top of page

AYUTTHAIA  - Buddas, Reis, pagodas e estupas -  
Thailândia  

Ayuthaia 2.jpg

As informações e recomendações inseridas neste texto, objetiva facilitar seu programa de viagem para visitar esta histórica e importante cidade tailandesa. Escolha o que pretende conhecer e monte seu roteiro para melhor aproveitar sua passagem por aqui...

 

Ayuthaia não era apenas mais um lugarejo a ser visitado, quando em viagem pelo sudeste da Ásia. Foi e ainda é um lugar muito interessante e cheio de histórias de seus vários reis, que aqui viveram e ajudaram a criar e fortalecer esta que já foi uma das maiores cidades do mundo. Portanto, ao visitá-la, é fundamentalmente importante que o turista esteja bem informado sobre tudo que verá pela frente, nos dias em que estiver circulando por este reino encantado do antigo Sião. Este texto é longo, histórico e didático, e poderá lhe ajudar a melhor entender Ayuthaia quqndo passar por lá. Bom proveito !  

 

O Reino de Ayuthaya foi fundado em 1351, pelo Rei U Thong e até 1767, era a capital do Reino da Tailândia, com 33 reis de cinco dinastias, que governavam o reino sucessivamente. Nesse período a cidade sobreviveu a uma série de invasões dos vizinhos birmaneses, vindos do atual Myanmar. Só não resistiu à ultima  delas, que aconteceu por volta do ano de 1767, razão pela qual foi abandonada e o Reino mudou-se para Thonburi e depois para Bangkok. Desde essa época, várias disputas sangrentas pelo território foram travadas. A guerra que culminou com a queda de Ayutthaya, reino que nasceu em 1350 e sucumbiu 416 anos depois, foi rápida e letal. A disputa durou dois anos – entre 1765 e 1767 – e envolveu Sião (desde 1939, Tailândia) e Birmânia. Resultado: o Exército birmanês levou a melhor, aniquilando Ayutthaya e todos os seus símbolos, com direito a destruição de 1.500 templos e a decapitação de 4.000 estátuas de Buda, representação máxima da religião de Sião, o budismo.

À época, Ayutthaya, localizada estrategicamente entre China, Índia e Malásia, estava entre as maiores cidades do mundo. Era um dos principais portos comerciais do planeta, graças à produção de madeira, marfim, peles, seda e artesanato. Durante muitos séculos, Ayutthaya foi importante centro internacional de comércio, artes e política. A interação e o comércio com estrangeiros prosperaram, e Ayutthaya tornou-se uma das maiores e mais cosmopolitas cidades do mundo. Tinha uma grande riqueza e atraia expatriados estrangeiros, que trabalhavam como navegadores, arquitetos, guarda-costas reais, até primeiros ministros. Em 1685, a cidade tinha uma população de um milhão de pessoas, o dobro da capital inglesa naquele tempo.

Sua localização era perfeita, na Ásia, porque era banhada por 3 rios e recebia navios europeus. Japoneses e chineses usavam o porto para o comércio de madeira seca, marfim, peles, seda entre outros artigos. Por sua beleza e imponência, com mais de 1.500 templos e cerca de 4.000 estátuas, a cidade ficou conhecida com a Veneza do Norte. Mas para demonstrar seu poder, o exército birmanês destruiu a cidade e decapitou a maioria das estátuas. Hoje as cabeças estão exportas no Chao Sam Phraya Nation Museum. Com o fim de Ayutthaya – que atualmente tem pouco mais de 60 mil moradores, o Reino de Sião teve que fundar uma nova capital. Assim nascera Bangkok. Recentemente, em 2011, a cidade sofreu com uma enchente, que inundou a maior parte de suas ruínas. Mas Ayutthaya estava destinada a resistir e hoje já estava totalmente recuperada e com o turismo de volta, a pleno vapor.

Como chegar

O meio mais simples era vir de trem desde Bangkok. Também era possível chegar num tuk-tuk ou de táxi. Se chegar a Bangkok por via aérea e quiser vir direto, localize a estação de trens que partiam a cada 40 minutos. Se já estiver na cidade, vá até a Estação Ferroviária de Hua Lamphong. Ainda, pegando o BTS até a Estação Saphan Taksin e de lá seguindo nos express boats pelo Rio Chao Phraya até o terminal central ou ainda, pegar um trem na Estação Central Hua Lamphong. Ainda que seja possível ir e voltar num mesmo dia, vendo muito do que a cidade tinha a oferecer, Ayutthaya tinha tudo para ficar mais de uma noite. Era super tranquila e segura, podendo ser explorada sem Guia e a qualquer hora do dia. Tinha o charme de uma cidade pequena, mesmo tão próxima de Bangkok. O Complexo de Ayutthaya possuia muitas ruínas, algumas muito pequenas e sem nome, outras enormes e imponentes, mas todas com seu charme. As mais famosas eram:

 

Chao Sam Phraia National Museum -

Este museu exibia artefatos obtidos em  escavações, ornamentos, objetos de arte, itens que refletiam o estilo de vida no passado e muitas cabeças de Buda, que foram decapitadas durante a invasão birmanesa.

Wat Chai Wattanaram -

Estava localizado fora do Centro Histórico, do outro lado do Rio Chao Phraya, onde também estava o famoso e grandioso Complexo de templos de Wat Chai Wattanaram. Fora construído pelo Rei Prasat Thong, em 1630, e suas ruínas eram as maiores de Ayutthaia.  Era considerado o mais bonito! O templo  se assemelhava a Angkor Wat, no Cambodja, porque fora construído com o estilo Khmer, em 1347, por Jing Prasat Thong, na margem do Rio Chao Phraya. Celebrava sua coroação e a vitória sobre o Khmer. Originalmente pinturas decoravam o interior das paredes das estupas, contando a vida de Buda, mas hoje o que restava eram apenas fragmentos. Tinha centenas de estátuas de Buda, sem suas cabeças, enfileiradas pelos corredores que levam até as estruturas que abrigavam esculturas maiores.

Wat Chum Saeng -

Essa era uma pequena e simpática ruína, onde se poderia apreciar a imagem de um Buda decapitado. Não se sabia muito a respeito desse lugar, mas valia uma rápida parada. O visitante não precisava pagar e entrar em todos os templos para estar em contato com as ruínas e com história da cidade, porque elas estavam por toda a parte.

Wat Lokkaya Sutharam -

Aqui estaqva o mais famoso templo de Ayutthaya, com a grande estátua do Buda Reclinado, com 37 metros de comprimento e 8 de altura, sendo a maior do país e lugar sagrado de peregrinação. Era feito de tijolos cobertos com gesso. Às vezes a estátua estava coberta com uma roupa amarela ou laranja. Esta estátua também ficara famosa por aparecer como cenário nos jogos de videogame, de lutas do Sagat do Street Fighter. Sua cabeça estava sob em flor de lótus e demonstrava um sorriso esperançoso. Na área existiam lojinhas de roupas e locais para lanches. No templo era possível também comprar flores e incensos para oferecer ao Buda de sua escolha.

Wat Mahathat -

Constava que fora construído no período do Rei Boroma-Rachathirat I, em 1374. Era onde estava a  cabeça de Buda, presa entre as raízes de uma árvore banyan. Não se sabia exatamente como ela foi parar lá, mas a hipótese mais aceita era que um saqueador a escondera ali, mas ao voltar para buscá-la, não conseguiu sair dos portões de Ayutthaya, sendo forçado a abandoná-la no local onde a escondera. Era chamado também de Phra Buddha Mahai. Segundo a história, que na última invasão pelo Exército da Birmânia, os soldados decapitaram todas as imagens de Buda que existiam no local. Anos e anos se passaram e uma árvore crescera ao redor de uma cabeça sem corpo, e quando a cidade foi redescoberta ,decidiram manter a imagem presa pela árvore. Por toda a cidade antiga, era possível ver Budas decapitados. Alguns com as cabeças ao lado e até imagens restauradas e cheias de oferendas.

Wiharn Phra Mongkhol Bophit

Era um tempo que se assemelhava muito ao Grand Palace de Bangkok, mas sua principal atração  estava no interior, um Buda de 12,45 metros de altura, além de um Buda de esmeralda. A imagem  fora construída no reinado do Rei Chairacha, em 1538 para Wat Chi Chieng. Durante a queda de Ayuthhaya, em 1767, o tehado de Vihara – termo em sânscrito utilizado para designar um mosteiro budista - fora  incendiado, quando o braço direito e o topo da cabeça da imagem de Buda foram danificados. O Vihara e a imagem de Buda foram completamente restaurados,  em 1956.  

Wat Phra Sri Sanphet e Grand Palace -

Era formado por três estupas, que ficavam onde eram as instalações do Palácio Real do Reino de Sião, que havia sido estabelecido no reinado do Rei Ramathibodi I. Em 1448, o Rei Boroma-Tri-Loka-Nat dedicara o local do palácio à construção do templo. Era um Templo Real do Reino de Ayutthaya, usado para cerimônias reais importantes, servindo como capela privada da Família Real. Nenhum monge residia aqui, embora eles fossem ocasionalmente convidados para ritos particulares. O templo abrigava um Buda de 16 metros de altura coberto de ouro. Quando a antiga capital tailandesa caira, em 1767, a imagem de Buda foi destruída e derretida em 160 kg de ouro. Destacado por suas três construções brancas lado a lado, se pode ver estruturas que hoje não passam de escombros. Segundo os locais, uma delas era o Grand Palace, que abrigava o enorme Buda. 

Wat Na Phra Meru -

Era o Templo Real. Uma lenda dizia que a principal imagem de Buda deste templo chorou quando Ayutthaya foi destruída pelo Exército da Birmânia. A estrutura do templo fora inspirada nas linhas de um barco. Interessante também era a imagem de Buda, em pedra no santuário menor, representado sentado com os pés no chão, em vez da posição de lótus.

Wat Phra Ram -

Fora construído em 1369, no lugar de cremação do Rei Ramathibodi I. O templo estava situado perto do lago Phra Ram que originalmente era chamado de Nong Sano. No templo havia  um Prang, em estilo Khmer, cercado por imagens de Buda, de pedra.

Wat Phra Si Sanphet -

As mais  importantes construções desse templo, eram as 3 principais estupas,  que continham as cinzas de três reis: Borama-tri-loka-Nat, Borama-rachathirat III e Ramathibodi II. Este fora um Templo Real utilizado para importantes cerimônias, e também como a Capela privada da família real, onde suas cinzas eram preservadas. Nenhum monge residia aqui, mas eles eram convidados ocasionalmente para as cerimônias.

Wat Ratchaburana -

O grande diferencial deste templo, em comparação os demais, era a sua história. Ele fora construído pelo Rei Borommrachthirat II, em 1424, em nome de seus dois irmãos mais velhos, que morreram nesse local enquanto lutavam pelo reino tailandês, um contra o outro  após a morte do pai. Era reconhecido pelo estilo kmer e possuia o maior chedi da cidade. 

Constava que a maioria dos templos foram obras dos reis ou importantes figuras de poder, muitas vezes como uma forma de redimir seu carma. Assim, quando um lugar tinha muitos templos, era sinal que os reis que viveram ali provavelmente estavam com a consciência pesada. Um exemplo disso era a cidade de Bagan, no Myanmar, aonde havia mais de quatro mil templos. Seus reis eram famosos por terem sido os mais sanguinários do Sudeste Asiático, e responsáveis pelas invasões a Ayutthaya, além de vários ataques a nações vizinhas.

Wat Thammikarat -

Tinha várias figuras de leões e galos, o templo que já fora restaurado diversas vezes, foi reativado por monges budistas que atualmente recebiam os visitantes.

Wat Worachettharam -

Era um templo localizado ao lado do Buda Reclinado. Era sem telhado ou cobertura, e tinha suas paredes muito bem conservadas e bonitas.

Wat Yai Chai Mongkol -

Fora construído pelo Rei Ramathibodi I, em 1357. Este Mosteiro fora dedicado aos monges que haviam ido estudar budismo no  antigo Ceilão, hoje o Sri Lanka. Mais tarde, o templo fora reconstruído em memória do Rei Naresuan - O Grande, por sua vitória sobre o Exército birmanês. Era o templo mais conservado, um dos mais bonitos e coloridos do parque. Um tecido amarelo brilhante circundava as estupas e também vestia as centenas de Budas do templo. Era também conhecido como  Wat Phra Chao Phya-thai. Era possível notar que os estilos das construções eram um pouco diferentes de um templo paro outro. Enquanto o templo de Wat Phra Sri Sanphet, por exemplo, era mais pontudo, este tinha a torre central mais arredondada. Como Ayutthaya fora capital por muitos anos e, acabara sendo influenciada por vários tipos de arquitetura vindos de fora. O estilo arquitetônico de Wat Chai Wattanaram, fora influenciado pela cultura do povo Khmer, oriundo do Cambodja.

Alguns passeios de barco levavam o turista pelo Rio Chao Phraya, durante o pôr do sol. Além de todas essas ruínas, também existiam museus como o Chao Sam Phraya National Museum e inusitados como o Thai Boat Museum. Também poderiam ser visitados, o assentamento holandês e o português, primeiras nações a chegarem à Tailândia. Uma visita interessante era ao Chao Phrom Market, localizado numa área recomendada para a hospedagem. Também poderia fazer esses passeios à noite, quando todas as ruínas ficavam iluminadas e a temperatura mais amena. Aproveite para conhecer a Feira Noturna, o Bang Lan Night Market, provar comidas de rua. 

Buddha Yodfa Chulaloke ou Phutthayotfa -

Fora postumamente chamado de Rama I, o Grande e como Thong Duang - 20 de março de 1737 a 7 de setembro de 1809 – fora Rei do Sião – atual Tailândia –  no período de 1782 a 1809, quando veio a falecer. Fora o criador da Dinastia Chakri, que reinava no país até os dias de hoje. Seu nome de nascimento era Thong Duang, filho de Phra Aksom Sundara Smiantra,  um nobre do reino de Ayutthaya, que após a queda de Ayutthaya, tornara-se Chao Phya Chakri, em Pitsanuloke. Após ser educado em um templo budista, seu pai o enviou para se tornar escudeiro do Rei Uthumphon e fora nessa ocasião que ficara amigo de Tak Sin, que mais tarde se tornaria o Rei  Taksin, o futuro predecessor de Rama. Depois da queda de Ayutthaya, ele reunira a classe nobre do Rei Taksin, sob o nome de Chao Phraya Chakri. Recebera o nome Buddha Yodfa Chulaloke, postumamente pelo Rei Rama III – Nangklao. 

No tempo em que fora General do Rei Taksin, Rama conquistara o Vientiane, em 1776/79 colocando o país sob seu domínio, transferindo seu Buda de Esmeraldo e Phra Bang, para a cidade de Thonburi. Em 4 de abril de 1782, quando Taksin fora declarado louco, após um Golpe de Estado e posteriormente executado. Rama assumira o poder e implantara a Dinastia Chakri, sendo coroado em 6 de abril como Rama I,  o Grande,  em data que hoje era comemorada como o Dia Chakri, sendo feriado nacional. Em 1785, o último dos Senhores Nguyen, Nguyen Anh, convenceu o então Rei Chulaloke a dar-lhe poderes para atacar o Vietnam, que estava sob o controle dos irmãos Tay Son. Acontece que a armada da coalizão Nguyen-Siam fora derrotada na Batalha de Rach Gam-Xoai Mut, na região do delta do Rio Mekong. Passados sete anos, Nguyen Anh com a ajuda dos siameses efetuou uma série de ataques a cidade de Saigon. O Rei Rama I continuou a tarefa de Taksin, de defender o recém criado país, aos ataques da  Birmânia e repelira várias invasões.

O Rei Rama I restabelecera também as tradições do país, impedindo que textos budistas fossem destruídos no caos que se seguira, ao saque realizado pelos birmaneses a Ayutthaya em 1767. Ele também transferira a capital de Thonburi para a recém construída Bangkok Em seu palácio, o Wat Phra Kaew abrigara o Buda de Esmeralda e criara um novo código de leis, o Livro dos Três Selos. Como a literatura era sua paixão, escrevera uma versão em tailandês do Ramayana, poema épico denominado Ramakien. Em sua morte, fora sucedido por seu filho, o Príncipe Isarasundorn, que assumira o trono com o nome de Rei Buddha Loetia Nabhalai, que depois passara a chamar-se Rama II.

    Bang Pa-In Palace - 

O Palácio Real no Distrito de Bang Pa-In, começava sua história no século XVII. De acordo com registros de Ayutthaya, o Rei Prasat Thong (1629-1656) construira um Palácio na Ilha de Bang Pa-In no Rio Chao Phraya. Os registros mencionavam apenas o nome de um prédio, o Aisawan Thiphaya-art Royal Residence, construído em 1632, ano de nascimento do seu filho, o futuro Rei Narai (1656-1688). Não havia menção se o Palácio chegara a ser usado antes da queda de Ayutthaya, em 1767, mas em 1807 fora encontrada apenas uma memória do que já teria sido o palácio, pois o local estava  abandonado e encoberto pelo mato. O Palácio foi revitalizado pelo Rei Rama IV, conhecido também como Rei Mongkut (1851-1868), que tivera sua residência temporária ali construída por seu filho e herdeiro Rei Rama V (ou Rei Chulalongkorn). O Palácio Real hoje era o mesmo que o Rei Chulalongkorn construira entre os anos de 1872 a 1889, época em que a maioria dos prédios do palácio também foram construídos. Atualmente o Palácio era usado pela Família Real Tailandesa e para abrigar eventos especiais e banquetes. Como o Rei Maha atual, raramente o utilizava, o Palácio estava aberto ao público. Similar à maioria dos palácios Reais da Tailândia, o Complexo era dividido em duas seções: uma parte exterior e uma parte interior. Enquanto o Palácio externo consistia de prédios para uso público, o Palácio Interno era reservado para o Rei e sua família.

 

As construções principais do Palácio externo eram:

  1. Ho Hem Monthian Thewarat (Golden Palace) - Pequena estrutura de pedra em forma de castelo;

  2. Saphakhan Ratchaprayun (Assembly Hall for Royal Relatives) - Em estilo colonial, era construção de 1876  feita para abrigar os irmãos do Rei em suas suítes;

  3. Phra Thinang Aisawan Thiphya-Art - Phra Thinang significava Residência Real e Aisawan Thiphya-Art significava O Assento Divino da Liberdade Pessoal. Era a principal estrutura do Bang-Pa In Palace. Era um pavilhão de estilo tailandês, com o teto em espiral. Era uma cópia do Phra Thinang Aphonphimok Prasat, no Grand Palace, em Bangkok. O lugar abrigava uma estátua de bronze do Rei Chulalongkorn;

  4. Phra Thinang Warophat Phiman – Era chamada de  Residência Real de Morada Excelente e Iluminada, era uma mansão em estilo neo-clássico, construída pelo Rei como sua residência e lugar para seu trono. Os quartos privados desse prédio, que ficavam na seção do Palácio Interno, ainda eram utilizados pela Família Real, sempre que vinham  ao Palácio. A suntuosidade dos prédios Reais da Tailândia, contrastavam com o restante do modus vivendi de seu povo. Só que os reis nunca precisaram roubar, ao contrário do que sempre acontecia com os dirigentes de nosso Brasil.

 

Portuguese Settllement

Os portugueses foram os primeiros europeus que chegaram ao Reino de Ayutthaya e constituíram uma das principais comunidades na Tailândia. Hoje, este lugar era um marco importante da presença portuguesa no país.

Onde dormir

Early Bird Hostel Ayutthaia -  Hua Ro, Phra Nakhon Si Ayutthaya District - Phra Nakhon Si -

Era ótimo, pequeno e aconchegante. Era muito limpo, e com o ar condicionado sempre funcionando. Os atendentes eram super atenciosos, e ainda ofereciam um ótimo café da manhã. 

Onde comer

Malakor Kitchen and Café - Chikun Road - Hua Ro  - Phranakornsriayutthaya –

Era um local  bonito, bom e barato, e a comida era excelente, muito bem atendidos, apesar do pessoal ter que se desdobrar entre o café e o restaurante, um embaixo outro em cima, com ar condicionado e o outro sem...mas era valido quando se comia bem e barato!!! Também caprichavam no atendimento!

Kampu Ayutthaya - 43/34 Moo 2 | Phai Ling – fica num dos acessos a área central.

Ambiente era muito limpo e arejado, e oferecia uma excelente comida regional, bem recomendado pelos locais. O atendimento era nota dez.

Ton Mamuang Café - 4/3, Moo 4 - Uthong Road -  Pratuchai –

O restaurante era dividido em três andares e se podia escolher entre uma sala com ar-condicionado ou o terraço com vista para o rio e o templo. O interior era decorado originalmente, com parafernálias pop e itens colecionáveis. A equipe era muito  atenciosa e o serviço era rápido. A comida era variada e destaque para as sobremesas e sucos de várias frutas.

Museus e afins 

Baan Hollanda - Soi Ksan Rua Ho Rattanachai -

Era uma vila holandesa construída na  Tailândia durante a era Ayutthaya, em 1634. Originalmente estava localizada junto ao Rio Chao Phraya, perto do Estaleiro Tambon Suan Phlu. Atualmente, estava sendo reconstruida em sua terra original, com a intenção de se tornar um centro de informações e museu. Os holandeses estabeleceram pela primeira vez relações comerciais formais com o Sião, em 1604, no final do reinado de Naresuan. Em 1608, o Rei Ekathotsarot concedera permissão à Companhia Holandesa das Índias Orientais para abrir seu posto comercial em Ayutthaya. A localização era na parte sul da cidade murada da ilha e era um espaço bastante restrito. Assim, em 1634, durante o reinado de Prasat Thong, uma nova fábrica e o escritório comercial da Companhia fora construida em terras concedidas pelo Rei do Sião, como recompensa pela ajuda naval holandesa na Guerra de Ayutthaya contra Pattani. Em 2004, por ocasião do 400º aniversário das relações entre a Tailândia e os Países Baixos, a Rainha Beatriz, dos Países Baixos, acompanhada pelo Príncipe Willem-Alexander, Príncipe de Orange e pela Princesa Maha Chakri Sirindhorn, visitara o local da colônia holandesa em Ayutthaya, onde o Departamento de Belas Artes estava escavando os restos do alojamento da Companhia das Índias. Sua Majestade, gentilmente doara uma quantia em dinheiro para a construção de um Centro de Informação, com uma exposição permanente, que poderia ser considerada um Memorial das longas relações entre os dois países. 

Centro de Estudos Históricos de Ayutthaya - Tambon Pratucham - Phra Nakhon Si -

Era financiado pelo governo japonês e dedicado à pesquisa sobre a história de Ayutthaya, com foco em sua época como capital do país.  Abrigava um museu e fornecia informações juntamente com uma biblioteca que cobria todos os aspectos da história da cidade. Abria diariamente das 9.00 as 16.30h e o ingresso era de 100 Baht para visitantes estrangeiros e 50 Baht para estudantes.

Memorial Pridi Banomyong - Tambon Tha Wa Su Kri, Phra Nakhon Si -

Era dedicado ao seu homônimo Pridi Banomyong, um dos políticos mais influentes da Tailândia, e que nascera em Ayutthaya. O Memorial consistia em duas casas tailandesas tradicionais, às margens do Rio Khlong Muang, na Cidade Velha de Ayutthaya. Pridi fora um dos primeiros políticos com visão de futuro a sair da Tailândia e era uma figura muito considerada. O Memorial abrigava uma exposição de seis pilares, simbolizando o programa de seis pontos do Partido Popular, liderado por Pridi. O primeiro prédio era o museu que exibia cartas, lembranças e objetos pertencentes ao Senhor Pridi. O segundo prédio onde nascera Pridi, não era aberto ao público.

Museu do Barco Tailandês -  Bang Ian Road, 8 -  Phra Nakhon Si -

Era um museu privado de propriedade de Ajarn Paitoon Khawmala, que ao longo de sua vida sentira um vínculo espiritual com os barcos de estilo tailandês e, como professor na Escola Técnica de Construção Naval, decidira compartilhar seu amor pela construção de barcos com o mundo. O museu não apenas apresentava modelos em tamanho real e em escala de barcos e navios, mas também plantas e esboços de modelos inacabados. Ajarn Paitoon também renovara os modelos tradicionais de barcos tailandeses e os colecionara para exibir em seu museu, que era um símbolo de seu amor pelos barcos

Museu do Milhão de Brinquedos - 45 Moo 2 U Thong Road - Tha Wasukri, Phra Nakhon Si –

Era um museu privado, que mostrava brinquedos do passado aos dias atuais. Algumas peças eram raras e eram brinquedos particulares que o dono do museu colecionava desde sua infância. Fora criado a partir da inspiração de Associação Krirk Yoonpun, onde era professor do Departamento de Literatura Infantil da Universidade Srinakharinwirot. Após receber o Prêmio NOMA, no Japão, em 1982, visitou o Kitahara Tin Toy Museum, onde um grande número de brinquedos era exibido. Quando retornou a Tailândia, começara a colecionar brinquedos nos últimos 20 anos. 

 

Museu Nacional Chantharakasem -  U Thong Rd, Hua Ro, Phra Nakhon Si –

Estava localizado na margem oeste do antigo Canal Front City, no Palácio Chan Kasim, na região nordeste, perto do mercado Hoa Ro. O palácio era conhecido como o Palácio da Frente, pois estava situado a leste do Grande Palácio e incluia três prédios com as exposições permanentes do museu, como a Galeria do Pavilhão Chaturamuk, que exibia os bens do Rei Rama IV, e a Galeria Viman Rataya, que apresentava uma coleção de esculturas e artefatos com imagens artísticas, como Budas e a Galeria Maha Tai, que tratava de cinco temas: Arte e Arquitetura de Ayutthaya, Comércio de Cerâmica, Armas antigas, peças budistas e a vida ribeirinha da Cidade Velha.

 

Museu Nacional Chao Sam Phraya  -  Phra Nakhon Si -

Exibia artefatos descobertos durante de escavação e restaurações de templos antigos, em Ayutthaya e tinha o nome de Chao Sam Phraya, Rei de Ayutthaya no século XV. Estavam expostos vários milhares de itens, incluindo imagens de Buda, tábuas votivas, artefatos de ouro e outros tesouros recuperados das criptas de vários templos. A coleção do museu estava exposta em três prédios:  o prédio 1, o principal, tinha dois pisos e apresentava a parte mais interessante do acervo. Os itens eram rotulados em tailandês e inglês e entre eles havia diversas imagens de Buda de várias épocas da história tailandesa, incluindo Dvaravati, Khmer, Sukhothai e Ayutthaya. Entre eles estavam uma grande cabeça de bronze de 800 anos de uma imagem de Buda encontrada em Wat Thammikarat, em Ayutthaya, uma imagem de pedra de areia do século XII Khmer, em meditação coberta pelos capuzes da serpente Naga de sete cabeças, e uma pedra de areia estilo Dvaravati, com imagem de Buda em meditação. Uma das peças mais antigas era uma imagem de arenito muito grande de um Buda sentado, da era Dvaravati nos séculos VII a XI, com a mão direita em Vitarka mudra, o gesto tradicional de ensino.

O piso térreo exibia vários armários lacrados usados ​​para armazenar cópias dos ensinamentos budistas, escritos em folhas de palmeira secas. Também no piso térreo, alguns frontões lindamente esculpidos e painéis de portas de madeira esculpidos recuperados dos templos de Ayutthaya, incluindo Wat Phra Si Sanphet. No andar de cima havia uma bela coleção de tabuletas votivas, exibindo várias imagens do Buda. Um dos itens mais impressionantes era um Elefante Real Dourado, cravejado de pedras preciosas datadas de 1424, que fora descoberto na cripta do Wat Ratchaburana e uma espada dourada e sua charneca dourada, incrustada com pedras preciosas que pertencia a então rei de Ayutthayia. Uma das salas era dedicada às relíquias de Buda, descobertas na cripta do Wat Mahathat – o templo da Grande Relíquia. Não era permitido o registro fotográfico das imagens, nas três salas.  

Museu Nacional de Arte de Ayutthaya - Tambon Pratuchai -  Phra Nakhon Si -

Abrigava uma pequena e interessante exposição de arte e história, com estudantes da Universidade próxima atuando como guias locais, em inglês. A obra de arte não era apenas ambientada no contexto histórico, mas também tinha um toque significativo de arte moderna, resultando em um encontro do antigo e do novo, sob o mesmo teto. Mantinha uma notável coleção de objetos de ouro encontrados em alguns dos monastérios e templos budistas. Os tesouros também incluiam belas esculturas e pinturas representando Buda, no estilo de Ayutthaya.  A entrada era gratuita.

Ayuthaia 3.jpg
AYUTHAIA 4.jpg
AYUTHAIA 6.jpg
AYUTHAIA 5.jpg
bottom of page