente o que era feito com molho de manga.

Mercado flutuante de Amphawa

Para visitar o Mercado flutuante de Maeklong, é recomendado aproveitar e também conhecer este mercado que ficava apenas a 15 km. Para chegar havia várias opções: um tour coletivo ou privado, ir de taxi ou numa espécie de tuk tuk que aqui era conhecido com Songthaews, uma opção mais econômica e também a mais autêntica. Se quiser experimentar esta forma de transporte, vá a uma rua paralela ao mercado de Maeklong e encontrará várias Songthaews, e pergunte o destino da mesma e siga para uma nova aventura. Para retornar a Bangkok, escolha o serviço de Van, cuja passagem por pessoa custava em torno de 6 €.

Mercado flutuante de Bang Nam Pheung

Este não costumava aparecer nos roteiros turísticos habituais, mas era um dos mercados favoritos do turista e também do que vivia em Bangkok. Ficava num lugar conhecido como Pulmões de Bangkok, a incrível ilha de  Bang Krachao. Veja a grande quantidade de produtos artesanais e a grande variedade de comidas, enquanto passeia tranquilamente e atravessa a série de pequenos canais que cortam o mercado. Era recomendado chegar cedo  – o mercado abria as 8.00 e encerrava antes das 15.00h. Depois de se abastecer com comida de rua, dava para alugar uma bicicleta por apenas 80 bahts tailandeses e percorrer as aldeias vizinhas, em Bang Krachao. 

Mercado flutuante de Damnoen Saduak

Era o mais antigo e tradicional da Thailândia, que já foi um grande mercado, mas com o passar dos anos e a grande procura dos turistas pelo lugar, os tailandeses perceberam que era mais rentável moldar o mercado flutuante para as necessidades do turismo, do que o comércio de produtos para a população local.  O mercado tinha mais de 100 anos, e antes de sua criação, a cidade não tinha a quantidade de canais que existiam hoje, e na época o então Rei da Thailândia ordenou a criação de um canal principal, de 32 quilômetros de extensão e mais de 200 canais secundários, para facilitar o transporte de mercadoria na região. Um passeio de barco pelo canal, custava 150 Baths, por 30 minutos em barquinhos de madeira, a remo. Era um passeio interessante, às vezes rolva uns congestionamentos de barcos e os barqueiros gritavam e gesticulavam uns com os outros, mas no fim tudo se resolvia numa boa. Para aproveitar bem o Mercado Flutuante, procure chegar cedo, por volta das 9.00hd porque depois das 11.00h o lugar ficava lotado de turistas, principalmente de chineses.  Convém lembrar que todas as comidas  feitas aqui não tinha muita higiene, até porque o pessoal na Thailândia não era muito chegado a limpeza em geral, por isso muito cuidado ao beber ou comer algo.

Fcava distante aproximadamente 100 quilômetros do centro, dava para chegar em ônibus de linha ou por um tour. De ônibus, desde o do Terminal Rodoviário de Bangkok (Bangkok’s Southern Bus Terminal) parte um ônibus direto para Damnoen Saduak, o número 78. O primeiro  saia as 6.00h e em média a cada 30 minutos tinha uma nova saída. O ponto final do ônibus ficava distante aproximadamente 1km do Mercado Flutuante, e daí era pegar um tuk-tuk até o mercado. Chegando por um tour, o programa  incluía a visita ao Mercado do Trem de Maeklong, por apenas 500 Baths e a agência recomendada era a Mr. Thai Tours. Uma Van saia de Bangkok por volta das 7.00h e chegava em Damnoen Saduak, antes das 9.00h. Ao desembarcar da Van, pegava-se um barco a motor que fazia um passeio por canais secundários até acessar o canal principal, e depois  chegava ao canal onde ficava o Mercado Flutuante.

Mercado flutuante de Khlong Lat Mayon

Escondido no distrito periférico de Taling Chan, era um dos mercados mais autênticos para visitar. Este mercado era uma alternativa muito tranquila em relação ao popular Mercado flutuante de Ampawha, e atraia principalmente os locais. Depois de explorar o mercado e saborear um almoço, suba a bordo de um longtail, um tradicional barquinho tailandês, para um passeio pelos canais, com duração de uma hora,  uma ótima maneira de ver as comunidades ribeirinhas. Era mais um mercado de fim de semana, aberto das 8.00 as 17.00h. A melhor maneira de chegar aqui era pegando o BTS para a Estação Wong Wian Yai, ou pegar um táxi por 15 minutos até o mercado.

Mercado flutuante de Taling Chan

Localizado a 12 km do centro de Bangkok era frequentado, principalmente, pela população tailandesa – os turistas ainda eram minoria – permitindo vivenciar o local de forma genuína. O mercado acontecia nos arredores do Taling Chan District Office, mas funcionava apenas nos fins de semana, com barraquinhas de doces tradicionais, enfileiradas junto ao acesso ao píer. Às margens do rio eram montadas em uma área coberta, diversas mesas coletivas, onde se podia fazer o pedido nos  barcos ancorados, conseguir seu passeio de barco pelo rio, ouvir grupos musicais tailandeses ou até marcar uma massagem nos pés. ​Para chegar, bastava pegar o BTS até a Estação Bang Wa e depois pegar um táxi. Se estiver com mais pessoas, faça o percurso de taxi. A recomendação era chegar cedo, porque na hora do almoço este mercado também ficava lotado! Abre aos finais de semana, das 8.00 as 17.00h. Ficava a poucos km do Mercado flutuante de Khlong Lat Mayon.

Mercado flutuante de Tha Kha

Não ficava exatamente em Bangkok, mas na Província de Samut Songkhram, a uma hora e meia de carro. Para chegar, a melhor opção era combinar com algum motorista de taxi, tuk-tuk ou Uber, mas acerte o preço antes e pague a metade na ida e o restante na volta. Se preferir, use o transporte público, pegando uma Van no Terminal Sul de Bangkok. Por ser muito afastado da cidade, não havia aglomerações, tampouco exploração turística. A especialidade dos mercados flutuantes eram pratos feitos à base de frutos do mar, mas no Tha Kha era possível encontrar camarões de água doce cozidos no vapor, com legumes, macarrão vietnamita, sorvete de coco e outros docinhos típicos. Funcionava somente nas sextas, sábados e domingos.

Mercado Asiatique - The Riverfront

Estava situado nas antigas docas da East Asiatic Company, às margens do Rio Chao Phraya. Era um pequeno porto, fundado em 1897, que deixou de operar em 1907 e reabriu como centro de ócio em abril de 2012, conservando os antigos prédios de estilo retrô. Em função da sua localização e história, seu layout era temático e apresentava uma decoração especial, com tema inspirado no reinado do Rei Chulalongkorn e nas atividades marítimas. Os antigos armazéns abrigavam a maioria dos restaurantes. Como o local iniciava suas atividades diariamente as 16.00h. a sugestão era chegar logo para poder assistir o lindo pôr-do-sol junto ao rio. Era divido entre outras três seções, que contavam com uma grande quantidade de lojas e barracas com produtos diversos locais, roupas, acessórios, souvenires, artesanato e afins, vários restaurantes, o Cabaret ladyboys Calypso, o espetáculo Muay Thai Legends, o Teatro de Marionetes Joe Louis e a Asiatique Sky, a roda-gigante mais alta da Thailândia, com 60 metros de altura. Era um passeio muito recomendado!

Como chegar

A forma mais rápida e fácil de chegar,  era pegar o barco que sai do Píer Saphan Taksin. E também chegar ao Píer de BTS. De lá, eram apenas 10 minutos de barco. O barco operava das 17.00 as 23:30h, com uma frequência a cada 15 minutos. Para quem estivesse visitando o Wat Arum, era só pegar o barco de linha e logo adiante descer na Estação do Asiatique. Deixando o acesso pelo rio, chegava-se de táxi, tuk tuk ou de carro alugado, até porque o estacionamento era grande e de fácil acesso. Lembrando para quem retornar pelo BTS ( Skytrain ) que o ultimo barco que levava até a Estação Saphan Taksin, partia as 23 horas.

Mercado de Flores de Pak Khlong Talat

Estava situado ao longo da margem oriental do Rio Chao Phraya, numa área considerado centro. Como o nome já dizia, era um mercado vibrante e colorido onde as flores eram as grandes atrações. Faça uma visita logo depois do café da manhã para ver o lugar em seu pleno funcionamento, quando hotéis, floristas e outros negociantes locais corriam para pegar as flores mais frescas. Permanecia aberto 24 horas, e também era um lugar legal de visitar de noite. As flores aqui eram realmente muito baratas, e o aroma do lugar era marcante. A melhor maneira de chegar ao mercado das flores de Pak Khlong era pegar o barco de Saphan Taksin até Saphan Phut, seguido de uma pequena caminhada. O Mercado ficava perto do Mercado Wang Lung, então se poderá programar um passeio de meio dia para conhecer os dois lugares.

Mercado de Frescais de Khlong Toei – Rama IV Road Khlong Toei, Khlong Toei –

Este não é um mercado turístico, mas  um mercado publico onde faziam as compras diárias de carnes, pescados,  vegetais, frutas e verduras e até animais vivos. Para ver a vida real de Bankok, este era o lugar.   A área ao redor do Khlong Teoy era uma das mais pobres de Bangkok, então esteja preparado para ver um lado diferente da cidade. Ficava na junção de Rama 3 e Rama 4. A melhor maneira de chegar era de táxi, que não custava mais de 5 Euros, saindo da área superior de Sukhumvit, ou uma caminhada de 30 minutos, a partir da Estação BTS mais próxima, Asok. Se for visitá-lo não use sandálias, pois o piso estava sempre molhado.

Mercado de Ko Kret

Era mais uma ilha artificial do Rio Chao Phraya, localizada ao norte de Bangkok, na vizinhança de Nonthaburi Province. Ao caminhar ou pedalar ao redor da ilha no sentido anti-horário a partir do Píer, chegará direto no mercado local, à beira do rio. Era recomendado por seus artigos artesanais de cerâmica, e também oferecia opções gostosas de comida tailandesa e doces.  A melhor maneira de chegar era ir de táxi. Saindo do centro de Bangkok, a corrida levava cerca de 40 minutos e custava mais ou menos uns 8 €. Não existia mais o barco de turismo que ligava Saphan Taksin a Ko Kret, então as opções de transporte alternativo eram limitadas. Depois do almoço, continue seu passeio pela ilha e explore o estilo de vida das vilas ao redor de Bangkok. Informe-se sobre onde fica a Cervejaria Chit (Chit Brewery), uma das melhores micro-cervejarias de Bangkok, com direito a um belo jardim ao ar livre, ao lado do Rio Chao Phraya.

Mercado do Trem em Maeklong

Situado nos arredores de Bangkok, era uma feira montada diariamente sobre os trilhos da ferrovia e que em diversos momentos do dia, o trem obrigava os feirantes, clientes e turistas a se afastarem dos trilhos para permitir a passagem da composição, num trecho de 1 km. A feira ficava em Maeklong ou Mae Klong, que era o nome do rio que cortava a cidade da Província de Samut Songkhramdistante cerca de 80 km de Bangkok.  ​Aqui vendiam de tudo, frutas, legumes, peixes e frutos do mar, além de muita bugiganga. Apesar de ser invadido por turistas, era um mercado muito utilizado pelos locais. Os feirantes já conheciam os horários dos trens e na hora certa, salve-se quem puder, todo mundo sai levantado as tendas, recolhendo os produtos que poderiam ser danificados e todo mundo corria em busca de um lugar seguro para esperar o trem passar. Depois, tudo voltava ao normal até o próximo trem, às vezes em menos de 30 minutos.

Como chegar ao Mercado do trem

De Van - Ao lado da Estação Victory Monument, do BTS Skytrains, em Bangkok, saiam várias Vans para a cidade de Maeklong. Do mesmo lugar, Vans ligam Bangkok a Ayutthaya e Kanchanaburi. Chegando na Estação, para não se perder, pegue a saída número 4, siga pela passarela que atravessava as avenidas Ratchawithi e Phahon Yothin, onde as Vans ficavam paradas, embaixo da Via Expressa. Informe-se sobre qual era a Van para Maeklong. Dica: pergunte para outros passageiros locais qual a Van correta, os motoristas eram meio espertinhos e na desinformação dos turistas, indicavam outros veículos que costuma am cobrar mais caro. A viagem custava em torno de 80 Baths e a demorava aproximadamente 1.30h.

De trem - Dava para ir de Bangkok para Maeklong de trem, mas o problema era a confusão gerada pelo movimento de gente, e os horários que costumavam mudar sempre. Era a forma como os Tailandeses viajam, os trens saiam da Estação Wongwian Yai no sentido Maha Chai. De lá era preciso  desembarcar e atravessar de barco o Rio Tha Chin até a Estação Ban Laem e depois  pegar outro trem até a Estação Maeklong, que ficava perto do Mercado do Trem. Era muita mão de obra, cansativa e demorada e por isso não era a mais recomendada.

De tour - Certamente era a melhor maneira e custava em torno de 500 Baths e incluia a visita ao Mercado Flutuante. A Van saia de Bangkok as 7.00h, passa pelo Mercado Flutuante e seguia para o Mercado do Trem, chegando por volta das 11.00h e as 11.10, o trem passava pela feira.

Mercado Srinakarin Rot Fai Train  

Para quem é fã de carros vintages, mercados livres de antiguidades e bares hipsters com bandas tailandesas tocando ao vivo, este é o lugar certo. A estrada que leva até lá é cheia de bares divertidos e pequenos restaurantes, mas não faça uma parada ainda, porque o lugar é enorme. Circule pelo mercado adentro para descobrir uma enorme variedade de comida tailandesa, brechós de roupas usadas e carros e motos antigos maravilhosamente restaurados. O mercado noturno Srinakarin Rot Fai ficava logo atrás do Centro Comercial Paradise Park e estava aberto da noite de quinta até a noite de domingo. A melhor maneira de chegar era de táxi, já que essa área da cidade não tinhha muita oferta de transporte público. Um táxi partindo de Onnut ou Prakanong BTS custava em torno de 5 Euros, mas lembre-se de pedir para ligar o taxímetro, e não fechar uma taxa fixa. Funcionava de quintas a domingo das 17.00h até a 1 da manhã.

Mercado New Ratchada Rot Fai Night 

Era parecido com o Srinakarin Rot Fai Market, mas era mais focado em bares e comidas. Tinha grande variedade de bares com música ao vivo, torres de cerveja por um bom preço e garrafas de whisky tailandês. O ambiente era bastante diversificado, e os turistas podiam sentir de perto um pouco do modus vivendi do país. Era o mercado perfeito para comprar antiguidades, roupas, acessórios, sapatos, artigos de decoração vintage e, claro, muita comida de rua. Ficava na parte atrás do Esplanade Shopping Center, na Ratchadapisek Road. Para chegar, era pegar o MRT (linha subterrânea) e descer na Estação do Centro Cultural da Tailândia. Abria as 18.00h de quinta a domingo e encerrava por  volta da 1 hora.

Nang Loeng Market A área de Nang Loeng era conhecida por ter uma diversidade de pessoas oriundas de várias áreas da Ásia, incluindo China, Vietnã, Camboja e Laos. E isso já tinha mais de 200 anos, por isso era possível encontrar alguns ingredientes interessantes e comidas que não eram comuns em outras partes de Bangkok. Ao lado do Mercado estava o Sala Chaloem Chani, o primeiro cinema original na Tailândia, construído em 1918 e que só encerrou as atividades em 1993.

Patpong

Era mais um mercado voltado para turistas. Funcionava no período noturno e ficava abarrotado de bancas, que dividiam espaço com lojas, restaurantes e bares. Os produtos eram muito diversificados – nem sempre com a melhor qualidade. Ainda assim valia uma passada por lá. Estava localizado no Distrito da Luz Vermelha, uma região conhecida por ser o local onde rolavam os ping pong shows.

Pratunam Market

Era outro lugar bom para barganhar e comprar coisas baratas. Estava localizado próximo a Estação Kamphaeng Phet, espalhado por dezenas de vielas e vendia de tudo, principalmente roupas. De réplicas à marcas de luxo, era possível encontrar todo o tipo de roupa no Pratunam, das mais caras até as incrivelmente baratas. Como todo bom mercado de rua, o lugar atraia muita gente de todo tipo, então era sempre bom ter cuidado com mochilas, bolsas e carteiras. Nunca aceite o primeiro preço, e regateie! Funcionava diariamente por 24h, mas o melhor horário para o turista era das 9.00 as 20.00h, principalmente pela manhã.

Train Night Market - Srinakarin Soi 51 - Srinakarin Road Nong Bon - Prawet -

Era um local interessante, pois era algo diferente de tudo que estavmos acostumados. Um mercado praticamente em cima dos trilhos dos trens e onde comercializavam frutas, peixes, comidas típicas e até artesanato. Era um lugar bastante peculiar e rústico. Os trilhos serviam de caminho entre as mercadorias e demais produtos e quando o trem se aproximava, os trilhos eram desocupados para possibilitar a passagem do veículo. Alguns produtos eram voltados para turistas, mas a maioria era mesmo para os locais.

 

Train Night Market Ratchada - ​Ratchadaphisek Road - Din Daeng - 

O Mercado Noturno Ratchada, ou Train Night Market, era um local típico dos  tailandeses, muito  frequentado por  jovens e que também vinha sendo descoberto pelos turistas. Era também conhecido como Rod Fai (trem, em tailandês), mais de mil barracas vendiam todo tipo de produtos, com preços muito atrativos. Um pouco ao lado da concentração de barracas estava o Rod’s Antiques, uma loja de peças vintage, onde era  possível  ver   desde carros antigos, passando por móveis kitsch, até um manequim em tamanho real do Elvis. Passear pelos corredores  observando a variedade de opções servidas, de frutos do mar a insetos, era muito interessante. Pela área de alimentação, aproveite para experimentar o mix de frutos do mar ao molho vermelho, servidos na própria mesa. Isso mesmo, a tábua era forrada e os alimentos eram dispostos sobre ela. O visitante ganhava uma luva plástica e comia com as mãos.  O mercado oferecia várias opções de bares montados no estilo de contêineres, com música ao vivo e decoração moderna. Explore os corredores laterais e escolha um bar que tenha dois andares, de cima era possível ter uma  visão ampla das barracas do mercado.​ Sobre a Memorial Bridge também acontecia um Night Market, muito visitado pelos turistas por sua localização diferenciada e pela quantidade de barracas que vendiam de tudo. Como não poderia ser diferente, aqui o que não faltava era oferta de comidas asiáticas.

Yaowarat Food Night Market - 452, 442 Samphanthawong -  

Era um dos melhores lugares para experimentar novos sabores. A Avenida inteira ficava repleta de barraquinhas de ruas, algumas inclusive constavam no Guia Michelin, as ruas laterais tinham seus pequenos restaurantes sempre lotados, e os preços eram convidativos. E não tinha só comida tailandesa e chinesa.

 

Mercado ASIATIQUE.JPG

Wat Arun 

Interior do Grande Palácio

BANGKOK - Grand Palace.jpg.jpg

interior do Grand Palace

BANGKOK Wat Arun.jpg
bottom of page